14 de agosto de 2008

CGU fará fiscalização especial do PAC em Tangará da Serra

A Controladoria-Geral da União (CGU) realizou nesta quarta-feira (13) edição especial do Programa de Fiscalização a partir de Sorteios Públicos para escolher 50 municípios (veja a lista) que serão fiscalizados quanto à aplicação de recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), nas áreas de saneamento e de habitação.

O município sorteado com a maior população foi Santarém, no Pará, com 276.074 mil habitantes, e o menor foi Inajá, no Paraná, com 2.702.

Tangará está lista. Por quê? O que houve?

Charge do Dia


Autor: Zé Dasilva do Diário Catarinense.

Blogueiro empossado como novo presidente do Conselho Municipal de Cultura

A Coordenação Geral dos Conselhos do Município de Tangará da Serra, órgão vinculado ao poder Executivo, empossou este blogueiro ontem, à noite, como presidente do Conselho Municipal de Cultural (CMC).

A posse deste jornalista ocorreu de forma legal em substituição ao então presidente que por motivos pessoais comunicou afastamento.

Na assembléia ordinária desta quarta-feira (13), com aprovação dos conselheiros presentes, aprovamos diversas iniciativas para práticas ainda no neste segundo semestre de 2008.

Outra assembléia está agendada já para a próxima quarta-feira (20), para discussões de assuntos pertinentes ao bom andamento do CMC.

Dificuldades para ensinar e aprender

A sala de aula está cada vez mais um local difícil para se trabalhar. Não, necessariamente por causa daqueles estudantes que ainda estão sem ligar para a aprendizagem, mas pela falta de boas condições de trabalho.

Sem boa ventilação, as salas são extremamente quentes. Maioria com paredes rabiscadas com aspecto de prisão.

Há ventiladores sem funcionar. Lâmpadas queimadas. Fiação exposta. Carteiras com mais de décadas de uso.

Janelas de vidros com defeitos. Portas sem fechadura. Mobiliário antigo e inadequado.

Não há bons recursos didáticos. Data-show ainda é privativo. Nem todos os alunos podem fazer uso dessa tecnologia de ponta.

Por fim, as aulas monólogas se tornam enfadonhas, cansativas, desmotivadoras.

Desse jeito não há como manter o estudante em sala de aula para assistir, participar e aprender os conteúdos geralmente fracos repassados por nós professores.

Imagino que nossa Educação do jeito que está não ensina mais conforme seu propósito específico.

Algo novo precisa ser discutido, analisado e posto em prática para o bem de nossa juventude estudantil. Antes que seja tarde de mais.

Ministro entrega títulos de terras na Amazônia

Nesta quinta-feira (14), o ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, entrega, no Amazonas, títulos de concessão de uso a proprietários rurais.

Acompanhado do presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Rolf Hackbart, o ministro visitará o Projeto Agroextrativista Cabaliana 1, na comunidade do Castanho, que fica no município de Manacapuru.

Amanhã (15), Cassel lança o Plano Safra Mais Alimentos 2008/09 no Amazonas, que destina R$ 72,2 milhões para a agricultura familiar do estado.

A solenidade será realizada às 10h, no auditório da Universidade Estadual do Amazonas.JPM

Multas somam R$1 bi em 2 meses de gestão Minc

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, prometeu que seria "performático" desde o primeiro dia. Em que assumiu o ministério do Meio Ambiente.

Passados pouco mais de dois meses, foram muitas frases de efeito, algumas polêmicas e cerca de 1 bilhão de reais em multas por crimes ambientais.

Esse valor é equivalente a pouco menos de 60 por cento da verba colocada à disposição da pasta para todo o ano de 2008, descontada a soma contingenciada pelo governo federal.

Para este ano, o Ministério do Meio Ambiente teve contingenciado 1,22 bilhão de reais, deixando, na prática, cerca de 1,78 bilhão de reais para todas as despesas da pasta, segundo dados do Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi) coletados pela ONG Contas Abertas.

Arrocha o nó. Essas multas ainda estao suaves.

STF: universidades públicas não podem cobrar taxa de matrícula

O Supremo Tribunal Federal (STF) proibiu a cobrança da taxa de matrícula pelas universidades públicas do país a partir desta quarta-feira (13).

A decisão foi tomada durante o julgamento de um recurso extraordinário protocolado pela Universidade Federal de Goiás contra sete candidatos aprovados no vestibular daquela instituição.

O entendimento do Supremo determina que a medida seja válida para todas as matrículas a serem realizadas a partir de agora.

Os autores dos doze processos analisados pelo STF vão receber o dinheiro de volta das universidades, mas a decisão não vale automaticamente para outros estudantes.

De acordo com o Supremo, quem se sentiu prejudicado com a cobrança antes da súmula poderá entrar na Justiça para tentar reaver o dinheiro.