MPF quer prender policiais que denunciaram irregularidades na Lava Jato

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou formalmente pelo crime de calúnia um delegado e um agente da Polícia Federal que acusaram a cúpula de delegados responsáveis pela Operação Lava Jato de coação e diversas irregularidades. A denúncia do MPF faz parte de uma estratégia visando evitar levantar suspeitas acerca da condução das investigações, além de barrar a possibilidade de qualquer nulidade legal.
A denúncia de Calúnia formulada procurador do Grupo de Controle Externo da Atividade Policial da Procuradoria Daniel Holzmann Coimbra, diz respeito ao delegado Mário Renato Castanheira Fanton e ao agente federal Dalmey Fernando Werlang.
Segundo o procurador, ambos teriam se associado para “para ofender a honra dos colegas”, quando apontaram a existência de grampos ilegais na cela do doleiro Alberto Youssef, preso pela Lava Jato, além de vícios na sindicância aberta para conduzir o caso que poderiam resultar na nulidade do processo.

Postagens mais visitadas deste blog

CHACINA: Policial militar é acusado de executar quatro pessoas em cabaré da cidade de Brasnorte

Tangará da Serra recebe Circuito Aprosoja dia 25 de maio

Saúde tem hoje Dia D de vacinação contra H1N1 em Tangará da Serra