27 de junho de 2007

Existe total liberdade de expressão no Brasil?

Proferi palestra ontem à noite na Escola Estadual 13 de Maio em Tangará da Serra, para jovens concluintes do Ensino Médio.

Atendendo convite que me fizeram na semana passada, fui à escola para discorrer sobre o tema: "Liberdade de expressão - existe em nosso país"?

Garanto ao webleitor que fui sincero suficiente para informar àqueles concluintes que ainda não há total liberdade de expressão no Brasil.

Disse-lhes que por causa do poderia econômico se sobrepor ao ideológico, nós jornalistas, continuamos escrevendo, falando e divulgando aquilo que criamos, com muito cuidado. Para não dizer que os jornalistas empregados ainda têm suas criações checadas pela editoria para ver se não ferem esse ou aquele grande anunciante.

Contei-lhes que a maioria dos veículos de comunicação ou é de propriedade de políticos poderosos ou está atrelada a eles.

Essa seria, disse-lhes, a grande barreira que continua impedindo, mesmo depois da Constituição de 1988, o jornalista manifestar seu pensamento publicamente e de fato dizer o que precisaria ser dito.

Imagino que aqueles jovens que iniciarão uma faculdade no próximo ano, devam estar cientes que a democracia avançou muito, mas o cidadão de modo geral, ainda não pode radicalizar em seu direito de expressão. Há menos, disse, que queira ser enquadrado em algum tipo de retaliação.

É claro que a palestra envererou por outros ângulos da chamada liberdade de expressão. Mas convém dizer nesse espaço somente isso: eu ainda não posso dizer tudo o que gostaria e muito menos escrever, embora sendo verdade, sobre uma série de assuntos.

Disse para eles: por enquanto vou até onde posso e devo ir, guardando minhas centenas de textos livres, para publicar quando um dia a máxima liberdade de expressão chegar.

PF apreende cerca de meio milhão na casa de Nilson Leitão

Quarenta dias depois, o cerco começa a fechar de novo em torno doprefeito de Sinop, Nilson Leitão, que já esteve preso por quatro diassob acusação de ter recebido R$ 200 mil de propina para contemplar aempreiteira Gautama, de Zuleido Veras, em licitação para obra deesgotamento sanitário.

Durante a Operação Navalha, quando agentes da Polícia Federal fizeram busca e apreensão da residência do prefeito einclusive levaram-no preso, foram recolhidos R$ 450 mil.

O montanterepresenta a soma de dólares, reais e mais de R$ 20 mil em cheques.

Agora, o Ministério Público quer saber a origem do dinheiro. Quemestá à frente da nova investida é a promotora de Justiça Laís GlauceFerlin.

No depoimento junto ao Superior Tribunal de Justiça, momentosantes de ser libertado, Leitão não explicou a origem da grana e muitomenos dos cheques.

Maggi chega a Campo Novo do Parecis para cerimônias esportivas

O governador Blairo Maggi e secretários de Estado foram recebidos em Campo Novo do Parecis pelo prefeito Sérgio Stefanelo, por volta das 9h.

Essas autoridades estão no município para participação da celebração e recepção da Tocha dos Jogos Pan-Rio 2007 em passagem por Mato Grosso.

Por volta do meio dia seguirão para a aldeia Quatro Cachoeiras, da etnia paresí e localizada na terra indígena Utiariti, onde serão recebidos pelo cacique Narciso e líderes indígenas presentes.

Outros políticos da região interessados em pousar nas fotos, também estão dando as caras em Campo Novo. Para esses, vale tudo para aparecer pertinho da tocha. Tudo por uma boa imagem.

Prefeito poderá ser afastado e ter bens pessoais bloqueados pela Justiça

A situação está feia para o prefeito de Alto Boa Vista, Mário Cezar Barbosa. Seu afastamento do cargo com bloqueio de bens pessoais deverá acontecer em questão de horas.

O pedido para ação está sendo feito pelo Tribunal de Contas ao Ministério Público Estadual.

Pesam contra Mário uma série de acusações.

De acordo com o relator do processo, conselheiro Valter Albano, as contas do prefeito apresentaram 16 irregularidades, 14 delas de natureza grave e gravíssima.

O relatório do TCE aponta emissão de 10 cheques sem fundos, realização de despesas da ordem de R$ 777,6 mil sem empenho, outras realizadas como se fossem licitadas, mas que de fato não foram, despesas sem comprovação, ausência de pagamento de débitos inscritos em Restos a Pagar de anos anteriores, atraso na remessa de documentos e informações ao TCE.

O prefeito terá que produzir provas muito bem abalizadas se quiser se livrar do turbilhão de problemas que se alastra pela frente.