4 de abril de 2007

ZÉ PEQUENO DEVERÁ SER MESMO SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO DE TANGARÁ



Zé Pequeno: pronto para assumir a SEMEC

Não abrigo mais a menor dúvida com relação à ascensão do secretário municipal de Administração e Controle Interno, José Pereira Filho, para a Secretaria Municipal de Educação e Cultura – SEMEC.
José Pereira é um dos secretários mais respeitados atualmente na atual Administração pelo seu excelente trabalho realizado no gerenciamento do município de Tangará da Serra.

É consenso geral que ele é o responsável pelo bom andamento organizacional do governo Júlio César. Pois fez de uma Secretaria que vinha gerando muitos desgastes para o gestor principal, uma fonte de soluções de problemas, proporcionando mais tranqüilidade para a Administração geral.

Zé Pequeno, como é conhecido, por sua competência e ética profissional, não só conquistou a simpatia do prefeito Júlio César. Os funcionários ligados à sua pasta também mantém grande apreço por ele. É reconhecido por ser um bom ouvidor.

O mesmo termômetro mede ainda a simpatia que usufrui no meio educacional. Seja nas redes privada e pública de ensino até a Universidade, como professor é aceito sem restrição nenhuma.

Sobre o assunto testemunho: em minha sala de formandos em Pedagogia eu e mais 53 colegas pedagogos entendemos que o nome do professor para a SEMEC preenche todas as expectativas.

Resta agora apenas a nomeação pelo chefe do executivo Júlio César Ladeia, que acredito não encontraria neste momento, nome mais adequado para a pasta, com todo respeito pelos meus colegas professores. Com a palavra o velho alcaide.

SERVIDORES MALANDROS PAGOS COM OS NOSSOS IMPOSTOS

A presente imagem é apenas para os webleitores deste BLOG ter uma noção do que ocorrer em algumas repartições públicas das esferas municipal, estadual e federal. Sem contar que usam e abusam dos bens oficiais, como veículos, telefones, internet e mais uma série de regalias pagas com o dinheiro público.

A pergunta é: o povo merece servidores iguais aos apresentados na foto à cima? Ou alquém que respeite o cidadão, começando por uma boa prestação de serviços, levando-se em consideração que o salário deles vem do próprio povo?
OBS: clique na imagem para vê-la ampliada.

VEREADOR PEDRINHO AMEAÇA PROCESSAR AUTOR DESTE BLOG


O vereador Pedro Francisco da Silva (PTB) está uma “arara” com este jornalista, depois da crônica que publiquei nesta terça-feira, neste BLOG. Por celular, nesta manhã, o parlamentar questionou o porquê de minha formatura no curso de Pedagogia, este ano, se eu não estaria adotando já a postura de um educador quando escrevo.

O nobre edil entendeu que o ofendi quando escrevi que suas explicações sobre os gastos com diárias nos meses de março, abril e maio de 2006, valor de R$ 7.772,55, não convenceram nem o mais inocente dos imortais. Na verdade, deveria ter escrito: mortais. Mas passou.

Com tonalidade bastante acentuada o vereador me disse que desrespeitei uma autoridade, no caso, a pessoa dele. Para ele, não deveria ter escrito nada sobre o assunto.

Enfurecido, ameaçou enquadrar este jornalista nos rigores da Lei. Para o edil, disse apenas que poria o mesmo espaço para sua resposta, mas de pronto afirmou que não queria. Demonstrou querer mesmo é vingança. Por isso mesmo, deverá procurar seus direitos para me acionar judicialmente.

Só gostaria de lembrar ao nobre parlamentar, por quem tenho grande respeito e admiração, minha intenção não foi jamais a de desrespeitar a autoridade dele. Porque depois de 18 anos com atuação efetiva na profissão aprendi muito bem até onde posso ir. Usei sim, o direito à crítica, diferente do que certos políticos esperam dos profissionais que atuam na IMPRENSA.

Não sei bajular ninguém. Muito menos faria isso com alguém que “torra” quase R$ 8 mil com diárias em apenas três meses, pagas com os meus impostos.

Então, que o vereador faça o que melhor entender. Não estamos mais no tempo da mordaça e muito menos em frente à cortina de violentos donos da verdade e do poder. Sei reconhecer quando alguém faz o que é certo e proveitoso para sociedade. Mas sei, e graças a minha formação jornalística, teológica e agora em Pedagogia o que é certo e o que errado.

A crítica vai continuar, a menos que eu seja eliminado por alguém que se julgue coronel e amedrontador de jornalista. Tenho dito e ponto final.