MPF quer prender policiais que denunciaram irregularidades na Lava Jato

O Ministério Público Federal (MPF) denunciou formalmente pelo crime de calúnia um delegado e um agente da Polícia Federal que acusaram a cúpula de delegados responsáveis pela Operação Lava Jato de coação e diversas irregularidades. A denúncia do MPF faz parte de uma estratégia visando evitar levantar suspeitas acerca da condução das investigações, além de barrar a possibilidade de qualquer nulidade legal.
A denúncia de Calúnia formulada procurador do Grupo de Controle Externo da Atividade Policial da Procuradoria Daniel Holzmann Coimbra, diz respeito ao delegado Mário Renato Castanheira Fanton e ao agente federal Dalmey Fernando Werlang.
Segundo o procurador, ambos teriam se associado para “para ofender a honra dos colegas”, quando apontaram a existência de grampos ilegais na cela do doleiro Alberto Youssef, preso pela Lava Jato, além de vícios na sindicância aberta para conduzir o caso que poderiam resultar na nulidade do processo.

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça os cinco traficantes presos neste domingo pela Polícia Federal em Tangará da Serra

Sábado com acidente fatal na BR 364 próximo a Diamantino

Cecilia Gabriella,15 anos, é morta com 22 facadas em Campo Novo do Parecis