1 de abril de 2007

'LIQUIDA TANGARÁ' AMARGA FRACASSO HISTÓRICO


Acits quis vender "lixo" de algumas lojas com propaganda paga com o dinheiro público


A campanha intitulada "Liquida Tangará" encetada pela Associação Comercial e Empresarial de Tangará da Serra - ACITS, foi um fracasso total. Lançada na última quinta-feira com a intenção de aquecer as vendas, e principalmente, para desovar o "lixo" do interior de algumas lojas, a campanha nem de longe alcançou o esperado.

Desde o início até às 18h desde sábado, o que se viu foi muita "promoção" nas mais de 200 lojas que encararam o desafio e um reduzidíssimo número de clientes nas ruas. Cheguei a imaginar que a população inconscinentemente tivera feito um boicote à intenção da ACITS.

Visitei algumas lojas, entrevistei vendedores e clientes. Os próprios vendedores disseram ao BLOG que a campanha não estava oferecendo vantagem alguma para a clientela. Segundo eles, os descontos oferecidos, são os corriqueiros. E as mercadorias expostas, na verdade, se tratavam de estoques velhos, encalhados, já refugados pelos consumidores. Lixo inconsumível.

Fiquei pensando: ainda bem que o Ministério Público Estadual, na pessoa inteligente e competente do seu representante promotor Reinaldo Rodrigues de Oliveira Filho, não permitiu que os nossos R$ 10 mil fossem sugados dos cofres da prefeitura para patrocínio de propaganda por uma coisa que já mais beneficiaria os cidadãos em geral.

Espero que a ACITS na pessoa do seu presidente Ramão Chaparro e os cinco vereadores que expontaneamente engoliram o lobby, de uma vez por todas tenham entendido a lição de casa.

Não sou contra que no nosso sistema econômico capitalista, os burgueses se enriqueçam mais e mais como gostam pela ganância que alimentam. Mas façam-me o favor: com os impostos que suadamente pagamos, ai já é querer se sobrepor a nossa inteligência.


É tenebroso índice de crianças espancadas e mortas no MT


Capa de A Gazeta deste domingo


O jornal A Gazeta estampa em sua capa na edição deste domingo uma notícia preocupante. A quantidade de crianças espancadas e mortas nos últimos meses, em Cuiabá, capital do Mato Grosso.

De acordo com A Gazeta, todos os dias, crianças são agredidas, espancadas e expostas a castigos cruéis como fome e sede e até mesmo à morte. Os agressores são os próprios pais, avós ou outros "responsáveis".

A reportagem conta que nos últimos 9 meses pelo menos 3 infanticídios e um assassinato foram registrados pela polícia cuiabana. "Ao invés do colo da mãe, esses bebês foram mortos, embalados como uma coisa qualquer na gaveta de um guarda-roupa, numa caixa de sapato e num saco de lixo".

Tangará da Serra também tem um alto índice de registros de agressão contra crianças. Na semana passada foi descoberto um local onde uma criança era mantida encarcerada pela própria mãe.

Também na semana um ansião de 74 anos foi preso por estar mantendo relações sexuais com uma menina de 12 anos há meses. Por cada ato ele costuma pagar algo em torno de R$ 25 reais.

A situação é feia em Tangará da Serra, mas não há divulgação oficial sobre o assunto.