24 de março de 2008

Faculdade de Educação de Tangará abre inscrição para cursos de Pós-graduação

A Faculdade de Educação de Tangará da Serra abriu nesta segunda-feira (24) inscrições para três cursos de pós-graduação em nível de especialização.

Educação Infantil, Psicopedagogia e Pedagogia Empresarial oferecerão 50 vagas cada.

A taxa de inscrição é de R$ 20.

Em regime modular, cada módulo terá 30h/aula sendo ministrado em um final de semana por mês (sexta-feira à noite, dia todo do sábado e manhã do domingo.

Contatos para reserva de vaga podem ser feitos através do e-mail faceduts@terra.com.br, na secretaria acadêmica da Faculdade (rua José Corsino - 1037-W, Paque das Mansões) ou pelo fone 65-3326-4650.

Administrada pelo professor Wilson Dalto, a Faculdade de Educação de Tangará da Serra forma pedagogos e especialistas em diversas áreas há mais de 18 anos.

Instituição reconhecida pelo MEC. O Blog recomenda.

Charge do Dia


Trabalho artístico de Mariano publicado nesta segunda-feira no Charge Online. Vergonhosamente o Rio perdeu a querra para o mosquito da dengue. Mato Grosso também não está muito distante de semelhante derrota. E só para lembrar: o mosquitinho da gota serena ainda permanece fazendo vítimas em Tangará da Serra. Até quando?

TCU condena ex-prefeito por pagar empreiteira antes de executar obra

O Tribunal de Contas da União (TCU) condenou Braz Pereira da Silva, ex-prefeito de Ponte Branca (MT), solidariamente com a empresa Jaia Construções e Serviços Ltda. ao pagamento de R$ 144.122,06, valor atualizado.

Foram encontradas irregularidades na aplicação dos recursos recebidos por convênio firmado com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa), destinados à ampliação do sistema de abastecimento de água do município.

Entre as irregularidades, houve realização de duas licitações com o mesmo número, em datas diferentes e com a mesma empresa vencedora. Além disso, a Jaia Construções e Serviços Ltda. recebeu a primeira parcela do pagamento antes do resultado da licitação.

O ex-prefeito e a empresa terão que pagar multa individual de R$ 12 mil e R$ 7 mil, respectivamente. Eles têm 15 dias para comprovar o pagamento dos valores aos cofres do Tesouro Nacional. A cobrança judicial da dívida foi autorizada.

Cabe recurso da decisão. Cópia da documentação foi enviada à Procuradoria da República do Mato Grosso para medidas cabíveis.

O ministro Marcos Vinicios Vilaça foi o relator do processo.

Candidatos devem ter site exclusivo de campanha, diz TSE

Os candidatos às eleições municipais de 5 de outubro poderão divulgar propaganda eleitoral somente a partir de 6 de julho. A propaganda gratuita no rádio e na TV será transmitida de 19 de agosto a 2 de outubro.

Essas regras estão na Resolução 22.718 do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que trazem algumas alterações em relação a 2006.

Uma das novidades é sobre a propaganda eleitoral por meio da internet, que só será permitida em página do candidato destinada exclusivamente à campanha eleitoral.

A página poderá ser mantida até 3 de outubro. Leia mais aqui

Lucas do Rio Verde é destaque na revista Exame

Os esforços feitos pelo município de Lucas do Rio Verde para se ver livre dos passivos socioambientais viraram reportagem de capa da última edição da Exame, uma das mais conceituadas revistas do mundo dos negócios.

A matéria produzida pela editora Angela Pimenta, após ver de perto a realidade local, faz um relato dos desafios encarados por aqueles que entenderam as necessidades de mudanças impostas por um mundo cada vez mais convicto de que devemos fazer as pazes com a natureza para tentar resgatar o equilíbrio perdido.

O trabalho jornalístico segue reproduzido logo abaixo do editorial escrito por Claudia Vassalo, que também ressalta as vantagens dessa iniciativa pioneira colocada em prática a partir de 2006 e já agraciada com o 1º Prêmio Brasil de Meio Ambiente, concedido pelo Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil e revista Forbes.


Meus sinceros parábens.

Estudante sem Ensino Médio completo pode se matricular em faculdade

O preceito Constitucional disposto no artigo 208, V, da Constituição Federal, que assegura o acesso do candidato ao ingresso em curso superior mediante a comprovada “capacidade de cada um”, deve prevalecer sobre a regra contida na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – artigo 44 da Lei nº 9.394/96.

Com esse entendimento, a Primeira Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso manteve, por unanimidade, decisão de Primeira Instância que assegurou a um aluno aprovado no vestibular o ingresso em uma universidade privada de Cuiabá, mesmo sem concluir o ensino médio. Leia mais aqui