3 de novembro de 2008

Sinal de alerta aos novos Prefeitos

Por Gilmar Gonçalves

Os novos prefeitos eleitos, em especial aqueles que defenderam em sua linha programática uma forte política de investimentos em seus municípios, terão que avaliar com muita acuidade juntamente com a sua equipe técnica a possibilidade real de cortes principalmente nas áreas estruturais, se quiser garantir à efetivação dos serviços essenciais disponibilizados a população. Leia AQUI

Charge do Dia


Charge de Duke publicada hoje na Super Notícia

52% dos mato-grossenses confiam na Polícia

Enquete realizada por este blog aponta que 52% dos seus webleitores confiam na polícia do Estado de Mato Grosso. O resultado seria melhor, caso, 48% não tivessem dito o contrário.

Pergunta: Você confia na polícia de Mato Grosso?

CONFIRA:

Sim: 52%
Não: 48%

Candidatos derrotados poderão quitar contas até o fim do ano

A Agência Brasil informou agora a pouco que o prazo para quitação de contas de campanha dos candidatos que não se elegeram em outubro, que terminaria amanhã (4), foi prorrogado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para 31 de dezembro.

A Corte acolheu pedido do DEM, do PSDB, do PT e do PMDB. A nova data é quando se extingue automaticamente o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) e a conta bancária eleitoral criada pelos candidatos com fins específicos de campanha.

Permanece o mesmo o prazo - dia 4 de novembro - para os candidatos eleitos quitarem suas contas, já que elas devem estar apreciadas até a diplomação, em 18 de dezembro.

Prefeitos do PR discutem emendas parlamentares com bancada federal

Prefeitos eleitos pelo PR em Mato Grosso se reúnem, nesta terça (04), em Brasília, para discutir propostas a serem apresentadas ao Orçamento Geral da União. O OGU está na fase de apresentação das emendas pelos parlamentares e, na avaliação do deputado federal Wellington Fagundes (PR-MT), as mudanças feitas na forma de apresentação dessas emendas exigem uma articulação maior entre parlamentares e gestores municipais. Da Assessoria.

Projeto de Serys que exclui Imposto Territorial Rural será analisado

A assessoria de imprensa da senadora Serys Slhessarenko (PT-MT) informa que o projeto que exclui a incidência do Imposto Territorial Rural (ITR) sobre as áreas rurais preservadas além do exigido para reserva legal (PLS 304/07), será analisado nesta terça-feira (4), na Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA), no Senado Federal. Recado transmitido.

Operação combate a pedofilia em Cuiabá e VG; dentista é preso

Nesta manhã de segunda (03), Grupo de Ação e Combate ao Crime Organizado (Gaeco), realiza uma operação de combate a pedofilia na região da Grande Cuiabá. Até o momento, um dentista foi preso e presta esclarecimentos a polícia.

Com o dentista, documentos e computadores foram presos para serem analisados e podem ser anexados à investigação. O Gaeco ainda cumpre outros mandados em Cuiabá e Várzea Grande.

Imazon aponta MT em segundo lugar no ranking do desmatamento

O desmatamento atingiu 348 quilômetros quadrados de florestas na Amazônia em setembro, segundo relatório do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon).

O número representa quase o triplo do registrado no mês anterior, quando foram detectados 102 km², mas uma queda de 69% em relação ao mês de setembro de 2007, quando o desmatamento somou 1.113 km².

Segundo o Imazon, o estado onde foi detectado maior desmatamento foi o Pará (58%), seguido por Mato Grosso (22%), Rondônia (10%) e Amazonas (7%). Os outros estados da Amazônia Legal (Acre, Amapá, Roraima e Tocantins) contribuíram com apenas 3% do total.

A área desmatada em setembro corresponde a cerca de oito vezes a Floresta Nacional da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Os dados do instituto apontam ainda que 87% do desmatamento ocorreram em áreas privadas ou dominadas por posseiros.

Assentamentos de reforma agrária foram responsáveis por 6% do desflorestamento, mesma porcentagem da área destruída nos parques e reservas. A devastação dentro de terras indígenas representou apenas 1% do total. TVCA

Lula quer fim da polêmica sobre Lei de Anistia

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva está preocupado com a ampliação da polêmica em torno da aplicação da Lei da Anistia, que já chegou até à Organização dos Estados Americanos (OEA), e quer que seus ministros parem de alimentar o debate pela imprensa. Lula quer evitar que seja aberta uma nova frente de críticas ao Brasil no exterior. Vez por outra o País entra na berlinda, questionado em foros internacionais por causa de denúncias de trabalho escravo ou de menores, além de problemas com índios. (Com informações da Agência Estado)