25 de outubro de 2007

Precisamos promover uma grande revolução em prol do ser humano

Quem vale mais: os seres humanos ou os objetos? A vida ou o materialismo? O que estamos valorizando acima das pessoas? O que você pensa da preservação do meio ambiente? Dos rios, lagos, a água doce que consumimos? Da estrutura que nos matém vivos?

Imagino que temos uma grande dívida para resgatar com nós mesmos.

Há dias venho pensando nisso. Por isso estou convocando a espécie humana para fazermos uma grande revolução em prol dos seres humanos (nós mesmos).

O vídeo postado neste blog era o que estava procurando para ilustrar minha maneira de pensar. Por isso, resolvi compartilhar com você webleitor em qualquer parte do planeta Terra.

Estamos ou não em guerra nas principais cidades do Brasil?

Um absurdo! O que ouvi ontem no jornal: Tarso Genro realmente acredita que NÃO estamos vivendo uma situação de guerra nas principais capitais do Brasil!

Talvez ele que saia de sua casa em carros blindados e sobreviva com muitos seguranças em volta não sofra as consequências que nós assistimos todos os dias...

As Forças Armadas são treinadas para outro tipo de ação.

Homens que fazem uma intervenção já num âmbito, numa visão de guerra, portanto não há adequação do seu treinamento para função de policiamento, explica o ministro da Justiça, Tarso Genro.

E VOCÊ, ACHA QUE O BRASIL ESTÁ OU NÃO VIVENDO NUM CLIMA DE GUERRA?

Cuidado com o leite que você compra para seu filho!

Charge de Junhão publicada hoje no jornal Diário do Povo. Neste país quase tudo já foi falsificado, adulterado, pirateado...Agora é a vez do leite. Será possível que a bandidagem não poupa nem mesmo a saúde de nossas crianças, maiores consumidoras?

Situação de "Infiéis" será decidida hoje

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deve definir na sessão de hoje (25), que começa às 19h, como serão punidos os políticos que mudaram de partido após a eleição.

Segundo entendimento dos ministros, a vaga é do partido e não do parlamentar.

Agora será decidida a regra,ou processo administrativo para julgar e punir os infiéis - que valerá tanto para os cargos majoritários quanto para os proporcionais.