Padre que declarou ser gay terá que sair de Congregação, diz Vaticano

padre_gayO padre polonês Krzysztof Charamsa, oficial na Congregação para a Doutrina da Fé, não poderá continuar no organismo após declarar sua homossexualidade publicamente, revelou neste sábado o porta-voz vaticano, Federico Lombardi. A informação é do G1. Em entrevista publicada hoje no jornal “Il Corriere della Sera”, o de maior tiragem nacional, o padre afirma que é gay, que tem um companheiro sentimental e que sente orgulho disso.
As declarações de Charamsa são “muito graves e irresponsáveis”, inclusive por terem sido feitas na véspera do Sínodo Ordinário para a Família, indicou Lombardi em comunicado. “Cabe assinalar que – apesar do respeito que merecem os fatos, as circunstâncias pessoais e as reflexões sobre eles, a escolha de declarar algo tão clamoroso na véspera da abertura de Sínodo é muito grave e irresponsável”, disse Lombardi.
Neste sentido, o porta-voz assinalou que estas declarações provavelmente “submeterão a assembleia sinodal a uma pressão midiática injustificada”. Quanto ao seu futuro no organismo da Cúria, onde está integrado desde 2003, Lombardi assinalou que “certamente não poderá continuar desempenhando as tarefas na Congregação para a Doutrina da Fé e nas universidades pontifícias”, onde dava aulas.

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça os cinco traficantes presos neste domingo pela Polícia Federal em Tangará da Serra

Sábado com acidente fatal na BR 364 próximo a Diamantino

Cecilia Gabriella,15 anos, é morta com 22 facadas em Campo Novo do Parecis