12 de abril de 2007

POR QUE TANTA GENTE ESTÁ QUERENDO O DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE CULTURA?

Muita gente está de olho no Departamento de Cultura de Tangará da Serra. Só não tenho entendido o porquê. Por isso tenho perguntado: por que alguém se interessaria ser diretor do citado setor, se todo mundo sabe que o mesmo é pobre e carente de recursos?

Essa "ganância" por ser diretor de cultura mesmo tendo ciência que não poderá efetuar muita coisa me conduz à um questionamento. Tais "candidatos" estariam pleiteando o cargo por quais razões? Pelo salário mensal? Pelo status quo? Ou para se projetar na mídia garantindo com isso um espaço para uma candidatura eletiva, etc?

Não aguento mais chegar nos locais onde frequento diariamente e ouvir pessoas falando sobre o assunto. Até parece que estão dando mais importância para o Departamento de Cultura que para a própria Secretaria (SEMEC) que está sem titular desde a saída do professor José Paulo de Jesus no mês passado.

Tenho dito que este assunto pertence ao prefeito Júlio César Ladeia e, somente ele, saberá quem melhor se enquadrará na liderança da Cultura no município. Também tenho proposto ao prefeito que a pessoa a ser nomeada, de fato, seja do nosso meio. De preferência uma pessoa que não
seja apadrinhada por nenhum vereador.

Uma liderança que consiga agregar o setor e conduzí-lo para o crescimento, mesmo com os parcos recursos que terá às mãos. Uma pessoa inteligente e criativa, que não vise simplesmente a aparição pública e o soldo mensal. Um agente da cultura de verdade.

ELEIÇÕES 2008: ANA APONTA PARA EMERSON, MAS FINDARÁ COMO VICE DE JÚLIO

A ex-prefeita Ana Monteiro de Andrade está querendo emplacar pelo seu partido (PP) o nome de uma pessoa "jovem" como pré-candidato a prefeito de Tangará da Serra. Mas quem seria esse nome a não ser o de seu filho, vereador Emerson Adriano de Andrade?

Para ser bem sincero não acredito que o grupo político liderado pela ex-prefeita concorde em trabalhar o nome de Emerson para a chefia do executivo. Ele é jovem, como quer Ana Monteiro, e tem experiência como gestor público na presidência da Câmara Municipal. Mas muitos não vêem o nome dele como o mais forte para disputar o poder com o atual prefeito Júlio César Ladeia.

Para ser mais sincero ainda, acredito mesmo é numa grande aliança do Partido Popular com o Partido da República (PR) em Tangará da Serra. Ana Monteiro não seria um excelente nome para vice do prefeito Júlio César? É o que tem perguntado boa parte do eleitorado. Por isso mesmo, tem muita gente crendo nessa dobradinha!

ELEIÇÃO NA UNEMAT: CANDIDATOS DE OPOSIÇÃO COM MAIORES CHANCES

Os três candidatos ao cargo de Coordenador-geral do campus da Unemat/Tangará da Serra, estão suando a camisa e gastando a voz como nunca para que os eleitores (professores, acadêmicos e funcionários) participem do pleito eleitoral marcado para ocorrer no próximo dia 25.

Ariel Lopes Torres do Departamento de Contábeis, Raimundo Nonato França de Oliveira (Letras) e Luiz Alfredo Pacheco (Administração) estão fazendo das tripas coração pela conquista do importante cargo.

Os candidatos já estão visitando as salas de aulas para apresentação de suas propostas, mantendo conversa de pé de ouvido com todos e afixando faixas com frases persuasivas e comprometedoras. As promessas não estão muto diferentes das comumentes pré-fabricadas nas campanhas eleitorais.

O professor Ariel Torres tem livre passagem e bom relacionamento dentro da instituição, mas pelo de fazer parte do grupo que está no poder há anos, não é visto pelos acadêmicos como opção de mudança, avanço e desenvolvimento.

Assim, sem desmerecer o professor Ariel, será possível uma enxurrada de votos nos candidatos que se apresentam como oposição ao sistema, comandado até o presente, pela professora Ivanete Parzianello.

APROSOJA APRESENTA REIVINDICAÇÕES AO MINISTRO DA AGRICULTURA

A Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja) apresentou ontem (11.04) em Brasília, as reivindicações do setor para o ministro da Agricultura Reinhold Stephanes.

O presidente da Aprosoja, Rui Prado disse que o encontro foi altamente produtivo. "Ele entendeu perfeitamente nossos problemas e deu encaminhamento aos nossos pedidos", destacou o produtor.Prado destaca como um dos pedidos mais importantes a imediata publicação da Medida Provisória que regulamenta o Fundo de Recebíveis do Agronegócio (FRA).

O programa vai emprestar recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) para que os produtores possam refinanciar as dívidas com as empresas privadas. Também foi solicitada a prorrogação de dívidas de investimento junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Stephanes solicitou reunião urgente com o Ministério da Fazenda para tratar dos assuntos.