23 de abril de 2007

Secretário de Turismo elogia ação em favor do meio ambiente

O secretário de Estado de Turismo, Pedro Nadaf, esteve em Tangará da Serra neste domingo (22), oportunidade em que participou ao lado do prefeito Júlio César Ladeia da solta de cerca de 40 mil alevinos nas águas do Rio Sepotuba.

Nadaf elogiou a iniciativa do chefe do executivo municipal.

As ações desenvolvidas ontem no Sepotuba contaram com participação de alunos e professores da rede pública municipal e agentes de outros órgãos. O marco é histórico no município, na opinião de vários ambientalistas.

Blairo Maggi defende o fim da reeleição no País

Assim como o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a maioria dos 27 governadores é favorável ao fim da reeleição, proposta que une petistas e tucanos e cuja articulação já está em curso no Congresso.

A reportagem do G1 procurou as assessorias de todos os governadores a fim de obter a posição de cada um sobre o tema.

Dos 27, 17 se disseram favoráveis ao fim da reeleição, três querem a manutenção do atual sistema, um se declarou indiferente, outro não quis se manifestar e cinco não responderam.

O governador Blairo Maggí (PR) é pelo fim da reeleição e mandato de 5 anos.

Clique aqui e veja gráfico:

Para especialistas, reeleição aumenta chance de corrupção

Se aprovado, o projeto de emenda à Constituição que propõe o fim da reeleição para cargos do Executivo pode encerrar uma experiência descrita como “nefasta” e “negativa” por um ex-ministro do TSE e um procurador da República ouvidos pelo G1.

“No Brasil, a experiência da reeleição é nefasta. A corrupção nas administrações municipais e estaduais é potencialmente maior para facilitar a reeleição de prefeitos e governadores”, afirma o ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (1992-1996) Torquato Jardim.

Segundo ele, não há argumento jurídico a favor ou contra a discussão que se instalou nas últimas semanas no Congresso, já que o tema não é jurídico.

“A reeleição de presidente da República não me preocupa porque a mídia a faz razoavelmente transparente. Nos municípios e estados, todavia, onde a mídia é usualmente de propriedade de um mesmo chefe político, a manipulação não permite o conhecimento mínimo das tramóias da gerência publica", diz Jardim.