1 de julho de 2007

O grito de desabafo que ainda não bradou

Não podemos reclamar de nada.

Somos todos culpados.
Aceitamos tudo.
Essa resignação talvez explique o sucesso da atriz Cris Nicolotti cantando Vai tomar no c… no site YouTube.

Imagino que é o que muito brasileiro gostaria de falar para alguns outros brasileiros.

Caros webleitores, por hoje chega de notícia ruim.

Tenha um bom domingo e descanse em paz!

Lembrando os poetas da verdade

“Luiz Inácio falou, Luiz avisou
São 300 picaretas com anel de doutor…
Lobby, é conchavo, é propina e jeton”

“Que país é este? Nas favelas, no Senado, sujeira pra todo lado.”

“Se gritar pega ladrão
Não fica um, meu irmão”

“Se entrar no supermercado... Você é roubado
E se andar despreocupado... Você é roubado
E se pegar no ponto errado... Você é roubado
E também se votar pra deputado... Você é roubado
Certo! Tem sempre 171 armando fria
Tem ladrão lá no Congresso, na fila da padaria
Ladrão que rouba de noite, ladrão que rouba de dia”

“Estão nas mangas dos Senhores Ministros
Nas capas dos Senhores Magistrados
Nas golas dos Senhores Deputados
Nos fundilhos dos Senhores Vereadores
Nas perucas dos Senhores Senadores

Senhores!
Senhores!
Senhores!
Minha Senhora!
Senhores!Senhores!
Filha da Puta!
Bandido!
Corrupto!Ladrão!”

O webleitor sabe de quem são esses versos? Lembra-se dos Paralamas do Sucesso, Legião Urbana, Titãs, Ary do Cavaco e Bezerra da Silva?

Êita caras arretados da gota serena!

Senado não divulga gastos

A reportagem do site Congresso em Foco tentou fazer a mesma análise nas contas do Senado, onde o vencimento bruto também é de R$ 12.847,20 e os senadores dispõem, ainda, de carro oficial para se locomoverem.

Porém, a assessoria de imprensa da Casa informou que seria impossível repassar os dados e sugeriu como alternativa uma pesquisa sobre os custos de cada um dos 81 gabinetes parlamentares.

Surpreso com as benesses oferecidas pelo cargo, o ex-senador Darcy Ribeiro chegou a imortalizar a seguinte frase: "O Senado é melhor que o paraíso". Um espaço onde até mesmo as informações sobre os gastos públicos continuam inacessíveis.

Em outro levantamento, publicado no início do ano, o Congresso em Foco também não obteve do Senado a lista de freqüência dos senadores relativa ao ano passado (leia mais).

Sabe-se que, além de invejável estrutura administrativa e dos funcionários de seus gabinetes, lotados nos estados pelos quais foram eleitos ou em Brasília, os senadores têm direito a um telefone celular funcional, cedido a cada parlamentar (leia mais).

Curiosamente, os deputados acabam sendo mais expostos pela maior transparência da Câmara, que mantém atualizadas informações sobre gastos e assiduidade dos parlamentares.

Dados que podem ser acessados, diariamente, na página da Casa na internet. Apesar dos recursos de que dispõe, o Senado não oferece a mesma ferramenta para que o eleitor fiscalize o seu representante.

NOTA DO BLOG: Para minha pessoa isso tem nome: gato no pote!

Quanto custa um deputado federal para os brasileiros

O Congresso em Foco calculou ainda o custo médio mensal de um deputado, que é de R$ 102.600,71 – suficiente para pagar 270 trabalhadores que recebem o salário mínimo de R$ 380.

Esse valor inclui o rendimento bruto, mais a verba de gabinete, auxílio moradia, verba indenizatória, gastos com transporte aéreo, além de assinatura de jornais e revistas e gastos com gráficas.

No total, a Câmara gasta por mês, com os seus 513 deputados, R$ 52,6 milhões – a despesa total em um ano chega a R$ 657 milhões, em média.

O Congresso em Foco procurou a secretaria de comunicação do Senado para fazer levantamento semelhante em relação ao custo mensal de cada senador.

O departamento informou que o diretor, única pessoa responsável por tais números, está em férias.

Este site, no entanto, também não conseguiu apurar os valores gastos pelos senadores no levantamento que realizou no ano passado (leia). Sabe-se, contudo, que ele é superior ao dos deputados.

NOTA DO BLOG: Está explicado porque essa turma anda feito louca em busca do voto nos períodos eleitorais.

Reajuste dos parlamentares custará R$ 32,6 milhões a mais, por ano

O site Congresso em Foco divulga neste primeiro de julho que no último mês de maio, o Congresso aprovou o reajuste de 28,5% no salário bruto de deputados e senadores, elevando os vencimentos de R$ 12.847 para R$ 16.512.

Para cada congressista, o aumento, retroativo a abril, foi de R$ 3.664,89, mas para os cofres públicos, esse reajuste representará um acréscimo anual de R$ 32,6 milhões.

Isso porque cada um dos 594 parlamentares – 513 deputados e 81 senadores – não recebem 13 salários, como a maioria do povo brasileiro, mas sim 15: no início e no final de cada ano, eles têm direito a receber uma ajuda de custo, no mesmo valor do vencimento.

Levantamento feito pelo Congresso em Foco mostra que, antes do reajuste do último mês, o Congresso destinava anualmente R$ 114,5 milhões. Agora, com o reajuste, o valor anual destinado ao pagamento de deputados e senadores será de R$ 147,1 milhões.

Ressalte-se que nessa conta não entram outros benefícios a que têm direito os congressistas – e com valores, muitas vezes, superiores aos seus salários –, como verba de gabinete, verba indenizatória, gastos com passagens aéreas, auxílio moradia, entre outros.

Se todos os 513 deputados usassem o valor a que têm direito, ao final de um ano isso representaria um gasto de R$ 657 milhões.

É ou não de larcar o cano? Com a palavra o eleitor brasileiro.