Sem receber salário, fotógrafo vive em ‘barraco’ e tenta construir casa até o natal com ajuda dos colegas; fotos

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto
Sem receber salário, fotógrafo vive em ‘barraco’ e tenta construir casa até o natal com ajuda dos colegas;  fotos
Um ano e meio sem receber o salário de forma integral. Esta é a realidade do fotógrafo do Diário de Cuiabá, Lorival Fernandes da Silva, 57 anos. Grande parte deste tempo, mais precisamente 25 anos, foi dedicado para exercer a sua função no jornal, um dos mais conceituados de Mato Grosso. Hoje, a situação do profissional é complicada. Recebendo cerca de R$ 500 por mês, quando deveria ter em conta por volta de R$ 2 mil, ele passa por dificuldades, mora em um barraco e conta com a ajuda de amigos e colegas de profissão para erguer sua casa, no bairro Santa Luzia, em Várzea Grande.

 “O meu salário integral eu não recebo há um ano e meio mais ou menos, está difícil. No holerite, eu recebo por volta de R$ 2 mil. Mas geralmente o que eu ganho por mês é R$ 400 ou R$ 500. Este terreno aqui, eu comprei parcelado e pago R$ 400 por mês, as parcelas vão até o ano que vem. O total foi de R$ 11 mil reais”, explicou o fotógrafo que recebeu a equipe do Olhar Direto nesta sexta-feira (30).



Lorival tem recebido o apoio de amigos e colegas de trabalho, que se sensibilizaram com a situação e resolveram ajudar: “O que chegou na minha mão até agora foi caminhão de areia e 20 sacos de cimento. Também estão depositando um dinheiro na minha conta. A tarde, me disseram que vai chegar um caminhão de cascalho. As pessoas, principalmente os colegas de trabalho, os jornalistas, estão me ajudando muito, formando grupos e prometeram nos ajudar”.

Há alguns dias, o fotógrafo passou por momentos de tensão e muito medo com a esposa, dona Benedita, a quem ele carinhosamente chama de “senhorinha”: “Esses dias eu fiquei com muito medo. Começou a chover e molhou tudo dentro do barraco, chuva de pedra. Ficamos eu e minha esposa assustados. Por isso eu quero minha casa pronta, com o telhado coberto. Ainda bem que Deus colocou a mão e evitou que isso tudo desabasse. Este barraco já estava aqui quando eu me mudei, foi a nossa sorte”, disse.

Amigos e colegas já se comprometeram com Lorival para ajudar na construção da casa. Com o que tem, ele acredita que seja suficiente para fazer o básico e conseguir subir as paredes da nova morada e lembra que o mais importante é ter um lugar coberto, que o abrigue do sol e chuva e onde viva com dignidade. Entre as doações, estão uma caixa d’água de 10 mil litros.



“Estou satisfeito, muito alegre pelo apoio que tenho recebido dos meus colegas de profissão. Tenho alguns parentes na Espanha que viram a minha situação por conta das matérias e disseram que vão ajudar também. Eu quero mostrar pra todo mundo, o resultado de tudo e minha casa pronta, se Deus quiser”, contou Lorival com um leve sorriso no rosto.

A esperança é de passar o próximo natal dentro da própria casa, já pronta: “Eu quero que Deus abençoe que eu passe o Natal sem perigo de chuva e sol. Minha mulher não tem lugar para lavar uma vasilha ou roupa. Neste local aqui eu estou há três meses. Antes eu morava de aluguel. Consegui um financiamento na Caixa e vim com a intenção de reformar essa casinha que já estava aqui. O problema é que ela é de barro, fui começar a mexer e ela começou a desmontar”, relembra o fotógrafo.

Lorival argumenta que a questão de não receber salário na empresa em que trabalha não é exclusiva dele: “Tem muitos colegas meus de lá que também não recebem de forma integral”. Por fim, ele revela que por conta de tentar a aposentadoria, assinou documentos de que teria recebido o salário, mesmo sem isso ter acontecido: “Esse ano, por causa da minha aposentadoria, eu assinei todos os holerites como se tivesse recebido de janeiro para cá. Assinei tudo, mas só recebi algumas partes. Eles disseram que agora iria melhorar, a partir de outubro. Mas até agora nada de bom aconteceu”.

Doações

Doações de materiais de construção podem ser feitas para Lorival. Para mais informações, basta entrar em contato através do seguinte número: (65) 9983-5914. O fotógrafo também possui uma conta, onde valores podem ser depositados:

Banco Itaú
Agência 7692
Conta 01957-8
CPF 182.036.201.91
FONTE: Olhar Direto

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça os cinco traficantes presos neste domingo pela Polícia Federal em Tangará da Serra

Sábado com acidente fatal na BR 364 próximo a Diamantino

Cecilia Gabriella,15 anos, é morta com 22 facadas em Campo Novo do Parecis