20 de abril de 2008

Emigrarei

Por Rejane Tach

Vou colorir minha insônia
Com pedaços de imagens
Que guardo em segredo

Eufórica... faminta, emigro
E levo meu corpo à distância
Sem querer saber de fatos,
Quero...
Um contorno suave que vi
Que me foi como música ressoando...

E

Num súbito de perdição
Um êxtase me despiu a mente

Meu recinto de verdade fala
E os dedos das tuas mãos são delírios
Imaturos... suaves...
Que minha insônia, invadem abusados,

Por quê?

Nascísea

Por Robério Pereira Barreto

Envolta na teia cristalina da lua
Caminhas pela noite iluminada,
Levando na bagagem mente
As saudades da gente.

Na aresta da avenida infinita
Há figuras desenhadas a pincel
Na tela da escuridão vibrante.

Coberta pelo globo de néon
Mimetiza-se na escultura fria
De luzes a confundir os passantes
A fitarem lhe de olhos vibrantes.

Perdida na vasta beleza de si
Como Narciso, passeia a esmo
Admirando-se no devir.

Charge do Dia

Trabalho artístico de Milton César publicado hoje no Midia Max (MS). É isso ai. Dai-lhe Heleno. "Bate com força que eu não sinto doer".

Nove crianças vítimas dos pais, em três anos, só em Cuiabá

O assassinato da menina Isabella Nardoni, 5 anos, supostamente morta pelo pai e a madrasta e que comoveu todo o país, não é uma tragédia exclusiva de São Paulo e o problema não está tão longe.

Em menos de três anos, nove crianças de até 5 anos de idade e também bebês foram vítimas dos pais ou parentes que tentaram matá-las a sangue-frio.

Por sorte, quatro delas sobreviveram.

São dois casos em que as mães tentaram queimar vivos os filhos. Estes foram salvos por vizinhos.

As nove crianças fazem parte de casos menos populares, porém violentos na mesma intensidade, ocorridos na Grande Cuiabá. Leia mais aqui