21 de maio de 2008

Assessoria de Imprensa estaria atraindo adversários para prefeito Júlio César

Eriko Suares, advogado, secretário de Administração e Controle Interno de Tangará da Serra está muitíssimo insatisfeito com a atuação da Assessoria de Imprensa da prefeitura.

Reclama o secretário que não se entende mesmo com o pessoal que comanda o que poderia ser um importante serviço para o Executivo e para a municipalidade.

Eriko disse que tem recebido inúmeras reclamações de profissionais e empresários da Imprensa local por conta dos desacertos e desencontros patrocinados pela assessoria de Imprensa.

Recentemente ele recebeu um relatório de uma empresa jornalística da cidade que prestou relevantes serviços à prefeitura na área de publicidade, estando até o momento sem receber qualquer pagamento.

É certo que o prefeito Júlio César Ladeia (PR) homem honesto e bom pagador jamais tem conhecimento desse fato.

A empresa tem ciência que o prefeito não coaduna com essa atitude de sua assessoria de Imprensa. Por isso ainda não oficializou ao mesmo o que vem acontecendo neste particular.

O prefeito não sabe. Mas, pelo menos dois dos mais importantes secretários: Dalva Chaves (Fazenda) e Eriko Suares (Administração) têm conhecimento do ocorrido.

Para Eriko, algumas atitudes patrocinadas pela assessoria de Imprensa até parece que são para desestabilizar politicamente o prefeito.

Assim, fica no ar nossa interrogação: a assessoria de imprensa e marketing tem a função de atrair aliados ou adversários políticos para o executivo?

Adeus SAMU!


Secretário municipal de saúde de Tangará da Serra, Mário Lemos (PMDB), admitiu implicitamente nesta quarta-feira (21) em entrevista a um canal de televisão local, que o Serviço de Atendimento Médico de Urgência – SAMU - poderá mesmo nem ser ativado no Município.

Lemos argumentou que o motivo seria falta de legalidade e falta de acertos oficiais com as prefeituras que compõem o pólo regional de Tangará da Serra.

O SAMU na cidade deveria ser mantido por todas essas prefeituras e não só por Tangará.

Como esse quesito ainda não foi resolvido, não haveria como o Município ativar o serviço e arcar sozinho com as despesas de manutenção geral.

Assim, implicitamente, Lemos deixou transparecer que o SAMU deverá mesmo ser transferido para outra região de Mato Grosso, podendo ser Sinop, Sorriso ou Cáceres.

Tudo isso, porém, poderá mudar caso o prefeito do Município Júlio César Ladeia (PR) resolva assumir o ônus de olho na questão prioritária do atendimento à população mais carente.
Secretário municipal de saúde de Tangará da Serra, Mário Lemos (PMDB), admitiu implicitamente nesta quarta-feira (21) em entrevista a um canal de televisão local, que o Serviço de Atendimento Médico de Urgência – SAMU - poderá mesmo nem ser ativado no Município.



Lemos argumentou que o motivo seria falta de legalidade e falta de acertos oficiais com as prefeituras que compõem o pólo regional de Tangará da Serra.



O SAMU na cidade deveria ser mantido por todas essas prefeituras e não só por Tangará.



Como esse quesito ainda não foi resolvido, não haveria como o Município ativar o serviço e arcar sozinho com as despesas de manutenção geral.



Assim, implicitamente, Lemos deixou transparecer que o SAMU deverá mesmo ser transferido para outra região de Mato Grosso, podendo ser Sinop, Sorriso ou Cáceres.



Tudo isso, porém, poderá mudar caso o prefeito do Município Júlio César Ladeia (PR) resolva assumir o ônus pelo caro serviço do SAMU vendo a questão prioritária do atendimento à população

Secretário de Administração critica atuação da assessoria de Imprensa

Secretário de Administração e Controle Interno da prefeitura de Tangará da Serra, o advogado Ériko Suares, está bastante chateado com a atuação da assessoria de Imprensa do Município.

Disse em conversa com este jornalista, não entender como o prefeito Júlio César a mantém.

Retorno ao assunto.

Milhares de crianças sem creche em Tangará da Serra

Impressionante o quanto as nobres causas sociais são desprezadas em Tangará da Serra.

Imagine uma cidade com 75 mil habitantes e apenas quatro ou cinco creches a disposição de centenas de mães que precisam no dia a dia trabalhar para ajudar no sustento da família ou estudar.

Estima-se que no Município cerca de 3,5 mil crianças de dois a cinco anos de idade estejam precisando de uma creche por simples que seja para passar o dia.

Do poder público, apenas as enfadonhas promessas de que "um dia" a situação melhorará.

Vai vendo...

Ponte do Rio Juruena tomada por índios a 60 horas

Aproximadamente 450 índios de nove etnias bloqueiam a 60 horas a rodovia MT-170, entre as cidades de Brasnorte e Juína, em Mato Grosso.

Eles cobram melhorias nas condições de saúde da população indígena e querem a retirada da Pequena Central Hidrelétrica (PCH), no Rio Juruena.

Eles também querem que 40% do ICMS ecológico fique nas aldeias.

TCE multa presidente da Câmara de Nortelândia

O Pleno do Tribunal de Contas de Mato Grosso julgou como procedente a representação interposta contra a Câmara de Nortelândia, condenando o gestor Luiz Garcia Taborda ao pagamento de multa no valor correspondente a 200 Unidades de Padrão Fiscal – UPFs-MT.

O processo foi relatado pelo conselheiro José Carlos Novelli, durante a sessão ordinária do dia 20/5.

As irregularidades apontadas na representação e constatadas pelos auditores do Tribunal, envolvem contratação ilegal de assessoria jurídica e contábil, aplicação anti-econômica de recursos públicos, excesso de despesas com publicação e divulgação de matérias e despesa imprópria na contratação de serviços temporários, já que a Câmara possui servidor efetivo na função de serviços gerais.

Mais dois vereadores perdem mandatos por infidelidade no MT

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) cassou ontem os mandatos de mais dos vereadores de Mato Grosso.

Com a decisão sobe para 18 o total de parlamentares que tiveram decretada a perda de mandato eletivo tendo como base as regras da fidelidade partidária – entre eles o deputado Walter Rabello (PP).

Com a decisão do Pleno perderam os direitos sobre a atuação parlamentar os vereadores Ervino Kovaleski e Neuza de Almeida Mourão Santos, dos municípios de Marcelândia e Água Boa, respectivamente.

PF de olho nas empresas de segurança privada

Estão em Mato Grosso 50 policiais federais, especialistas em segurança privada, e a operação Varredura não tem prazo para terminar.

Segundo a PF, hoje há 32 empresas de segurança privada regularizadas e mais 19 autorizadas a exercerem serviços orgânicos de segurança.

Para atuar na segurança privada a pessoa tem que ter curso de vigilante, não pode ter antecedentes criminais, tem que ter no mínimo 21 anos e a 4ª série completa.

A arma que é autorizada pelo curso de vigilante só pode ser utilizada no local do serviço.

OPERAÇÃO VARREDURA: PF prende PM e bombeiro-militar em MT

Dois soldados (um da PM e outro do Corpo de Bombeiros) foram presos em flagrante durante a operação Varredura, da Polícia Federal, na noite de segunda-feira, por porte ilegal de arma em Cuiabá.

Os dois estavam atuando como vigilantes de empresas, o que é proibido pelas duas corporações, e usavam armas sem registro. O bombeiro-militar estava com uma arma de uso restrito.

Os nomes não foram divulgados pela Polícia Federal.

O comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Arilton Azevedo, disse que só tinha confirmado que se tratava do soldado Costa, sem saber informar o nome completo.

Já o comandante da Polícia Militar, coronel Benedito Campos Filho, disse desconhecer quem é o PM preso.

Os dois, no entanto, irão responder a processo administrativo nas referidas corporações. Leia mais aqui

OPERAÇÃO VAREDURA: PF prende PM e bombeiro-militar em MT

Dois soldados (um da PM e outro do Corpo de Bombeiros) foram presos em flagrante durante a operação Varredura, da Polícia Federal, na noite de segunda-feira, por porte ilegal de arma.


Os dois estavam atuando como vigilantes de empresas, o que é proibido pelas duas corporações, e usavam armas sem registro.


O bombeiro-militar estava com uma arma de uso restrito.


Os nomes não foram divulgados pela Polícia Federal.


O comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Arilton Azevedo, disse que só tinha confirmado que se tratava do soldado Costa, sem saber informar o nome completo. Já o comandante da Polícia Militar, coronel Benedito Campos Filho, disse desconhecer quem é o PM preso. Os dois, no entanto, irão responder a processo administrativo nas referidas corporações.