15 de março de 2007

TANGARÁ RECEBE HOJE VISITA DO PRESIDENTE DO TRE



Desembargador profere palestra na Unicem

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso, Antônio Bitar Filho, reuni-se nesta quinta-feira (15/03), às 16h, com as autoridades municipais de Tangará da Serra. O encontro será realizado no auditório da Faculdade UNICEM.

Bitar vem solicitar apoio do prefeito Júlio César Ladeia e vereadores para construção da sede Própria do Cartório Eleitoral da 19ª Zona Eleitoral. "Temos recebido apoio de praticamente todas as prefeituras que visitamos, acreditamos que as autoridades de Tangará da Serra serão sensíveis a nossa causa e nos ajudarão doando um terreno", salientou Bitar.

A 19ª Zona Eleitoral de Tangará da Serra é responsável por mais de 50 mil eleitores.

MALANDRAGEM NAS ASSESSORIAS PEDAGÓGICAS DE MATO GROSSO


Webleitor denuncia assessores pedagógicos

"Dorjisilva, bom dia! estou sabendo de uma malandragem das assessoras pedagógicas de Tangará da Serra e, portanto, seria interessante vc enquanto educador e jornalista fazer essa denuncia: Segundo fonte, saiu um edital para o cargo de Assessor pedagógico e elas os esconderam, ou seja, não deram divulgação no meio".

É verdade meu bom webleitor. Uma fonte ligada ao governo estadual me informou nesta manhã que foi publicado há dias no Diário Oficial edital para teste seletivo para o cargo de Assessor em todas as assessorias pedagógicas de Mato Grosso.

Também é verdade que os atuais assessores pedagógicos não deram publicidade ao fato em seus respectivos municípios e regiões. A fonte disse ao BLOG que eles "sentaram" sobre a informação, impedindo-a de chegar ao conhecimento dos profissionais qualificados para o teste seletivo.

Para se ter uma idéia do que realmente aconteceu, numa cidade como Tangará da Serra, com centenas de educadores, apenas as duas pessoas que hoje ocupam os cargos de assessores pedagógicos no município, se inscreveram para participar do seletivo marcado para acontecer no dias 21 e 22 deste mês, nas dependências do Cefapro.

É sabido também que nos muncípios vizinhos de Tangará da Serra ocorreu a mesma coisa. Em Nova Olímpia, apenas o assessor de lá se inscreveu. Igualmente nos municípios de Denise, Campo Novo do Parecis e outros.

O crime, se o BLOG pode chamar assim, por não repassar a informação para a comunidade docente é prática comum em quase todas as assessorias pedagógicas do Estado de Mato Grosso, disse a fonte. Mas, quem há de barrar o que aconteceu? O Ministério Público? A Justiça? Ou os docentes que estão se sentindo lesados com a situação?

Novamente com a palavra o Webleitor.

SEMÁFOROS DEVERIAM SUBSTITUIR FAIXAS EM TANGARÁ


Nova sinalização poderia evitar mais os acidentes

As faixas de pedestres, como um meio de educação do trânsito em Tangará da Serra, não cumprem mais seus objetivos. Tornaram-se obsoletas. Não valem mais para nada, senão para produzir mais intranqüilidade às pessoas e condutores de veículos automotores.

Sou pelo fim da permanência das faixas de pedestres em nossa cidade como único meio de controle no trânsito. Elas devem ser imediatamente substituídas por semáforos. Que também não resolverão definitivamente nossos problemas, por serem de ordem educativa. Mas, pelo menos, estarão dentro do padrão exigido em cidades de porte médio acima.

A existência das faixas de pedestres nos causa a impressão que ainda moramos numa cidadezinha de 20 mil habitantes. Quando a realidade é outra bem diferente. Pelo censo, a população tangaraense já se aproxima de 80 mil. A faixa pode ter sido muito útil e respeitada no passado. No presente, não.

Os acidentes registrados no dia-a-dia corroboram o que afirmo. Muitas mortes têm ocorrido justamente na faixa. Por quê? Justamente pelo fato de pedestre e motorista não reconhecerem mais a eficácia das faixas.

Quem desejar ver o que afirmo, se aventure a passar meia hora próximo ao local dessas faixas. São poucos os que as respeitam. O que se vê, são pedestres de todas as idades adentrando nelas bruscamente, tomando a vez dos veículos e visse e versa.

Urge que uma nova campanha educativa deve ser imediatamente iniciada pelos principais agente formadores de opinião em nossa cidade. Prefeitura, Câmara de Vereadores, veículos de comunicação, agremiações políticas e estudantis e, sobretudo, universidades, faculdades e escolas públicas e privadas.

Uma revolução nessa questão precisa ser urgentemente executada. Todos pelo fim das faixas de pedestres e, consequentemente, pela instalação dos semáforos. Penso que a execução desse projeto, alicerçada por um trabalho bem feito de conscientização social e cultural, poderá ser o meio mais prático para proteger à vida do cidadão que é obrigado a enfrentar o desordenado trânsito de Tangará da Serra no dia-a-dia.

EXPANSÃO DO TURISMO REQUER INFRA-ESTRUTURA ADEQUADA




A cachoeira Salto das Nuvens é um dos mais belos cartões postais de Tangará da Serra

O turismo continua sendo o prato do dia nas discussões gerais em Tangará da Serra. Todos já chegaram a um consenso que de fato o município é rico, portanto, com muitas belezas naturais para oferecer ao turista. Todavia, a questão maior tem sido em relação ao passo inicial.

É de consenso também que a falta de um aeroporto, estação rodoviária modernizada, e boas estradas federais, estaduais e vicinais, seja a principal entrave para quem deseja iniciar a exploração do setor em Tangará e região.

O município tem pontos turísticos para causar inveja a muitos municípios mato-grossenses que se alardeiam como sendo os melhores. Lindas cachoeiras, rios, serras, trilhas, aldeias indígenas, etc., bons hotéis e motéis, razoáveis restaurantes e boates para classe média alta.

Mas esse potencial permanece como se estivesse desativado. Redundando em pouco lucro para os que persistem em trabalhar no setor. Por isso sou da opinião que cobra uma ação mais rápida e menos burocrática do poder público local, desatando de vez esse nó que impede Tangará da Serra ser uma rota do turismo, setor da economia que cresce aceleradamente em todos os cantos do nosso país.