17 de junho de 2007

DRT promove reunião nesta terça em Tangará da Serra

Martins Toledo, funcionário da FUNAI em Tangará da Serra, envia e-mail para o blog informando que na proxima terça-feira, às 8h, no Centro Cultural desta cidade, ocorrerá importante reunião contando com a presença da Delegada Regional do Trabalho de Mato Grosso.

LEIA O E-MAIL:

"Pra que essa reunião?
Foi solicitado a Delegacia Regional do Trabalho apoio para se informar as comunidades indígenas, incialmente as comunidades da Terra Indigena Rio Formoso, sobre o Programa de Economia Solidária e de que forma elas poderão ser incluídas no projeto.

Dia 19 deveremos sistematizar como será o primeiro contato com o povo das 05 aldeias da Terra Indígena Rio Formoso. O evento acontecerá no próximo dia 20 lá na aldeia Formoso.

Na reunião em Cuiabá, há dias passados, foram convidados para participação nesse programa, a FUNAI de Tangará da Serra, Unemat na pessoa do Prof. Clovis, Empaer e, estiveram presentes representante local, regional e estadual; Secretaria de Turismo do Estado de Mato Grosso e Secretarias de Educação e Planejamento de Tangará.

Então, estaremos reunidos no Centro Cultural e após o almoço estaremos deslocando para a aldeia Formoso, onde, as 18 horas inciaremos os trabalhos, no dia 20 da-se seguimento ás oficinas sobre economia solidária.

Assim sendo, estou passado esse comunicado, para, se possivel, dar cobertura ao evento, entrevistando a Delegada Regional do Trabalho no dia 19 pela manhã no centro cultural e outras pessoas que achar necessário."

Nota do Blog. Ok amigo Martins. Conte com nossa presença neste evento.

O PT das Botinas

Lamentável vê os ex-líderes estudantis Ságuas Moraes (UFMT) e José Jaconias da Silva (Unemat) como partidários do “Barão da Soja” de Mato Grosso, Blairo Maggi.

Jovens que tanto defenderam as justiças sociais, brigando, apelando pela imposição de seus ideais, hoje comendo no mesmo prato dos burgueses.

Defendendo a bandeira do Partido dos Trabalhadores, Ságuas fez seu nome como líder estudantil. Depois, se elegeu prefeito por duas vezes de Juína, uma das mais importantes cidades de Mato Grosso. Seqüenciando sua trajetória política, foi eleito duas vezes deputado estadual.

Neste ano, cai nas mãos da burguesia. Tornou-se porta-voz do sistema que manipula, agride e desrespeita os direitos sociais. E quem diria: como secretário da Educação.

Nosso bom rapaz que sempre se mostrou de pensamento socialista, tornou-se secretário de Estado de Educação de Mato Grosso, no governo do Barão da soja. O defensor das melhorias acadêmicas e estudantis, de modo geral, tornou-se aliado da força que regride a séculos em nosso País.

O jovem José Jaconias, quando estudante de Agronomia da Unemat/Tangará, foi brilhante. Magnífico. Politicamente, um menino invejável. Suas posições e ideais socialistas o fizeram vereador mais votado de Tangará da Serra, nas eleições passadas.

No entanto, na última sexta-feira, veio-me a grande decepção. Ságuas e Jaconias estavam ao lado do Barão da Soja, (oportunidade em que eram inauguradas as instalações da Escola Estadual 29 de Novembro de Tangará da Serra), ao invés de estarem defendo os direitos e aspirações dos estudantes universitários de Tangará.

Os acadêmicos só estavam buscando melhorias para a Universidade. Queriam Autonomia, melhor biblioteca, laboratório de pesquisa, casa de estudante, direitos básicos. Etc.

E os jovens Ságuas e Jaconias que tanto brigaram por esses direitos estavam ao lado do Poder. Ouviram o mandatário maior dizer suas besteiras e fingiram que nada acontecia.

Os universitários se sentiram como eu, sem representantes. Sem liderança políticas. Decepcionados.

Esse foi um dos motivos que me fizeram pedir desligamento do PT em 92 quando estudava Ciências Sócias na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Naquela década, o PT me decepcionou.

Quatorze anos depois, pensei em me filiar novamente ao Partido. Até cheguei a assinar a fichar. Mas em seguida, depois de testemunhar algumas atitudes nada parecidas com o que pensávamos, pedi que a sigla desconsiderasse meu pedido de filiação. As decepções tinham me atingido.

Ságuas Morais e José Jaconias, respectivamente, secretário de Estado da Educação e vereador-presidente da Câmara Municipal de Tangará da Serra, acredito, tem muita gente boa decepcionada com vocês.

Vocês deixaram de defender nossas causas quando se aliaram aos poderosos, mandatários. Sinceramente, querem saber qual é nossa impressão sobre vocês? Respondo. Foram mentirosos. Demagogos. Pleiteadores de poder e nada mais.

Que digam isso, as centenas de professores da rede estadual de ensino e os munícipes de Tangará da Serra. E, sobretudo, as pessoas que pensam e conhecem as podridões palacianas.

O PT de botinas é amigo dos plantadores de soja, que exportam seus produtos para alimentar animais no exterior. Dos fazendeiros que escravizam no interior de Mato Grosso. Dos que sonegam as verbas para a Educação e todas as instituições que fazem o Estado crescer e enviam para os deputados gastarem de forma desenfreada.

Não é este o PT que nasceu com o metalúrgico Lula da Silva e cresceu no ABC paulista e pelo País afora. Tendo como meta combater as injustiças sociais e políticas e o sofrimento do povo mais humilde.

Este PT de agora, nos envergonha. E a minha pessoa, particularmente.

Quatro dos 11 parlamentares federais de Mato Grosso têm problemas com a Justiça

Quatro dos 11 parlamentares federais de Mato Grosso têm problemas com a Justiça, ou seja, 36% dos oito deputados federais e três senadores.

Os dados foram revelados pela Organização Transparência Brasil e seguem a tendência nacional, que mostra que um terço do Congresso é alvo de ações judiciais ou de tribunais de contas.

Aparecem na pesquisa os deputados mato-grossenses Carlos Bezerra (PMDB), Pedro Henry (PP), Wellington Fagundes (PR) e o senador Jaime Campos (DEM).

Bezerra e Jaime estão em fase de apelação. LEIA MAIS