28 de outubro de 2007

Brasil cai no ranking de liberdade de imprensa

Do Portal Comunique-se:

“O Brasil ocupa a 84ª posição no ranking elaborado pela organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF). Segundo a ONG, foram registrados casos de violência contra jornalistas no Brasil, embora não cite números. A posição do País piorou. No ano passado, o Brasil ocupava o 75º lugar. Este ano recebeu nota 25,25, enquanto em 2006 teve nota 17,17. O ranking faz parte de um relatório sobre a classificação mundial da liberdade de imprensa em 169 países.

A Islândia e a Noruega são os melhores lugares para jornalistas trabalharem. Receberam nota 0,75 e estão, respectivamente, na primeira e segunda posições, seguidas da Eslováquia e Estônia, ambas com nota 1.

Blogueiros também não escapam da repressão. Quem se utiliza da Internet para informar também está na mira de regimes e grupos interessados em acabar com o direito à liberdade de expressão. Na Malásia (124ª posição), por exemplo, e também na Tailândia (135ª) e Egito (146ª) blogueiros foram presos e sites tirados do ar.

“Estamos muito preocupados com a multiplicação de casos de censura na rede. Cada vez há mais governos que se utilizam do papel de julgar a Internet na luta pela democracia e criam novos meios de censurar a rede. Agora as autoridades dos países repressivos atacam os blogueiros e os jornalistas com a mesma força que atacam os trabalhadores de meios de comunicação tradicionais”, explica a ONG.

Pelo menos 64 pessoas que escrevem blogs foram detidas. A China está na liderança neste caso com 50 internautas presos.”

A notícia é triste. Mas extremamente importante para todos nós. Falta de liberdade de imprensa não é problema apenas para uma instituição ou empresas. É problema para a sociedade que se vê sem liberdade de pensamento e expressão, sem ter acesso as informações de que precisa para se autogovernar e gerir.

O relatório da ONG pode ser visto aqui.

NOTA DO BLOG: Isso só confirma o que disse neste mês em entrevista a um canal de televisão de Tangará da Serra. "Infelizmente, eu, Dorjival Silva, profissional do jornalismo há 18 anos, não tenho liberdade para escrever ou falar o que deveria". Como este jornalista, milhares de profissionais dizem o mesmo: "Não temos liberdade de imprensa" no Brasil. Nosso consolo é que a sociedade já sabe o por quê das algemas que põem em nossas mãos...


Fonte: Privado-público

Nenhum prefeito corre risco de cassação em Mato Grosso

No caso dos prefeitos, nenhum dos administradores municipais correm risco de cassação, apesar do grande número de infiéis, já que mais de 80 mudaram de filiação após a eleição do ano passado.

Grande parte deles, ou seja, 74, foi para o PR para se alinhar com o governo do Estado.

Cerca de 40 migraram apenas do PPS, levando a legenda presidida pelo deputado estadual Percival Muniz ao esvaziamento.

O frio na barriga de muitos foi intenso. Mas o perigo passou. Fica apenas a advertência para os anos vindos.

Mais de 200 vereadores "infiéis" poderão perder mandato em MT

Mais de 200 vereadores de municípios mato-grossenses estão na corda bamba, podendo ser cassados o mais breve possível por terem trocado de partido depois do dia 27 de março deste ano.

A navalha do supremo deverá atingir parlamentares de 141 municípios, conforme disse a um jornal da capital neste sábado, o presidente da União das Câmaras Municipais do Estado (UCMMT), Aluízio Lima.