21 de junho de 2008

Filosofia e Sociologia sempre foram oferecidas aos alunos em Mato Grosso

No início do mês, o então presidente em exercício, José Alencar, sancionou uma Lei que determina o retorno das disciplinas Filosofia e Sociologia aos currículos do Ensino Médio. Em 1971, durante o regime militar, estas disciplinas foram suprimidas dos currículos. Mato grosso, porém, não terá dificuldades em se adaptar à nova Lei: em nenhum momento estas disciplinas deixaram de ser oferecidas nas escolas da Rede Estadual.

De acordo com a Gerente Curricular do Ensino Médio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Teresinha Maria da Costa, o estado só terá dificuldade na substituição gradual dos professores que atualmente lecionam estas disciplinas (os de História e Pedagogia), pelos que têm formação específica. Só recentemente as universidades voltaram a oferecer cursos de licenciatura para Filosofia e Sociologia.

A Lei 1.631, sancionada no dia 02 de junho, altera o artigo 36º da Lei n.º 9.394/96, sobre as Diretrizes e Bases da Educação (LDB). Durante o regime militar, Filosofia e Sociologia haviam sido substituídas pelas disciplinas Educação Moral e Cívica e Organização Social e Política do Brasil (OSPB).

A grade curricular do Ensino Média é composta por 75% de disciplinas que integram o núcleo obrigatório (Ciências da Linguagem; Ciências Naturais e Ciências Humanas). Os outros 25% são a parte chamada “diversificada” do currículo. Nesta, cada estado inclui disciplinas relacionadas especificamente a sua realidade regional. Conforme Teresinha Costa, foi aí que Mato Grosso manteve o ensino das duas disciplinas em sala de aula.

Em 1998, através da Lei Complementar 49, Mato Grosso já havia instituído que filosofia e sociologia seriam componentes curriculares do Ensino Médio. No ano passado, posição semelhante, para todo o país, foi data pelo Conselho Nacional de Educação.

Em 2000, a Unemat e a UFMT ofereceram 100 vagas para a formação de professores de Pedagogia, com licenciatura nestas disciplinas. Foram 50 vagas para a Unemat (Filosofia) e 50 para a UFMT (Sociologia). Anteriormente, esta formação só seria possível praticamente em nível de especialização.

A nova Lei eliminará os problemas que aconteciam com alunos que vinham de estados onde a oferta das duas disciplinas não acontecia. Teresinha explica que estes alunos precisavam fazer uma complementação para se adequarem aos currículos do Ensino Médio em Mato Grosso.
A demanda de professores com a formação específica em Filosofia e Sociologia deve ser avaliada em pesquisas que serão feitas agora, após a aprovação da Lei Federal.

Vodu de Chávez

Um boneco de algodão com o rosto caricaturado de Hugo Chávez e sua tradicional camisa vermelha, vendido com um “kit” de alfinetes coloridos, começa a fazer sucesso na Colombia, terra de Álvaro Uribe, desafeto de Chávez.

Até opositores de Uribe se divertem alfinetando o vodu do venezuelano e, conforme o jornal El Tiempo, o desenhista Nicolás Mendoza, autor do brinquedo, acredita que o boneco já está mudando o comportamento chavista.

Para ele, foi depois do lançamento do vodu que Chávez declarou que "a luta armada tinha passado à história" e pediu às Farc que libertassem todos os reféns em seu poder.

Em tempo: o boneco vodu de Hugo Chávez traz uma espécie de manual de instruções.

A etiqueta exibe a frase: "No caso de invasão estrangeira, use os alfinetes para defender a Pátria". Leia mais aqui

Frase do ano

“No mundo atual está se investindo cinco vezes mais em remédios para virilidade masculina e silicone para mulheres do que na cura do Mal de Alzheimer. Daqui a alguns anos, teremos velhas de seios grandes e velhos de pinto duro, mas eles não se lembrarão para que servem”. Drauzio Varella – médico e escritor brasileiro.