16 de março de 2007

EX-GESTORES DA CÂMARA DE TANGARÁ SÃO OBRIGADOS A DEVOLVER DINHEIRO


Por unanimidade o Pleno do TCE-MT negou provimento ao recurso Embargos de Declaração proposto pelo ex-presidente da Câmara Municipal de Tangará da Serra, Antonio Lopes Gonçalves, contra decisão anterior do Tribunal que o obriga a devolver recursos aos cofres do município.

Em 2004, ao julgar as contas anuais da Câmara, referentes ao exercício de 2002, o TCE determinou que Antonio Lopes Gonçalves, que presidiu o Legislativo de 01/01 a 28/03/2002 e Hélio Márcio Gonçalves, período de 04/04 a 31/12.2002, restituíssem, respectivamente, os valores correspondentes a 548,69 e 1.760,20 Unidades de Padrão Fiscal.

Cada UPF, hoje, é cotada em R$ 26,99. Antonio Lopes já havia interposto recurso contra parte do Acórdão, mas a decisão do Tribunal foi desfavorável a sua pretensão. O recorrente não contestou o mérito da decisão, mas pretendia que o Tribunal determinasse a responsabilidade solidária a todos os vereadores daquela legislatura, o que implicaria em rateio dos valores entre os parlamentares.

O relator do processo, conselheiro Antonio Joaquim, votou pelo improvimento do Embargo, mantendo a responsabilidade exclusiva dos dois ex-gestores. Entretanto, o Pleno decidiu determinar ao prefeito de Tangará, Júlio César Ladeia, que suspenda a execução da cobrança, para que o ex-presidente da Câmara faça o recolhimento voluntariamente no prazo de 15 dias, contados da decisão.

Ocorre que em outubro do ano passado, o Tribunal enviou ofício ao prefeito, determinando a cobrança, mas o ex-gestor só tomou conhecimento da medida no mês seguinte.

TELEFONEMAS AMEAÇAM FAMÍLIAS DE CAMPO NOVO DO PARECIS


Campo Novo do Parecis - MT


Pelo menos três famílias foram vítimas nesta semana de telefonemas com ameaças de falsos seqüestros na cidade de Campo Novo do Parecis. A polícia acredita que as ligações foram originadas de aparelhos celulares da região.

Nos três casos, os autores dos telefonemas apenas disseram que parentes das vítimas haviam sido seqüestrados. Chegando mesmo a simular o crime com a suposta vítima gritando por socorro. Mas não chegaram a cobrar pelo resgate.

As autoridades acreditam que pode se tratar apenas de trotes. Mesmo assim, a população pariciense está orientada a comunicar à polícia, qualquer telefonema de origem estranha.

JOÃO NEGÃO DAR PUBLICIDADE À LISTA DE “CANDIDATOS” À PREFEITO


Vereador João Negão usou os microfones da Rádio Tangará AM nesta manhã para passar duas “informações”. Uma sobre evento promovido pelo seu partido PSB, hoje à noite no plenário da Câmara Municipal. Outra, para cobrar do Serviço Autônomo Municipal de Águas e Esgoto – SAMAE, imediata instalação dos eco-pontos na cidade. “Informou” que cerca de 70 carroceiros ficarão com suas atividades paralisadas enquanto o assunto não sair do papel.

Questionado pelo radialista Carlos Longh, sobre a “mancada” que deu no início desta semana dando publicidade a uma lista falsa contendo nomes de cidadãos tangaraenses que supostamente “sairão” candidatos a vagas na Câmara Municipal, João Negão desconversou. Aproveitou o ensejo para se mostrar como vítima e fazer mais falsa propaganda.

Não perdendo a oportunidade, o vereador que mais gosta de aparecer em Tangará da Serra, deu publicidade a outra lista falsa com nomes de pessoas de bem da comunidade que supostamente “serão” candidatos à prefeito. Disse que viu a lista circulando nesta semana, na feira do produtor.

Comentou ligeiramente que inclusive o nome do apresentador Carlos Longh estaria na lista. E disse: “eu sei que você não é candidato a nada”. O radialista desconversou e encerrou o assunto.

Especialistas na política tangaraense têm comentado com este blog que as atitudes do vereador João Negão ao dar publicidade às falsas listas, têm como objetivo promover uma “queimação” antecipada das pessoas citadas. Fazendo isso, o vereador estaria, na verdade, deixando livre seu caminho. Mas como tenho dito, o vereador vem perdendo pontos significativos perante a opinião pública pelas publicidades que tem feito.