Índios de Juína compram caminhonete roubada

YURI RAMIRES

Cinco índios da etnia Enawene-Nawe compraram por R$ 30 mil uma caminhonete Amarok sem saber que ela havia sido roubada em Cuiabá. Dois homens foram presos pelo roubo do veículo e confirmaram que enganaram os indígenas na hora de vender o produto, que estava com toda sua identificação falsa.

A polícia interceptou o veículo quando eles estavam em Barra do Bugres e seguiam para a aldeia da etnia, em Juína (735 km de Cuiabá). Quando abordados, foi dado conta de que se tratava de um veículo que havia sido furtado.

O grupo e o veículo foram encaminhados para o pátio da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos (Derrfva).

Em depoimento, acompanhado por um Procurador Federal, que representou a Fundação Nacional do Índio (Funai), eles contaram que compraram o veículo pro R$ 30 mil, e deram a primeira entrada de R$ 15 mil, e pagariam a metade no outro mês.

O grupo contou à polícia que a dupla disse que o carro era financiado, e desconheciam a origem criminosa do produto que estava sendo adquirido.

Com as declarações, os policiais se deslocaram até a casa de uma família em Cuiabá e prenderam dois irmãos, Geilson e Gilberto Almeida Reis, 23 e 22 anos. Um jovem de 17 anos estava em companhia e também foi detido.

Os irmãos foram atuados em flagrante pelos crimes de associação criminosa, receptação, adulteração de sinal identificador de veículo, uso de documento falso e posse irregular de munição. Já o menor, foi liberado em seguida.


Vale ressaltar que o veículo foi ofertado muito abaixo do preço real de mercado. O modelo da caminhonete roubada é encontrado por cerca de R$ 100 mil, dependendo das versões e da quantidade de acessórios disponibilizados pela concessionária.

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça os cinco traficantes presos neste domingo pela Polícia Federal em Tangará da Serra

Sábado com acidente fatal na BR 364 próximo a Diamantino

Cecilia Gabriella,15 anos, é morta com 22 facadas em Campo Novo do Parecis