18 de junho de 2007

Sílvio Sommavilla comenta protesto dos acadêmicos da Unemat - Veja vídeo

Ouça agora os comentários feitos pelo apresentador Sílvio Sommavilla em seu programa Cidade Alerta, na TV VALE, afiliada da Rede Record, horas depois do protesto realizado pelos acadêmicos da Unemat de Tangará da Serra, contra o governador Blairo Maggi, na sexta-feira, 15 de junho de 2007.

Clique na imagem para assistir



Veja o vídeo do protesto dos acadêmicos da Unemat contra Blairo Maggi

Na última sexta-feira (15) o que era para ser uma linda festa de inauguração da nova Escola Estadual 29 de Novembro em Tangará da Serra, virou um evento totalmente avesso do planejado pelo cerimonial do governador Blairo Maggi.

Acadêmicos da Unemat local, revoltados com o caos que impera há tempos na instituição aproveitaram a oportunidade da visita do governador para protestar com tudo que tinha direito.

O vídeo a seguir, mostra apenas uma parte da pressão que foi dada no governador pelos acadêmicos, objetivando chamar a atenção da autoridade maior do Estado, para a situação deplorável que a Universidade do Estado de Mato Grosso vem passando.

Clique na imagem para assistir

Crianças da lágrima e do suor

Quase 3 milhões de crianças entre cinco e 15 anos trabalham no Brasil. O dado, do IBGE, foi lembrado pela senadora Patrícia Saboya (PSB-CE), presidente da Comissão de Assuntos Sociais (CAS).

Durante debate sobre o tema, especialistas observaram que, entre 2004 e 2005, cresceu o trabalho infantil no país.

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) atribuiu a culpa à mudança de conceito do programa de distribuição de renda, transformado de Bolsa-Escola para Bolsa Família. – Foi um efeito devastador. Se antes a pessoa recebia o dinheiro porque o filho ia para a escola, agora recebe porque é pobre.

Se antes dizia "vou sair da pobreza porque meu filho vai para escola", agora diz "se deixar de ser pobre, perco a bolsa" – afirmou Cristovam, que sugeriu o envio de carta ao presidente da República externando a indignação do Senado e propôs a criação de comissão para acompanhar a erradicação do trabalho infantil.

A corrupção corrói a política

O senador Cristovan Buarque (PDT) diz em seu blog que nunca em toda a sua vida política recebeu tantos e-mail como neste final de semana, quase todos de pessoas indignadas com a postura de grande parte dos políticos brasileiros.

As mensagens passam, além da indignação, a descrença na política, no Congresso, nas instituições e até mesmo na democracia. LEIA TODO O TEXTO - CLIQUE AQUI

98% dos universitários não acreditam nos políticos

Na região metropolitana de São Paulo, 98% dos universitários não acreditam nos políticos. Desses, 60% acham que o principal problema do país é a corrupção presente nos poderes executivo e legislativo.

Esses são apenas alguns dos dados obtidos pela pesquisa Perfil do Universitário da Região Metropolitana de São Paulo, encomendada pelo Centro de Integração Empresa Escola (CIEE).

Realizada pela Toledos e Associados, a pesquisa entrevistou 1104 graduandos de 40 instituições de ensino diferentes. Tamanha descrença pode ser um dos motivos da despolitização do estudante de ensino superior da grande São Paulo.

"Ao serem questionados sobre a posição política, 23% não sabiam ao menos do que isso se tratava", diz o presidente do CIEE, Paulo Nathanael Pereira de Souza.

Seguindo o que os estudantes acham sobre o país, a educação ficou em segundo lugar no ranking dos problemas mais graves. Clique aqui para ler a íntegra da matéria do portal Aprendiz.

Cefapro e Semec visitam escolas indígenas de Tangará



Passagem em afluente do Rio Sacre


Uma verdadeira aventura foi vivenciada neste mês de Junho pelos professores Feslisberto Pereira (Cefapro) e Edson Castoldi (Secretaria Municipal de Educação) numa visita que fizeram à algumas aldeias do povo Parecis em Tangará da Serra. Em todo tempo, acompanhados pela professora Nilse Zonizokemairo (halíti).

Eles foram até aquela localidade para observar as condições das unidades escolares e das vias de acesso, oportunidade em que também levaram merenda escolar, mesas de professor (a), mimeógrafos e outros materiais de uso nas escolas.

Foram visitadas as escolas das Aldeias Rio Verde, Batizá, Iliocê, Papagaio I e II, Sacre e Cabeceira do Osso ou Nova Esperança. Nessa ultima, a Prefeitura Municipal está construindo uma outra escola, agora de alvenaria, para atender a demanda do local.

O professor Édson atendeu a várias reivindicações dos indígenas, reclamações, queixas, anotando pedidos de materiais didáticos, mudas de árvores frutíferas para plantação ao redor das escolas, limpeza de pátio e construção de campo de futebol.

Os dois constataram ainda que há uma escola na aldeia da Cabeceira do Osso com precárias condições de uso: telhado de palhas de coqueiro já apodrecendo, piso de chão batido e outros problemas de ordem estrutural.

No entanto, um dos mais graves problemas, segundo os dois educadores, é a situação das estradas vicinais de acesso a essas aldeias.

Algumas dessas estradas estão praticamente intransitáveis, outras tomadas por “bancos de areia” e a passagem por um afluente do Rio Sacre, apresenta dificuldade que impossibilita ou dificulta a passagem de carros baixos.

Da sede do município à Cabeceira do Osso, são aproximadamente 265 km, sendo que a maior parte em estradas vicinais sinuosas em pleno cerrado arenoso. Como disse: uma aventura foi feita pelos dois educadores.


Ao centro, professor Felisberto. De camisa Azul, professor Edson Castoldi. Na companhia dos dois, uma professora de multi mídia da Aldeia Rio Verde

Repórter do Diário da Serra é agredido por trabalhadores de Usina

Chegando notícias para o blog dando conta que mais um jornalista tangaraense foi agredido fisicamente neste final de semana em pleno exercício da profissão.

Trata-se do repórter Evandro, que a menos de dois meses reside em Tangará, funcionário do decano Diário da Serra.

Sábado, por volta das 18h30, ele foi cobrir uma manifestação realizada por trabalhadores de uma usina de Alcool, na rodovia - trecho entre os municípios de Nova Olímpia e Barra do Bugres.

Ao chegar no local, oito homens, dois deles armados com facão, foram contra ele, agarrando-o fortemente pelo braço fazendo ameaças.

O profissional passou maus bocados nas mãos dos agressores. Um de seus braços está parcialmente coberta por hematomas.

Ele não registrou queixa na Polícia porque não sabe identificar nenhum dos seus agressores. Mesmo assim, fica o protesto deste blog, contra a péssima atitude dos trabalhadores de tal Usina.

Repórter do SBT registra BO contra segurança de Blairo Maggi

O jornalista do SBT de Tangará da Serra, Renan Coelho, registrou Boletim de Ocorrência na última sexta-feira (15), contra um oficial da PM que o teria agredido fisicamente.

O lamentável fato, de conhecimento público, ocorreu por ocasião da inauguração da Escola Estadual 29 de Novembro, neste município, quanto o repórter tentou se aproximar do governador Blairo Maggi, com intuito de fazer uma entrevista.

Renan teria recebibo pelo menos três fortes socos nas costelas, sendo necessário atendimento médico de urgência.

O possível crime cometido pelo segurança do governador gerou descontentamento geral na imprensa tangaraense. Unidos, todos os profissionais aguardam que a Justiça adote as devidas providências contra o triste episódio.

Cerca de 74% das crianças menores de 5 anos já foram vacinadas contra a poliomelite em Tangará

Mais de 100 servidores da secretaria municipal de Saúde de Tangará estiveram mobilizados no último sábado para o cumprimento da primeira etapa da Campanha Nacional de Multivacinação deste ano, que trouxe com o tema “Duas Gotinhas eu Tomei”.

Ao todo, 3.200 crianças menores de cinco anos foram imunizadas contra a poliomelite, o que equivale a 73,64 % da meta estipulada no município.

Até o dia 19 de julho, todos os Postos de Saúde e PSF’s do município estarão vacinando as crianças contra a poliomelite.

As que estiverem com a vacinação atrasada, poderão ainda solicitar outros imunobiológicos, como a tetravalente, a tríplice viral e a hepatite B.

A meta municipal é imunizar 7.000 mil crianças menores de cinco anos.

Ouça "É Bem Mato Grosso" de Pescuma, Henrique e Claudinho


É Bem Mato Grosso - Pescuma, Henrique e Claudinho