5 de julho de 2007

Vereador quer verba menor para comunicação em Tangará

Ouvi falar que um vereador tangaraense está lutando para que a verba municipal destinada a investimentos com comunicação, seja drasticamente reduzida no ano que vem.

Coisa do tipo, ao invés dos 1,5 por cento atuais, apenas 0,5 por cento.

Essa idéia não poderá vingar. A prefeitura precisa de recursos para investimento em campanhas publicitárias que beneficiem o cidadão.

Sem dinheiro, não haveria como o governo municipal se comunicar bem e a contento, com o cidadão, que precisará sempre de orientação e conscientização de seus direitos e deveres sociais.

Recursos para comunicação não podem ser reduzidos.

Magnata do Evangelho vem a Tangará da Serra

O magnata do Evangelho R.R Soares, está sendo aguardado com muita expectativa em Tangará da Serra. Acompanhado de vários cantores gospels, ele virá a cidade para promoção de um show na Praça dos Pioneiros.

A propaganda sobre a vinda de R.R à Tangará, está tendo o mesmo nível das feitas para os ídolos das grandes multidões.

Muita gente "enferma" da alma, movida pela publicidade, já está preparando um dinheirinho para comprar qualquer que seja o produto das empresas da Igreja Internacional da Graça, que será oferido por R.

Organizadores do evento gospel estão garantindo presença de grande multidão na Praça. Também estão garantindo que R.R operará muitos milagres em o nome de Jesus.

Este escrevinhador de província, por certo estará presente para ouvir e ver as obras beneficentes que o religioso fará em favor das pessoas mais humildes de Tangará da Serra e região.

Crise grave na universidade do Estado - Unemat

A cientista social e professora da Universidade do Estado de Mato Grosso, campus universitário de Tangará da Serra, Marinês Rosa, encaminha para este blog, cópia da Carta dos docentes da instituuição, às autoridades constituídas e imprensa. Deve ser lida e refletida.

A Universidade do estado do Mato Grosso - UNEMAT - vive um momento de grande tensão, com vários problemas de gestão e de orçamento que comprometem a continuidade da sua existência.

Está agendada para às 9h de sexta-feira, dia 06, uma reunião com deputados, secretários estaduais, gestores e professores da Instituição, no auditório da Assembléia Legislativa, para que uma solução seja encontrada antes que a crise se torne mais grave.

Dentre os problemas a serem enfrentados destaca-se o do orçamento , incompatível com o crescimento da universidade em vários municípios do estado. Muitos cursos foram abertos para atender as demandas das regiões (geralmente a iniciativa partiu da classe política em acordo com a reitoria) sem que se fizesse um estudo da viabilidade dessas implantações.

Além disso, dos professores recentemente aprovados em concurso, muitos doutores assumiram, deslocaram-se com a família para este estado e já pediram demissão.

Há o risco de mais doutores abandonarem a Unemat, pois foram contratados para um regime de apenas 20h, sem vínculo com pesquisa, o que os fará perder sua credibilidade acadêmica, sem falar na perda da própria instituição que, ao não garantir dedicação exclusiva para seus professores mestres e doutores, não promove a pesquisa e sem pesquisa não poderá manter seu credenciamento como universidade, ou seja, deixará de existir.

Atualmente, muitos bolsistas e professores substitutos estão com salários atrasados e há várias questões estruturais comprometendo o funcionamento dos cursos. Somado a isso há o problema da intervenção do governo na autonomia da universidade, através da criação do núcleo sistêmico, ferindo a constituição.

Mas há também uma questão grave, para a qual o sindicato que representa todos os servidores exige uma urgente solução. De um lado, a fala de representantes do governo indica que o dinheiro da Unemat está sendo mal gerenciado, prova disso são as contas reprovadas pelo tribunal de contas.

De outro, a reitoria até o momento não se pronunciou prestando esclarecimentos à comunidade acadêmica sobre o fato. Professores, funcionários e alunos dos diversos campi têm feito passeatas e paralisações para chamar a atenção da comunidade sobre a real situação da universidade pública do estado.

A tensão tem aumentado e vários movimentos serão desencadeados daqui para a frente, até que governo e reitoria dêem respostas e tomem atitudes que impeçam a morte da Unemat.

Muitos alunos, muitas famílias e o próprio desenvolvimento sustentável do estado do Mato Grosso estão sendo prejudicados com a crise da instituição. Mais informações no site: www. adunemat.org

A matéria é assinada pela adunemat (Associação dos Professores da Universidade do Estado do Mato Grosso) – sub seção Tangará da Serra/MT.