Autoridades são acionadas para barrar onda de ataques à Fazenda Aprusma em Brasnorte

DA REDAÇÃO
Imagens cedidas
Advogado Túlio, terceiro da direita para esquerda, com trabalhadores
da Fazenda Aprusma
Autoridades policiais e o Ministério Público Estadual (MPE) em Brasnorte/MT, foram acionados semana passada para investigar e tentar impedir a continuidade de uma série de ações criminosas que vem atingindo há tempos a Fazenda Aprusma (Associação de Produtores Rurais Unidos de Santa Maria), propriedade rural de 12 mil hectares localizada a cerca de 60 km da sede do município.

A informação foi passada no último dia 8, em entrevista exclusiva ao Jornal da Amazônia, noticiário matutino da (Rádio Amazônia FM de Brasnorte), pelo advogado e representante jurídico da fazenda em questão, Gleison Gomes da Silva.

Ele contou que a propriedade rural vem sofrendo sistematicamente ataques criminosos como, invasão de propriedade, furto de madeira, destruição de residências, destruição de cercas, queimadas gigantescas, entre outros. 
Neste local uma residência foi totalmente destruída
O que sobrou de uma das residências destruídas na propriedade
No último grande incêndio, constatado pela autoridade policial, é possível que muitos metros cúbicos de madeira tenham sido queimados propositalmente como forma de esconder parte dos crimes ambientais que vinha sendo praticada na propriedade.

Apenas a lembrança que neste local já residiu uma família de
agricultores
Gleison Gomes contou ainda que desde as primeiras invasões na Fazenda Aprusma, pelo menos 70 residências de trabalhadores rurais foram completamente destruídas e seus moradores expulsos da localidade sem que ninguém tenha procurado ajudá-los.

Com toda essa onda de crimes praticamente fora de controle na fazenda, Gleison Gomes disse ter buscado auxílio das autoridades policiais do município, inicialmente para confecção de Boletim de Ocorrência (B.O), seguido por vistoria in loco com as mesmas para constatação da denúncia.

BOLETINS DE OCORRÊNCIAS - Um B.O já havia sido registrado pela Polícia Judiciária Civil no dia 17 de setembro com o seguinte teor: “O comunicante (Gleison Gomes da Silva) disse que foi até a Fazenda e ao chegar ao local havia um incêndio. Esse incêndio destruiu duas casas, pastagens, palanques e cercas. Contou ainda que não havia ninguém na propriedade. E que ele e a testemunha observaram marcas de pneu de bicicleta e carro”. 


Boletins de Ocorrências registrados em 17 de setembro
Mais um Boletim de Ocorrência foi lavrado no dia último 7, no Destacamento da Polícia Militar, com o seguinte teor: “O solicitante (Eduardo de Oliveira) nos procurou comunicando que é gerente da Fazenda Aprusma e na data de hoje a mesma foi invadida por um grupo que se fez comandado pelo vereador Pedro Coelho com o objetivo de se apossar desta. A vítima alegou que juntamente com os outros funcionários da fazenda foram obrigados a deixar o local imediatamente. Os pertences da vítima seriam entregues na área urbana do município. A vítima afirmou ainda que todos os integrantes deste grupo estavam em posse de armas de fogo. O BO foi registrado para conhecimento e providências”.
Novos Boletins de Ocorrências registrados dia 7 de setembro
JUDICIÁRIO - Com todas essas informações já conhecidas e registradas oficialmente pelas autoridades em Brasnorte, os representantes da Fazenda Aprusma esperam agora que providencias sejam adotadas com as devidas punições aos envolvidos.  

VEJA IMAGENS DE CRIMES AMBIENTAIS REGISTRADOS NA PROPRIEDADE:


Sequência de crimes ambientais contra o meio ambiente e natureza
com realização de grandes queimadas


Postagens mais visitadas deste blog

Conheça os cinco traficantes presos neste domingo pela Polícia Federal em Tangará da Serra

Sábado com acidente fatal na BR 364 próximo a Diamantino

Cecilia Gabriella,15 anos, é morta com 22 facadas em Campo Novo do Parecis