21 de abril de 2008

Entrevista dos Nardoni tira certeza da população

A entrevista que o casal Nardoni (Alexandre e Anna) deu ao Fantástico neste domingo deixou a população brasileira totalmente confusa.

Para mim, uma entrevista divisora de águas.

É certo que o imaginário popular perdeu sua direção.

Melhor mesmo agora é esperar pelo trabalho da Justiça. Confesso que fiquei em dúvidas. Não sei mais em quem acreditar. Nos acusados ou na versão da polícia paulista.

Resta-nos aguardar o cumprimento da Palavra que diz: "Não há nada encoberto que não venha a ser revelado".

29% não leram nenhum livro nos últimos seis meses

Pesquisa realizada entre os webleitores deste blog na semana passada revela que nos últimos seis meses:

29% não leram nenhum livro
22% leram mais de seis livros
19% leram entre 1 e 2 livros
16% leram entre 3 e 4 livros
12% leram entre 4 e 5 livros.

A pesquisa mostra o que já sabíamos: o povo brasileiro lê muito pouco. Siatuação que precisa mudar.

As escolas têm grande parcela de responsabilidade nesse processo de mudança de hábito. Mas, ainda são poucas as que desenvolvem projetos de leituras em sala de aula.

Há 216 anos, morria Tiradentes


Há 216 anos, em 21 de abril de 1972, morria na cidade do Rio de Janeiro, Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, reconhecido como patrono cívico e herói nacional que participou do movimento denominado Inconfidência Mineira, contra a instituição do quinto, imposto que obrigava os moradores das Minas Gerais a pagar, anualmente, cem arrobas de ouro, destinadas à Real Fazenda.

Os principais planos dos inconfidentes eram: estabelecer um governo republicano independente de Portugal, criar manufaturas no país que surgiria, uma universidade em São João del-Rei e fazer desta a capital.

Seu primeiro presidente seria, durante três anos, Tomás Antônio Gonzaga, após o qual haveria eleições.

Nessa república não haveria exército – em vez disso, toda a população deveria usar armas, e formar uma milícia quando necessária. Leia mais aqui

Charge do Dia


Trabalho artístico de Milton César (Midia Max).