27 de maio de 2008

Tangará se transformando numa cidade perigosa

A violência toma vultos assustadores em Tangará da Serra.

Dia 13 um jovem de 16 anos foi assassinado no centro da cidade, momento em que era realizado um desfile para celebrar os 32 anos de emancipação político-adminstrativa do Município.

Dez dias depois, dia 23, o radialista Itamar de Souza 34, foi morto com cinco tiros de revólver por uma pessoa até agora desconhecida da polícia.

O radialista foi alvejado em sua própria residência no Distrito de Progresso, distante 12 km da cidade.

Só neste ano, uma ótica da cidade foi assaltada três vezes, em plena luz do dia. Os bandidos levam sempre jóias e dinheiro e deixam as proprietários da loja trancados.

Os acidentes envolvendo motociclistas aumentam a passos largos. Raro é o dia em que o Corpo de Bombeiros não efetua procedimentos de socorro.

Roubos, assaltos, furtos, arrobamentos de residências estão se tornando fatos corriqueiros em Tangará da Serra.

Pior que isso: não estou vendo nenhuma ação brusca para inibir os problemas que vêm ocorrendo diuturnamente em nossa cidade.

As poucas ações vistas não têm passado de paliativas.

Prefeito de Tangará está em Cuiabá. Fazendo?

Prefeito de Tangará da Serra, Júlio César Ladeia (PR) se encontra em Cuiábá, capital do estado de Mato Grosso.

Um momento que permaneci na prefeitura nesta tarde, vi diversas pessoas o procurando para pedir variados tipos de ajuda.

A assessoria de gabinete informava apenas: "o prefeito está viajando para Cuiabá".

Por um momento pensei: não custaria nada se a tal assessoria completasse a informação para aquelas humildes pessoas.

Não seria melhor informar: "o prefeito está em Cuiabá 'resolvendo tal assunto do interesse do Município e deve retornar tal dia. O senhor ou a senhora não gostaria de falar com um dos secretários?"

Mas não. As respostas são sempre curtas e grosseiras. "Não está aqui". Viajou e não sei que dia retorna", etc.

Até parece que esses servidores têm o rei na barriga. Nem de longe se parecem com empregados do povo.

É pra acabar...

Guilhotina preparada para degola de mais cinco vereadores infiéis

Mais cinco vereadores mato-grossenses correm sério risco de perder os mandatos nesta terça-feira (27), acusados de infidelidade partidária. O julgamento está acontecendo neste momento no TRE de Mato Grosso.

São eles:

Wanderley Campagnoni - Brasnorte
Niche Paulo Mendes - Jangada
José Luiz Bortolo - Jangada
Climério Dutra Ribeiro - Comodoro,
Francisco Ferreira Leite -São José dos Quatro Marcos

Arrocha...

Conheça as tabelas com pisos salariais dos profissionais da educação de MT

O governo do estado já publicou a Lei Complementar (LC) que fixa o novo subsídio dos Profissionais da Educação Básica. Conforme negociação feita pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) com o sindicato da categoria (Sintep), o piso inicial para os professores e técnicos educacionais ficou em R$ 912 (nível médio) e R$ 1.369 (nível superior).

Os servidores inativos da secretaria foram beneficiados com os mesmos níveis de reajuste.

A LC 315, publicada no Diário Oficial de 26 de maio, fixa os subsídios de professores, técnicos administrativos educacionais, especialistas da Educação, servidores do apoio administrativo educacional e inativos.

A LC tem como anexos nove tabelas, já que foram fixados os pisos de todas as funções citadas, tanto para cargas horárias de 20 como 30 horas.

Os efeitos financeiros da Lei estão valendo desde o dia primeiro de maio. As tabelas de professores e técnicos são muito semelhantes. As duas apresentam níveis de um a 12.

O nível se refere à evolução por tempo de serviço (o avanço é de um nível a cada três anos). A diferença das duas funções é quanto às classes.

As duas tabelas são iguais da classe A até a D, nos níveis 1 a 12, porém, os professores possuem a classe E, que se refere ao doutorado.

As classes de referem aos níveis de escolaridade: níveis médios e superior, especialista, mestrado e doutorado. As tabelas para professores e técnicos, para 30 horas, começam na classe A, nível 1, com R$ 912,00 e vão até o nível 12, com R$ 2.932,06, na classe D.

Na classe E, o teto vai até R$ 3.335,18. Para os servidores do apoio, o piso parte de R$ 729,60 (Classe A, nível 1) e vai até R$ 1.450,08 (Classe B, nível 12), também para 30 horas.

Como o piso desta tabela ficou inferior ao salário mínimo nacional, é feita uma complementação constitucional para a adequação. O piso inicial para os especialistas (40 horas) é de R$ 629,57.

O teto para esta função vai até R$ 2.172,06 (Nível 7, Classe F). Existem tabelas também para os servidores não profissionalizados. Estes são os ingressantes nas carreiras, que ainda não passaram pelos cursos de formação (de duração aproximada de um ano).

MP instaura inquérito para apurar irregularidades em Nortelândia

Atendendo decisão do Tribunal de Contas de Mato Grosso, que apontou a existência de irregularidades em processo relativo à execução de obras de uma feira de alimentos no bairro Novo Horizonte, na cidade de Nortelândia, o Ministério Público instaurou inquérito civil para apurar responsabilidades do prefeito Vilson Ascari.

A informação foi lida em plenário pelo conselheiro presidente Antonio Joaquim, conforme ofício encaminhado ao TCE-MT pela promotora de Justiça Claire Vogel Dutra, que oficia naquela Comarca.

Justiça interdita área desmatada ilegalmente em Tapurah

Terceira Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso por unanimidade manteve decisão de Primeira Instância que determinou que um fazendeiro de Tapurah (433km) se abstenha de praticar quaisquer atividade econômica em uma área degradada de 10,3817 ha de sua propriedade, sem a autorização do órgão competente.

Caso descumpra a decisão, ele deverá pagar multa diária de R$ 10 mil, a partir da data em que se configurar o descumprimento.

Excelente. Esse nó tem que arrochar mais ainda. Para os que praticam crimes contra o meio ambiente, multas e prisão ainda são pouca coisa.

Inimigos ontem, aliados hoje; e o eleitor decidirá o amanhã


Vejam só como são as coisas na política. A crítica ácida trocada pelo elogio. A denúncia, pela homenagem. O oposicionismo, pelo coleguismo. O tapa, pelo afago. O confronto, pela permissividade. A disputa, pela aliança. Antigos inimigos ferrenhos de dias atrás, após 'acordos políticos', passam a ser amigos de longa data. É o que está acontecendo em Várzea Grande. E ao que tudo indica, ficará o dito pelo não dito.

Vergonhoso

É curioso, e muitas vezes vergonhoso, o que acontece nos bastidores da política às vésperas das eleições. Se um cuiabano ou várzea-grandense tivesse viajado meses atrás e ficado sem notícias da Terra de Rondon durante esse período não acreditaria no revés que as pré-candidaturas tomaram por aqui. Muitos que se viam favoritos na disputa, enfraqueceram e desistiram da disputa. Forças ocultas, como diziam antigamente, estão agindo por essas bandas.

Abandono

O primeiro a deixar a disputa foi Sérgio Ricardo, pré-candidato a Prefeito de Cuiabá. As pressões dentro do partido foram grandes. Em seguida, catapultaram a candidatura de Walter Rabello, que perdeu o programa na televisão e, para piorar a situação, ainda teve o mandato cassado. Agora, a pré-candidata Iraci França abriu mão para apoiar Rabello na tentativa de consolidar o nome do deputado do PP na disputa.

Novela

Em Várzea Grande, a situação está cada vez mais favorável à 'familiocracia' dos Campos. A novela começou com a saída de Júlio Campos do Tribunal de Contas. Esquentou com a briga fervorosa entre Maksuês e Júlio. Mesmo que essa briga tenha sido encampada apenas por Maksuês, que tagarelava aos ventos, enquanto Júlio articulava nos bastidores.

Fim

Novo capítulo, fresquinho, foi a desistência de Maksuês. O mais surpreendente foi o resultado dessa desistência. Maksuês, que degladiava virtualmente com Júlio Campos, aliou-se ao 'inimigo'. Para completar, ainda indicou a própria esposa para formar a chapa no cargo de candidata a vice-prefeita. E agora [Julio] José [de Campos]?

Eleitor

Os tais acordos políticos levam em consideração as vontades e ambições pessoais de dirigentes das siglas. São planos arquitetados visando o poder a curto, médio e longo prazos. Metas traçadas para eleições ainda distantes, onde a 'alma do político' passa a ter dono desde já. O eleitor? Parece ter pouca importância nesses meandros politiqueiros. Mas caberá ao eleitor responder, na urna, se concorda ou não com as decisões dos líderes partidários. FONTE: TVCA.

MST ocupa sede do Incra em Cáceres

A situação é tensa na sede do Incra, em Cáceres (MT). Cerca de 200 integrantes do Movimento de Trabalhadores Sem Terra (MST) estão trancados no local junto com funcionários e representantes do Centro dos Direitos Humanos e Sindicato dos Trabalhadores. A Polícia Militar ameaça tirá-los da sede do Incra à força.