7 de novembro de 2008

Poema. 'Canta fascinação...'


POR REJANE TACH

Canta fascinação, perto das minhas entranhas
E me deixa presa como um inseto
Em você
Numa vertigem absoluta
Mútua...
Canta perto do meu ventre
Verticalmente, homem divino
Nos meus ciclos de querer
Horizontalmente abraçado
Num escândalo imaculado me propaga
A mudez de sentir
O céu sobrevoando meu ar com sua boca na minha...
Contagia meu sexo em aspirais
E me supero...
Espero
Então canta, que eu escuto
Recolhida
Amada
Sua...

Luz num dos túneis...

Sinal verde para o fim do uso abusivo da influência do cargo para se reeleger pisca no Senado, depois de o sinal vermelho disparar alerta nas últimas eleições com a reeleição de 19 dos 20 prefeitos de capitais (95%) que disputaram mais quatro anos de mandato (treze deles no primeiro e seis no segundo turno).

A CCJ aprovou proposta de emenda à Constituição (PEC) que obriga os chefes do Executivo (presidente da República, governadores e prefeitos) a se afastar seis meses antes quando forem se candidatar à reeleição.

O projeto de autoria do senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) terá de ser votado no plenário do Senado. Depois seguirá à análise da Câmara dos Deputados.

Jéssica Martins é a aniversariante desta sexta

A bela webleitora Jéssica Martins celebra níver nesta sexta. Para esta tangaraense que se prepara para iniciar seu curso superior em 2009, nossos vivas e parabéns. Tintim!!!

Cassado registro de prefeito reeleito

O registro de candidatura do prefeito reeleito de Santo Antônio de Leverger, Faustino Dias Neto (DEM), foi cassado ontem por determinação do juiz da 38º Zona Eleitoral, Lídio Modesto. A punição foi estendida também ao candidato à vice-prefeito Izaías Vieira da Silva (PDT). A sentença declara também a inelegibilidade da dupla pelo período de três anos. A decisão do magistrado atende aos pedidos da coligação ‘Avança Leverger’, encabeçada pela candidata derrotada Glorinha Garcia (PP). Diário

Vereador eleito diz que PT está livre para viabilizar candidaturas em 2010

Prezado Dorjival

Tenho sido um assíduo leitor de seu Blog e, doravante, quero colaborar também com as discussões.

Bem em relação as eleições de 2010, todo partido está livre para discutir e viabilizar candidaturas, inclusive o PT que o fará com a maior tranqüilidade, pois é nosso direito, e não há nenhuma amarração nesse sentido na base aliado do Prefeito Júlio César.

A rigor, o PT já deu sua contribuição na eleição passada quando entramos na discussão do voto útil, que cá prá nós, foi um tiro no pé. Naquela ocasião, como outros partidos, sacrificamos a participação nossa nas eleições de 2006.

Agora é hora dos partidos que tiveram seus candidatos na eleição passada recuarem e abrirem espaço para as siglas que não disputaram o pleito passado. Seria uma atitude de grandeza e mostraria realmente a disposição em colaborar com o nosso Município e Região. O resto é balela.

Bem, quando fala do voto útil ser um tiro no pé, para não falar inútil, estou referindo-me principalmente à questão dos deputados federais.

Tangará teve um prejuízo enorme. As portas dos gabinetes dos Federais ficaram fechadas para o Município durante esses quatro anos e deixamos de ter muitos investimentos.

Cadê a presença do Wellington Fagundes, do Eliene, do Carlos Bezerra? Tivemos modesta contribuição do Deputado Carlos Abicalil e do Deputado Valtenir. A participação da Deputada Thelma de Oliveira, no asfalto da Vila Alta não sei se aconteceu, mas se aconteceu, foi muito modesta também. Tudo porque fechamos as porteiras e chutamos todos que aqui vieram.

O resultado foi um prejuízo político e de investimentos enorme para Tangará e região, a troco de que?. Esse erro não cometeremos mais.

A definição das nossas candidaturas, as do PT, será avaliada no âmbito interno do partido e caberá a nós dizer se vamos ou não disputar, com quem vamos disputar e de que forma faremos a disputa.

Essa é a democracia. Aprendi que a política é a arte do diálogo, da paciência, da negociação clara e transparente, e, do entendimento. Na política não há mais espaço para a imposição, pois a Imposição deixa profundos traumas, às vezes irreconciliáveis. A história política de Tangará é testemunho disso.

Então, necessitaremos de muito juízo, muita articulação e bom senso. Estamos prontos para os debates e embates vindouros.

Um fraterno abraço.

Prof. MSc José Pereira Filho (Zé Pequeno)