10 de setembro de 2007

Música para fim de tarde

What a Wonderful World - Louis Amstrong. Uma das mais belas canções que ouvi em toda a vida. Para ouvir - clique na imagem!

Projeto define percentual de meia-entrada para estudantes e idosos

A proposta dos senadores Flávio Arns e Eduardo Azeredo que regulamenta os descontos para ingresso em espetáculos artísticos, culturais e esportivos cria normas para que a emissão das carteiras estudantis seja feita por um órgão oficial e define um percentual de descontos para estudantes e idosos.

A proposição definirá também variações de descontos para diferentes dias da semana, como ocorre em Porto Alegre, onde vigora a lei proposta pela então vereadora e atual deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB-RS). A lei garante aos estudantes desconto de 10% nos finais de semana e feriados e de 50% nos demais dias da semana.

Assim, enquanto o valor do ingresso "inteiro" no fim de semana, das empresas cinematográficas Cinemark e Unibanco Arteplex, em todo o país oscila entre R$ 16 e R$ 17, em Porto Alegre o preço é de R$ 13.

Por sua vez, o presidente da Comissão de Educação, senador Cristovam Buarque (PDT-DF), lembrou que milhões de jovens que estão fora da escola no Brasil não têm esse privilégio de ter desconto para ir ao cinema ou ao teatro. Ele defendeu mais investimentos para oferecer educação e cultura para todos.

Fonte: Jornal do Senado.

Tangará precisa de mais casas lotéricas

Tangará da Serra, uma cidade com 75 mil habitantes, tem apenas duas casas lotéricas.

Não estaria na hora de algum empresário torna-se digno e abrir mais uma dessas casas na cidade?

Imagino que seja um grande negócio para quem se aventurar na empreitada.

Além disso, os consumidores tangaraenses agradeceriam imensamente a iniciativa.

As duas casas em atividade, não estão mais suportando o tamanho da clientela. Como nas agências bancárias, as filas nessas lotéricas têm se tornado quilométricas.

O que não deixa de ser um absurdo. Coisa ruim...chata, etc.

Elas foram o charme da Exposerra 2007

A rainha da Exposerra, Fernanda Lima, ladeada pela 1ª princesa Bruna Furquim, da Associação Tangaraense de Ensino e Cultura (Atec) e 2ª princesa, Juliana Rodrigues acadêmica da Unicen, atraíram os olhares de todos durante o evento que se encerrou nesta madrugada de segunda-feira (10)

´´O CHEFE`` O livro proibido

"O CHEFE"O livro proibido sobre as "falcatruas" do Governo Lula, que compila todos os seus escândalos, não conseguiu ser publicado! Todos se negaram a publicá-lo. Assim sendo, seu autor resolveu colocá-lo na Internet à disposição, para leitura e divulgação. No site: http://www.escandalodomensalao.com.br/

Segredos do estado

O blog abre espaço nesta segunda-feira (10) para publicação de artigo da economista Adriana Vandoni. Este eu li! Leia-o também...

Fui convidada para participar de um encontro para debater as perspectivas de desenvolvimento em Mato Grosso diante do boom do etanol. Fui, mas meu objetivo nem era tanto saber dos benefícios e da viabilidade de produção no nosso estado, mas ouvir o governador de Mato Grosso, o empresário Blairo Maggi. Imaginei vê-lo relatando os projetos já em andamento para atrair indústrias, para incentivar a produção, enfim... se nada disso ele tivesse para dizer àquela enorme platéia, então ouviríamos o governador explicar as razões do estado não ter interesse em entrar nesse mercado.

Nem isso.

Na segunda-feira à tarde (03/09), horário do encontro, o empresário Blairo Maggi estava, estava... em local desconhecido do público. Não foi liberada a agenda, como de costume. Liguei então na secretaria de comunicação, mas a resposta foi: “o governador não teve agenda na segunda-feira”. Fiquei com vontade de dizer que sim, ele tinha compromisso, tinha uma platéia inteira esperando para ouvi-lo, mas ele faltou. Ah, estava descansando. Tudo bem. Tem todo direito. E teria mais direito ainda se não fosse o empresário, governador do estado. Está certo que ele mandou o super vice, mas este só tem representatividade figurativa, sem autonomia administrativa.

A falta de interesse neste tema parece um mistério.

Conversei com o representante de um grupo europeu que veio pesquisar a viabilidade de instalação de uma usina no estado. Depois de muitas reuniões, audiências e viagens a todos os cantos de Mato Grosso, ele me disse: “ficou claro que o governador não tem o menor interesse no desenvolvimento deste setor no estado, pois não pertence a sua matriz de negócios pessoais, pelo contrário, o setor é concorrente às suas atividades, pois pode tirar produtores da escravidão da soja”.

O executivo lança a suspeita de que interesses pessoais estejam interferindo nas questões públicas. Esta é a justificativa mais plausível, afinal de contas, como entender os motivos do estado perder a oportunidade deste nicho de mercado? Até por ser o governador um empresário que sabe muito bem a importância de diversificar a produção e que sabe como ninguém aproveitar as oportunidades de mercado.

Aliás, o governador parece viver um transtorno bipolar. Quando é preciso o Blairo governador, ele age como o empresário. Quando o estado precisa da visão do empresário, ele brinca de governador. Quer ver só? Neste caso do etanol, se ele estivesse visando o desenvolvimento do estado, e usando para isso o seu tino empresarial, o estado não perderia o investimento do grupo europeu, por exemplo, e veríamos o presidente da Transpetro acenando com a possibilidade de um alcoolduto.

Já no caso da venda da dívida do estado, que seria preciso a atuação do governador, ele se comporta como empresário. Segredo comercial com a dívida pública?

Ah... meus anjinhos, segredo comercial é para negociação privada e o estado ainda não é um departamento da Amaggi, entenderam? Esta dívida está sendo paga por todos os contribuintes, pelos pagadores de impostas daqui, ela não é da empresa do governador. A população tem o direito de saber tintim por tintim e o governador tem a obrigação legal de ser transparente.
Vi na agenda do governador que na quarta-feira passada ele tinha um encontro com o representante do Crédit Suisse First Boston, um dos interessados na compra secreta da dívida pública. Achei instigante o fato deste banco integrar um consórcio de bancos que viabilizou um financiamento de US$ 230 milhões ao grupo Amaggi, do empresário Blairo. Seriam interesses comuns? Instigante!

Ah, governador, agora vou te contar um segredo: Mato Grosso está pegando fogo. Literalmente. E a imprensa nacional está te chamando de Nero. Ô gente maldosa!

Adriana Vandoni é economista, especialista em Administração Pública pela Fundação Getúlio Vargas/RJ. Site: www.prosaepolitica.com

Outros sanguessugas acusados pelo MPF

O Ministério Público Federal em Mato Grosso denunciou mais cinco ex-deputados federais e um assessor parlamentar por envolvimento com a máfia das sanguessugas.

São eles: ex-deputados federais João Correia Lima Sobrinho (PMDB-AC), João Batista dos Santos (PT-MS), o João Grandão, Rubeneuton Oliveira Lima (DEM-SP), Vanderlei Assis de Souza (Prona-SP), Édna Bezerra Sampaio (PTB-SP) e Marion Pereira Gomes, que era chefe de gabinete da então deputada Édna Bezerra.

Agora, sobe para 166 o número de pessoas acusadas formalmente de ligação com o esquema de recebimento de propina através do superfaturamento de preço de ambulâncias, a partir da empresa Planam, dos empresários mato-grossenses Luiz e Darci Vedoin -confira a listagem no quadro à direita.

Com informações da Gazeta.