13 de novembro de 2007

Educação oferecida por Blairo e Ságuas recebe reprovação total

Mesmo que propaguem investimentos na rede física e na capacitação profissional, os números reprovam o governador Blairo Maggi e o seu secretário de Educação, deputado Ságuas Moraes, militante de um PT que tem mania de dizer que sabe os caminhos que conduzem aos projetos educacionais de "sucesso". O Estado figura entre as piores estatísticas quanto à qualidade do ensino. A culpa não é totalmente do governo atual. Recai também sobre seus antecessores, como Dante de Oliveira (1995/2002), Jaime Campos (91/94) e Carlos Bezerra (87/90), entre outros.

A repercussão negativa em todo o país ganhou contorno com duas reportagens no Fantástico (Rede Globo), levadas ao ar no domingo (11). Uma, por meio de um provão, apontou duas instituições de Cuiabá cujos alunos submetidos aos testes tiraram as piores notas - veja aqui. Uma outra reportagem mostra uma escola municipal construída a pau-a-pique em Nossa Senhora do Livramento - aqui. Uma vergonha nacional.

Ao invés de buscar alternativas, Ságuas preferiu emitir uma nota. O governador também colocou em xeque o grau de confiabilidade no provão. Assim, ambos sentaram em cima dos problemas. Além disso, a Capital cuiabana aparece como a quarta pior capital brasileira no desempenho do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem, em 2006). Mostra, dessa forma, que as políticas educacionais adotadas no governo Maggi estão reprovadas.

No controle de um orçamento de R$ 800 milhões por ano, o secretário Ságuas terá de explicar os rumos da educação no Estado. Assim que tomou posse, prometeu melhorias nos indicadores nacionais na Prova Brasil e no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica. O efeito está sendo contrário. O PT prova do próprio veneno.

Cerca de 50% das 643 escolas estaduais não possuem bibliotecas e, quando há, o acervo de livros limita-se a doações da comunidade ou daqueles enviados pelo Ministério da Educação (MEC). Nas unidades da rede municipal a realidade é a mesma. As instituições, em sua maioria, não têm infra-estrutura adequada e muito menos acervo diversificado.

O Estado está longe de atingir as metas brasileiras do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), criado pelo governo federal para medir a qualidade da educação oferecida no Brasil. Os 3,6 pontos alcançados em 2005 estão abaixo da média nacional (3,8 pontos) e devem subir para 5,5 até 2021. Não se tem uma política pedagógica definida, diretrizes e metas. Estamos todos com notas vermelhas.(Texto de Romilson Dourado).

Ex-prefeito de Brasnorte é obrigado a devolver mais de R$ 1,3 milhões

O ex-prefeito do município de Brasnorte Ezequias Vicente da Silva, que esteve no cargo entre 1997 e 2000, foi condenado a ressarcir integralmente R$ 1.332.589,78 aos cofres públicos municipais, além de pagar multa no valor de R$ 611.846,50 por atos de improbidade administrativa.

Ele também foi condenado à perda de função pública, à suspensão dos direitos políticos por cinco anos e à proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios e incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, pelo prazo de cinco anos.

A sentença foi proferida pelo juiz Francisco Ney Gaíva, titular da Comarca de Brasnorte, nos autos da ação civil pública nº. 215/2004. O município alegou que a auditoria referente à gestão de Ezequias constatou uma série de irregularidades, entre elas o desaparecimento de bens pertencentes ao patrimônio público municipal, no valor total de R$269.806,73.

O sumiço foi apurado em março de 2001, quando ele já não ocupava mais o cargo. Além disso, mesmo sabendo que não poderia assumir obrigações que não pudessem ser pagas no final do exercício de 2000 - quando a Lei de Responsabilidade Fiscal já estava em vigor -, o ex-prefeito contraiu empréstimos em nome o município no último ano de mandato.

Ele deixou para o seu sucessor restos a pagar no valor de R$1.082.915,71. Conforme informações da ação, o passivo deixado pelo ex-prefeito corresponde a quase dois anos de arrecadação do município.

Prefeito de Nortelândia terá que devolver dinheiro aos cofres públicos

A assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de Mato Grosso envia nota ao blog informando que o prefeito de Nortelândia (MT), Vilson Ascari, foi condenado a ressarcir os cofres públicos municipais por ato de improbidade administrativa. Esta é a segunda condenação do prefeito, em menos de dois meses, pela mesma acusação.

Diz ainda a assessoria que desta vez, a juíza Ana Graziela Vaz de Campos Alves Corrêa, titular da Vara Única da comarca local, determinou que ele devolva ao erário do município R$ 66, referentes ao pagamento do emplacamento de um carro da prefeitura com os números das legendas partidárias a que ele, o vice-prefeito Antônio Xavier Meira e o tesoureiro Aldemar Xavier Meira são filiados.

O prefeito é filiado ao PP, legenda registrada com o número 11. O vice-prefeito e o tesoureiro pertencem ao PSDB, cujo número é 45. O carro oficial da prefeitura, um VX Santana, recebeu a placa JYV-4511. Para que os números fossem escolhidos e a placa não tivesse uma numeração aleatória, a prefeitura teve que pagar taxa adicional de R$ 66 ao Ciretran local.

Se os números tivessem sido escolhidos ao acaso, não seria necessário pagar esse valor. Por conta dessa infração, a juíza condenou por ato de improbidade administrativa o prefeito, o vice-prefeito e o tesoureiro, que efetivamente providenciou o emplacamento.

Segundo consta no processo, os três, ao escolherem a placa do veículo a ser utilizado pelo gabinete do prefeito, pretenderam enaltecer e homenagear os partidos políticos aos quais eles são filiados, utilizando para tanto bem e dinheiro público.

Citado, o prefeito - ordenador de despesas - apresentou contestação alegando inexistência de ato de improbidade e pedindo a improcedência do pedido.

Conheça o homem que diz ser Jesus Cristo

Qual o limite da ignorância? O que faz uma pessoa pensar que é Deus, o Supremo Criador do universo? O que levaria uma pessoa crê cegamente noutra a tal ponto de endeusá-la?


O vídeo que você verá agora, mostra o que podemos ententer como o cúmulo da aberração em que parte dos seres humanos se meteu. Um mortal acredita ser o galileu Jesus Cristo e milhões espalhados pelo mundo entendem que isso é a mais pura verdade.

Fantástico mostra verdadeira cara da educação brasileira

Vamos assistir novamente a reportagem que o Programa Fantástico (Rede Globo) divulgou no último domingo (11), sobre a situação da Educação em nosso País. Caso o webleitor não tenha tido a oportunidade de vê-la, prepara-se para ver agora e se indignar.

A Educação pública e gratuita do Estado de Mato Grosso, como já se esperava, está em situação periclitante. O Provão aponta que em Cuiabá, as duas maiores escolas estaduais são as piores do Brasil.

Veja o vídeo clicando aqui