Conheça a arquitetura da manobra de Marco Aurélio Mello, do STF, para beneficiar o PT

As coisas chegaram a um ponto em que já não é possível ignorar os fatos. Como já se sabe, de forma monocrática o ministro do STF Marco Aurélio Mello (foto) requisitou ontem (5) o afastamento de Renan Calheiros da presidência do Senado. Hoje, Renan se recusou, com razão, a cumprir a notificação, uma vez que a decisão de afastamento do presidente do Senado cabe… ao Senado.
Mas qual é a jogada por trás disso? Basta ligarmos os pontos, oras.
O partido requerente da ação é o Rede, linha auxiliar do PT. Marco Aurélio Mello se tornou um dos ministro do STF ícones das decisões em favor do PT. O vice-presidente do Senado, diretamente beneficiado pela decisão de Mello, é Jorge Viana, do PT.
Enquanto isso, o STF está doido pela manutenção dos supersalários e privilégios. Uma forma de mantê-los seria atender à agenda do PT de destruição intencional da economia do país, recusando-se a aprovar a PEC do Teto. Mas quem poderia barrar a PEC do Teto senão Jorge Viana?
O fato é que agora Marco Aurélio Mello vai para o olho do furacão das suspeitas neste caso, e não adianta que o STF confirme sua decisão amanhã, uma vez que Renan poderá impetrar recurso.
Claro que exigimos a saída de Renan Calheiros, mas não pelas mãos de gente como Marco Aurélio Mello, mas sim do Senado, e tudo de acordo com os procedimentos e trâmites normais, como exige o Estado de Direito.
Em tempo: uma dica dos auditores de fraudes é mapear quem se beneficia com as manobras. Nesse caso, o mapeamento está bem fácil.

Postagens mais visitadas deste blog

Conheça os cinco traficantes presos neste domingo pela Polícia Federal em Tangará da Serra

Sábado com acidente fatal na BR 364 próximo a Diamantino

Cecilia Gabriella,15 anos, é morta com 22 facadas em Campo Novo do Parecis