Índios de Juína compram caminhonete roubada

YURI RAMIRES

Cinco índios da etnia Enawene-Nawe compraram por R$ 30 mil uma caminhonete Amarok sem saber que ela havia sido roubada em Cuiabá. Dois homens foram presos pelo roubo do veículo e confirmaram que enganaram os indígenas na hora de vender o produto, que estava com toda sua identificação falsa.

A polícia interceptou o veículo quando eles estavam em Barra do Bugres e seguiam para a aldeia da etnia, em Juína (735 km de Cuiabá). Quando abordados, foi dado conta de que se tratava de um veículo que havia sido furtado.

O grupo e o veículo foram encaminhados para o pátio da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos (Derrfva).

Em depoimento, acompanhado por um Procurador Federal, que representou a Fundação Nacional do Índio (Funai), eles contaram que compraram o veículo pro R$ 30 mil, e deram a primeira entrada de R$ 15 mil, e pagariam a metade no outro mês.

O grupo contou à polícia que a dupla disse que o carro era financiado, e desconheciam a origem criminosa do produto que estava sendo adquirido.

Com as declarações, os policiais se deslocaram até a casa de uma família em Cuiabá e prenderam dois irmãos, Geilson e Gilberto Almeida Reis, 23 e 22 anos. Um jovem de 17 anos estava em companhia e também foi detido.

Os irmãos foram atuados em flagrante pelos crimes de associação criminosa, receptação, adulteração de sinal identificador de veículo, uso de documento falso e posse irregular de munição. Já o menor, foi liberado em seguida.


Vale ressaltar que o veículo foi ofertado muito abaixo do preço real de mercado. O modelo da caminhonete roubada é encontrado por cerca de R$ 100 mil, dependendo das versões e da quantidade de acessórios disponibilizados pela concessionária.

Postagens mais visitadas deste blog

CHACINA: Policial militar é acusado de executar quatro pessoas em cabaré da cidade de Brasnorte

Tangará da Serra recebe Circuito Aprosoja dia 25 de maio

Saúde tem hoje Dia D de vacinação contra H1N1 em Tangará da Serra