Planalto convicto de que operação mira Lula

6b8c32a3-3601-4be1-b377-cf4d3d79a203A 22ª fase da Operação Laja-Jato, que ganhou o nome de Triplo X, cria mais um braço de investigação – e não mais apenas o que decorre de ações da Petrobras. Tendo como elo João Vaccari Netto, que está preso em Curitiba, a Lava Jato chega à Bancoop, a cooperativa de bancários de São Paulo, criada por Ricardo Berzoini, hoje ministro da Secretaria de Governo, com gabinete no Palácio do Planalto.
Ele teve como sucessor Vaccari, o tesoureiro do PT de quem Dilma fez questão de se distanciar na campanha de 2014. A suspeita é de uso dos imóveis para pagamento de propina, lavagem de dinheiro e criação de empresas offshore para transferência dos imóveis.
No Palácio do Planalto, a palavra de ordem é a mesma de desde o início da Lava-Jato: “Não há ninguém acima das investigações”, mas a apreensão é maior. Há a convicção de que o alvo é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que comprou um apartamento da Bancoop e, depois do entendimento da cooperativa com a OAS, teve um triplex reservado para sua família.

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça os cinco traficantes presos neste domingo pela Polícia Federal em Tangará da Serra

Sábado com acidente fatal na BR 364 próximo a Diamantino

Cecilia Gabriella,15 anos, é morta com 22 facadas em Campo Novo do Parecis