14 de janeiro de 2008

Uso do celular ainda é sonho para 50% dos municípios de Mato Grosso

A senadora petista Serys Slhessarenko (PT/MT), informou hoje que em 2008, 50% dos municípios mato-grossenses deverão contar com telefonia móvel. Disse ainda que o prazo para se atingir a meta de 100% será de 24 meses após a publicação de certo extrato de termo.

Santa ignorância a minha. Pensava que todos os cidadãos de nosso Estado já estivessem usando celulares. ledo engano. A tecnologia de terceira geração ainda é um sonho para muito municípios de Mato Grosso.

TCE promove treinamento para jornalistas

O Tribunal de Contas de Mato Grosso irá promover nesta quarta-feira (16.01) um treinamento específico para jornalistas sobre a sua nova página na Internet.

A intenção é mostrar como o site pode ser utilizado pelos repórteres como ferramenta de informações na produção de matérias.

O curso será realizado às 9h30, na Escola Superior de Contas, pelo analista de sistemas do TCE Manoel Castrilon.

Muito bom. Pena que poucos ou quase nenhum profissional do interior tenha incentivo do TCE para participar também de tão importante curso.

Charge do Dia


Charge de Fausto publicada hoje no Jornal Olho Vivo. Em Tangará da Serra, estou desde a semana passada aguardando a chegada de mais vacinas para entregar meu braço à agulha também. A coisa está feia.

Presidência a vapor

Da cientista política Lucia Hippolito em seu blog:

Durante a República Velha (1889-1930), presidentes da República viajavam de navio. Eram viagens demoradíssimas, as comunicações eram muito precárias, e o presidente ficava vários dias sem contato com o Brasil.

Por isso, o presidente brasileiro passava o cargo ao vice-presidente. Na ausência deste, ao presidente da Câmara, ou ao presidente do Senado, ou ainda, ao presidente do Supremo Tribunal Federal.

Esta é a linha sucessória da República brasileira.

Atualmente, quando basta possuir um telefone celular para se manter em contato com o mundo inteiro, através da Internet, essa transmissão de cargo não faz mais o menor sentido.

Trata-se de um anacronismo. Leia mais aqui

Poetisa tangaraense prepara lançamento de mais uma obra

Poetisa tangaraense, Rejane Tach finaliza mais uma obra literária para lançamento. A comunidade cultural de Mato Grosso aguarda este outro livro da autora com bastante atenção.

Rejane já é destaque local e regional com suas belas poesias. Não será dificil alçar voos mais altos depois do lançamento de seu novo trabalho. Aguardemos, pois.

Renascer compra briga com Promotor

A igreja Renascer em Cristo resolveu partir para a briga com o promotor Marcelo Mendroni, do Ministério Público de São Paulo, que intimou o jogador de futebol Kaká, do Milan, a prestar informações à Justiça sobre o seu envolvimento com o casal Estevam e Sônia Hernandes, líderes da denominação.

Em nota, caída a poucos minutos em minha Caixa Postal, emitida hoje, a Renascer diz que "quem tem de se explicar é o promotor, não Kaká, que ganha seu dinheiro de forma honesta e dele faz o que quiser".

A coisa está feia. Para ler a nota clique aqui

Na base aliada PMDB fica mais fortalecido

Não creio que a pretensão do prefeito de Tangará da Serra, Júlio César Ladeia (PR), ao convidar o vereador João Negão (PMDB) para sua liderança na Câmara Municipal, tenha sido para "puxar" o tapete do médico Renato Gama (PMDB) que sonha em ser candidato à sucessão municipal nas próximas eleições.

Muita gente pode até pensar o contrário. Mas vejo a ida de João Negão para a base aliada do prefeito como um fato político em favor do Município.

O vereador, que já fez oposição ferrenha à atual Administração, reconheceu o trabalho e esforços do prefeito para fazer de Tangará um lugar melhor para se viver. Unindo-se à Administração, João Negão está declarando publicamente que também pretende continuar ainda mais servindo as comunidades locais com seu trabalho.

Quanto ao médido, é mais que natural que se espernei neste momento e até começe a ver a areia tornar-se movediça. Mas isso é algo muito natural em política.

Não creio Gama estivesse pensando que emplacar uma candidatura a prefeito de Tangará da Serra fosse a coisa mais fácil do mundo.

Todavia, é bom deixar claro que, João Negão na base aliada do prefeito Júlio César não significa que o PMDB tenha sido desestruturado. Para Gama pode ter sido. Para muita gente não. Aliado ao prefeito, o PMDB até ganha mais vulto e visibilidade neste momento pré-eleitoral.