10 de março de 2008

Charge do Dia


Charge do Dia

Trabalho artístico de SponHolz. Excelente, parabéns.

Charge do Dia



Publicidade da Câmara de Tangará ainda sem veiculação nos portais de notícias

A Câmara Municipal de Tangará da Serra está verdadeiramente na mídia.

Nas tevês, rádios, jornais e revistas, lá está a marca da Câmara.

Ainda não vi, porém, nos sites e portais de notícias.

Todavia, creio que isso é apenas uma questão de tempo. Logo estaremos vendo a marca e as notícias do nosso ilustre Legislativo também na poderosa mídia eletrônica.

E quando falo de mídia eletrônica me refiro à imprensa de ponta do século presente.

40 famílias Sem-teto ocupam deste ontem terreno da Prefeitura de Tangará

40 famílias sem-teto ocupam desde este domingo, uma área urbana pertencente ao Município de Tangará da Serra.

Situação muito complicada para as famílias e para o poder público que deverá agir nas próximas horas buscando a reintegração de posse.

O prefeito da cidade, Júlio César Ladeia, tem se esforçado para diminuir o déficit habitacional no Município, porém, a situação ainda está fora de controle.

Há mais sem-teto na cidade que residências para serem construídas pelos programas vigentes.

O problema nacional referente a moradias para pessoas de baixa renda é também uma dura realidade em Tangará da Serra.

Mas, alguma coisa está sendo feita. O que não se sabe ainda é o que será feito pelas famílias acampadas desde ontem na periferia do bairro Jardim dos Ipês nesta cidade.

Também estou na luta contra a pirataria

Decide por livre e espontânea vontade me unir a todos os cidadãos e cidadãs de bem deste País, que lutam contra qualquer tipo de pirataria.

Minha única ressalva é que nossa campanha tenha abrangência geral. Estou dizendo com isso que: não aceito jamais lutar contra apenas um ou dois tipos de pirataria.

Não quero correr o risco de cair no ridículo social, nem dos comentários dos seres pensantes, que estarei lutando por interesse particular.

Assim, nossa luta é contra as rádios piratas, os telefones piratas, celulares piratas, aparelhos eletroeletrônicos piratas, programas de computadores piradas, etc, etc...

Não devemos parar por ai. Calçados piratas, roupas piratas, CD, DVD, fimes, produtos não patenteados. Livros, jornais, notícias produzidas por sites e agências de notícias com proibição de veiculação ou utilização sem prévia licença, etc, etc...

Então, se é para encamparmos luta contra a pirataria que não seja apenas por um produto ou tipo de serviço.

Onde houver pirataria vamos denunciar. Nenhum tipo ou modalidade de pirataria escapará dessa corrente de cidadãos e cidadãs do bem.

Porém, como disse: nada que deixe transparecer que será luta por causa pessoal. Não devemos correr risco de ser entendidos como lutadores por causa própria.

Não quero ser chamado de demagogo e de que estarei agindo porque “está doendo no meu bolso”.

Luta para frente. Todos contra a pirataria!

Tecendo a Manhã

Por João Cabral de Melo Neto

Um galo sozinho não tece uma manhã:
ele precisará sempre de outros galos.
De um que apanhe esse grito que ele e o lance a outro;
de um outro galo
que apanhe o grito de um galo antese o lance a outro;
e de outros galos
que com muitos outros galos
se cruzemos fios de sol de seus gritos de galo,
para que a manhã, desde uma teia tênue,
se vá tecendo, entre todos os galos.
E se encorpando em tela, entre todos,
se erguendo tenda, onde entrem todos,
se entretendendo para todos,
no toldo(a manhã) que plana livre de armação.
A manhã, toldo de um tecido tão aéreo
que, tecido, se eleva por si: luz balão."

(João Cabral de Melo Neto - Recife/PE)

Nenhuma explicação para o furto de computadores da Unemat

Até o momento nenhum comentário, nenhuma resposta, nenhum esclarecimento sobre o furto de dois importantes computadores da Universidade do Estado de Mato Grosso, campus universitário de Tangará da Serra.

Os criminosos furtaram as máquinas da Administração da Universidade no período do recesso escolar.

A pessoa (ou pessoas) que levou os aparelhos tinha as chaves de acesso ao local. Prova disso é que não foram constatadas marcas físicas de violência.

Soube que a coordenação da Instituição tem pressionado o pessoal que atua na vigilância. Quer saber o que de fato aconteceu. O detalhe é que ninguém sabe de nada.

E agora, Ariel?