MEIO AMBIENTE: Dorjival Silva lança a campanha “Diga Não às Queimadas em Brasnorte”


Da Redação
Jornalista Dorjival Silva em sala de aula conscientizando sobre os malefícios das queimadas
Indignado com a quantidade de queimadas que vem acontecendo nas áreas urbanas e rurais do município de Brasnorte, o jornalista e professor Dorjival Silva lançou nesta segunda-feira (10) uma campanha de conscientização contra os focos de calor, inicialmente com abrangência em todo o perímetro urbano da cidade.  A intenção maior da campanha é levar conhecimento à população sobre os malefícios das queimadas que contribuem para o desequilíbrio ecológico, poluição do meio ambiente e, sobretudo, geração de uma série doenças humanas.

Intitulada de “Diga Não às Queimadas em Brasnorte”, a campanha teve seu ponta pé inicial através do Jornal da Amazônia, informativo falado apresentado diariamente por Dorjival Silva. Pelo rádio, o comunicador expôs as razões que estariam o motivando a se dispor em visitar escolas, entidades civis, de classes, religiosas e órgãos públicos para levar sua palavra contrária às absurdas e inaceitáveis queimadas que vêm sendo registradas nos últimos.

Ainda na manhã desta segunda-feira o jornalista iniciou sua série de visitas e mini-palestras com teor de conscientização começando pelos estudantes do ensino fundamental da escola estadual Ewaldo Mayer Roderjan. Foram proferidas quatro mini-palestras e o resultado foi o mais positivo possível.

Nesta tarde, Dorjival Silva leva sua palavra conscientizadora para cinco turmas do ensino médio da mesma unidade escolar. O jornalista busca além de conscientizar, pessoas multiplicadoras da ideia. “Além de falar para os estudantes que não devem queimar e nem aceitar que se façam queimadas em suas propriedades urbanas ou rurais, pedimos ainda que eles levem adiante nosso projeto. E se preciso for que liguem para o 190 e denunciem os infratores para a Polícia”, comentou.

MINI-PALESTRAS – Dorjival Silva informa que as palestras não levam mais que 10 minutos para sua exposição. Elaborada didaticamente, a mini-palestra aborda os seguintes pontos mais afetadas pelos queimadas:
1)        Fauna
2)        Flora
3)        Solo
4)        Atmosfera
5)        Saúde.
Neste último tópico Dorjival Silva destaca que devido ao fato das queimadas coincidirem com a época mais seca do ano, agravam as doenças respiratórias e de pele. Fato este constatado por profissionais e estudiosos da saúde que vêm observando um considerável aumento no índice de moléstias como bronquite, asma alérgica, pneumonia e rinite. Além disso, a fumaça das queimadas, por ser muito tóxica, pode conter vários agentes cancerígenos. Mais de 70 produtos químicos já foram identificados na fumaça resultante das queimadas.

APOIO – Por enquanto, a campanha conta com apoio apenas da empresa Portal Gazeta do Noroeste MT e do Jornal da Amazônia. Porém, precisa de patrocínios para confecção de panfletos, cartaz e faixas. Uma mídia também nos demais veículos de comunicação da cidade seria muito importante. Interessados em colaborar devem ligar para: 65 96285314.

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça os cinco traficantes presos neste domingo pela Polícia Federal em Tangará da Serra

Sábado com acidente fatal na BR 364 próximo a Diamantino

Cecilia Gabriella,15 anos, é morta com 22 facadas em Campo Novo do Parecis