31 de julho de 2007

Terra destaca movimento pró-vaias ao presidente Lula



No Parque Mãe Bonifácia

Às 10h, dez pessoas estavam na rotatória da avenida Miguel Sutil, que dá acesso ao Centro de Eventos Pantanal, onde Lula anunciaria recursos para obras de saneamento básico e de urbanização previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).


Organizadoras do movimento

A economista e professora universitária Adriana Vandone, filiada ao PSDB, disse que o movimento contra o governo federal e pró-vaias a Lula nasceu em sua casa, depois de Lula ter sido vaiado no Pan.

O grupo resolveu fazer adesivos "Eu também vou vaiar Lula" e, na última quarta-feira, ela publicou um artigo em um jornal da capital mato-grossense sobre as vaias. A partir daí, segundo ela, o movimento aumentou bastante.

Adriana disse que recebeu ligações do prefeito de Cuiabá, Wilson Santos, do prefeito de Rondonópolis, Adilton Sachetti, e do governador Blairo Maggi - pedindo para que ela não fizesse o movimento durante a visita de Lula.

A VISITA

Em Cuiabá, Lula participou da assinatura de protocolos com o governo estadual para investimentos em projetos de habitação e saneamento nos municípios de Cuiabá, Várzea Grande e Rondonópolis, próximos de R$ 600 milhões.

Servidores do Incra

Funcionários do Incra também fazeram manifestação em frente ao Centro de Eventos Pantanal. Eles foram ao local com faixas "Lula, o Incra não veio vaiar, veio negociar".

Eles reivindicaram um acordo com o governo desde 2004. Pediram a contratação de novos funcionários por meio de concurso público e uma reforma agrária de fato.

Queriam dizer para Lula há mais de 500 assentamentos e cerca de 400 servidores para atender a todos. Os trabalhadores alegam ainda que estão com os salários cortados há dois meses devido à grave greve nacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO!

A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Se você se sentiu ofendido com algum comentário aqui publicado, entre em contato imediatamente mandando um email para dorjival@gmail.com