Agripino: “Governo do PT não age por convicção, só age sob pressão”

agripino_PT
O presidente nacional do Democratas, José Agripino (RN), classificou o anúncio de que o governo federal estuda cortar dez dos 39 ministérios até setembro como “uma medida atrasada e feita sob pressão, não por convicção”. “O problema deste governo é que ele não age por convicção, só age sob pressão. Dez ministérios a menos dariam credibilidade a Dilma se ela tivesse tomado esta atitude antes de assumir a Presidência. A medida agora, que se adotada será bem-vinda, não dará ‘selo de qualidade’ ao governo até porque o que é feito sob pressão não recupera credibilidade”, afirmou o senador potiguar.
Em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, nesta segunda-feira (24), o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, disse que a redução das pastas faz parte de uma reforma administrativa que envolve ainda a redução de cargos comissionados e secretarias para melhorar a “gestão pública”. O anúncio foi feito após reunião de coordenação política, que contou com a presença da presidente Dilma Rousseff. Atualmente, segundo informações divulgadas pela imprensa, o número de cargos comissionados é de cerca de 22 mil pessoas. Apesar do anúncio de cortes, o ministro afirmou que o governo ainda não decidiu quais serão os ministérios cortados.

Postagens mais visitadas deste blog

CHACINA: Policial militar é acusado de executar quatro pessoas em cabaré da cidade de Brasnorte

Tangará da Serra recebe Circuito Aprosoja dia 25 de maio

Saúde tem hoje Dia D de vacinação contra H1N1 em Tangará da Serra