7 de maio de 2008

Charge do Dia


Trabalho artístico de Luscar publicado nesta quarta-feira no site Charge On Line.

76% preferem ouvir FM em Tangará da Serra

A radiofonia tangaraense não é mais a mesma desde que duas rádios comunitárias operando em FM entraram no ar do ano passado para cá.

A novidade trouxe o que a população, especialmente a mais jovem, vinha buscando há muitos anos: som de qualidade e músicas atualizadas.

A Nova Horizonte FM (98.9) e Serras FM (104.9) é puro sucesso de audiência e preferência na cidade.

Não é nada de mais dizer que a audiência das AMs ficou para trás.

Veja resultado de enquete realizada por este blog na semana passada:

O blog perguntou: Rádio AM ou FM: o que você prefere ouvir em Tangará da Serra?

18% preferem ouvir as rádios AMs
5% não ouvem nenhuma delas
76% preferem ouvir as FMs


Ingrid Prudêncio celebrou níver nesta terça-feira

A estudante tangaraense Ingrid Prudêncio, concluinte do Ensino Médio na Escola Estadual João Batista de Tangará da Serra, celebrou nesta terça-feira (06/05/08) seus 15 anos de idade. A passagem está sendo super comemorada pela família, amigos e um batalhão de pessoas que a admiram. Nosso blog também se alegra pela festa da menina-moça. Nossas homenagens. Tintim...

Lisa é a aniversariante desta quarta-feira

A estudante Liza, aluna da segunda série do ensino médio na Escola Estadual João Batista de Tangará da Serra, festeja nesta quarta-feira (07/05/08) mais um níver. Recebendo na oportunidade, homenagens dos seus colegas, familiares e deste blog. Tintim!!


Deputados federais têm direito a R$ 564 mil após a morte


Reportagem postada nesta quarta-feira (dia 7) pelo site Congresso em Foco, mostra que mesmo que a Câmara Federal recue da polêmica proposta de garantir um auxílio-funeral de R$ 16,5 mil para a família de deputados que morrerem no exercício do mandato, ninguém ficará desassistido na hora do enterro.

Pelo menos, não por falta de dinheiro Antes de incluir a proposta do auxílio na pauta da Mesa Diretora, a Câmara simplesmente ignorou um benefício garantido por lei desde 1975 aos familiares dos parlamentares falecidos.

Atualmente, toda vez que um deputado morre, sua família recebe R$ 564 mil de pecúlio, sem que nenhum centavo a mais saia dos cofres públicos. O valor é recolhido por meio de uma espécie de “caixinha” dos 513 deputados, pois cada um cede 2/30 de seus salários para ajudar os parentes do falecido.

Com a morte no ano passado dos deputados Gerônimo da Adefal (PFL-AL), Enéas Carneiro (Prona-SP), Júlio Redecker (PSDB-RS) e Nélio Dias (PP-RN), a Câmara já pagou nesta legislatura mais de R$ 2,2 milhões com os quatro pecúlios. Em breve, também pagará o benefício para a família do deputado Ricardo Izar (PTB-SP), presidente do Conselho de Ética, morto na última sexta-feira (dia 2).

Os decretos legislativos 96/75 e 29/81 determinam que os valores sejam pagos na folha de pagamento seguinte à morte do deputado, descontando-se da remuneração de cada colega de plenário. Caso mais de um deputado morra no período, os pagamentos serão feitos nos meses seguintes.