4 de agosto de 2008

O cão que não acata desaforo

Se você acha que baixinhos são mesmo invocados, tem razão. O dachsound, cão popularmente conhecido no Brasil como salsicha, é a raça doméstica mais feroz do planeta.

É o que diz pesquisa da Universidade da Pensilvânia que entrevistou mais de 6 mil proprietários de animais.

Um em cada cinco donos de salsichas disseram que seus bichinhos atacaram estranhos e, muitas vezes, eles mesmos.

Em segundo lugar ficou o chihuahua, menor cão do mundo. Rottweilers e pitt bulls ficaram na média.

Os mais calminhos são o grandão são bernardo, o labrador e o golden retriever.

Desistir dos nossos objetivos, jamais



Ir em frente, sim. Jamais desistir de nossos sonhos e ideias. Para isso é preciso muita luta, garra e determinação. Veja exemplo no vídeo.

Charge do Dia

Charge de Ivan do Diário de Natal (RN). Essa é boa...

Governo não investe na educação no trânsito

Desde que o CBT (Código Brasileiro de Trânsito) entrou em vigor, há dez anos, cerca de R$ 1,4 billhão deixou de ser investido em projetos para educar motoristas e pedestres com o intuito de prevenir acidentes, O Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) aplicou no primeiro semestre deste ano apenas 13,8% do total de verbas provenientes do DPVAT (seguro obrigatório pago por donos de veículos) e do Funset (fundo nacional das multas).


O contraste é a previsão de reajuste do valor das multas de trânsito em 64,5% por meio de um projeto que deve ser enviado ao Congresso e que, nas palavras do Ministro da Justiça, Tarso Genro, dará "dorzinha no bolso" do motorista infrator.(Com informações da Folha de São Paulo)

Autoridades vão debater “O Brasil e o Estado de Direito”

Nesta segunda-feira (4) o presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, o ministro da Justiça, Tarso Genro, o procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, e o presidente da OAB, Cezar Britto, vão se reunir no auditório do Grupo Estado, em São Paulo. Eles discutirão se o Brasil, como nação democrática, respeita as liberdades fundamentais de cidadãos suspeitos de descumprir a lei.O Brasil e o Estado de Direito, promovido pelo jornal será transmitido ao vivo pela TV Estadão e terá flashes da Rádio Eldorado, a partir das 12h. JPM

Publicado decreto que cria Fundo Amazônia

Foi publicado na edição desta segunda-feira (4), do Diário Oficial da União, o Decreto n.º 6.527, que institui o Fundo Amazônia, assinado na última sexta-feira (1º) pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.


A norma autoriza o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a captar recursos privados a partir de doações voluntárias, sejam nacionais ou estrangeiras, para investir em ações de prevenção, monitoramento, e combate ao desmatamento.


A expectativa do Ministério do Meio Ambiente é de que o fundo capte US$ 1 bilhão já no primeiro ano. O fundo atuará ainda nas áreas de gestão de florestas e áreas protegidas, controle e fiscalização ambiental, manejo florestal sustentável, atividades econômicas desenvolvidas a partir do uso sustentável da floresta, ordenamento territorial e regularização fundiária, conservação e uso sustentável da biodiversidade. Um comitê orientará as ações do fundo. (Com informações da Agência Brasil)

Partidos podem preencher vaga para vereador até dia 6

Os partidos políticos que não indicaram, dentro do prazo legal, o número máximo de candidatos a vereador para as eleições de 2008, têm até a próxima quarta-feira (6) para preencher as vagas restantes, conforme dispositivo da Lei das Eleições (Lei 9.504/97) e a Resolução 22.579/07 do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Esta data marca também o fim do prazo para que as legendas substituam candidatos que tiveram pedido de registro negado pela Justiça Eleitoral, ou ainda que tenham renunciado, falecido ou sido considerados inelegíveis. Em Campo Grande, até o momento, 10 vereadores renunciaram.

De acordo com o artigo 10 da Lei das Eleições, para o pleito às Câmaras Municipais no próximo dia 5 de outubro cada partido pode registrar até 150% do número de cadeiras disponíveis na casa legislativa do município. Assim, se a Câmara local tem dez cadeiras, cada partido pode registrar até 15 candidatos. Já no caso de coligações, a lei permite que sejam registrados até o dobro do número de vagas em disputa, independente do número de partidos que componham a chapa.