7 de março de 2009

Ganhando R$ 10 mil, reitor consegue ''atestado de pobreza''

O reitor da Universidade Estadual de Mato Grosso, Taisir Mahmudo Karim, conseguiu um "atestado de pobreza" e recorreu à justiça gratuita numa ação contra a Associação de Docentes da Unemat.

O Juízo da Quarta Vara de Cáceres garantiu atendimento gratuito a Taisir Karim, que recebe por mês em torno de R$ 10 mil, entre salário e gratificação. “É um absurdo jurídico. A justiça não pode conceder serviço gratuito a quem, sabe-se publicamente, ganha de R$ 10 mil e 12 mil”, disse Bruno Boaventura, assessor jurídico da Adunemat.

O advogado alega, ainda, que o reitor incorreu no ato de má-fé, pois, seu posto público não lhe permite alegar desconhecimento da informação elementar de que a justiça gratuita é um direito exclusivo de pessoas pobres. Boaventura vai apresentar impugnação à condição de pobreza alegada por Taisir e pedir multa sobre o reitor estimada em R$ 6 mil.

O cálculo é feito sobre as custas processuais referentes a uma ação judicial estipulada em R$ 20 mil. Esse é o valor que Taisir pediu por danos morais contra a Adunemat porque a entidade denunciou sua ameaça de reduzir salários de professores caso não comprovassem desenvolvimento de atividade segundo regime de trabalho. LB/AA

Proposta do governo sobre piso salarial dos professores não avança

O Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep/MT) se reuniu hoje (06) com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

O órgão apresentou o crescimento da receita de fevereiro deste ano, 8% em relação ao mesmo período de 2008.

Segundo o secretário Ságuas Moraes, o ideal para o pagamento imediato do piso salarial de R$ 1.050,00 seria um crescimento de 10% a 12%.

O presidente do Sindicato, Gilmar Soares Ferreira, lamentou o atraso do aumento salarial. “Estudos realizados pelo Sintep/MT junto com a Seduc comprovam a viabilidade de implantação do piso desde setembro de 2008”, lembrou

A Secretaria manteve a proposta de pagamento do piso de R$ 1.050,00 em maio deste ano.

PF indicia tucanos de Mato Grosso

A Polícia Federal indiciou dirigentes do PSDB de Mato Grosso por crimes eleitorais e formação de caixa dois que teriam sido praticados nas eleições de 2002. Foram indiciados o tesoureiro Paulo Ronan Ferreira e o presidente do Comitê do partido, Lourival Ribeiro Santos. No mesmo inquérito foi indiciado o bicheiro e ex comendador de Mato Grosso, João Arcanjo Ribeiro, por crime contra o sistema financeiro. João Arcanjo está preso na penitenciária de segurança máxima em Campo Grande (MS) por outros crimes. Agência Estado

Assim penso...

"Amigos são aquelas pessoas raras que nos perguntam como estamos e depois ficam à espera da resposta."

Criticar sem ser visto é muito fácil

Por Diego Soares

Um blog na internet vem chamando a atenção, principalmente da imprensa tangaraense. Esse espaço, pouco democrático por sinal, está cometendo uma grande injustiça, que é deixar com que as pessoas pensem que um vem fazendo o trabalho do outro.

Para ser bem mais claro, o que vem acontecendo é que estou sendo acusado por muitos de ser o autor desse projeto de mal gosto que ataca sem a menor responsabilidade e ética o trabalho de profissionais comprometidos e embasados.

Essa piada de mau gosto vem acima de tudo, atingindo a mim. Como crítico, sei receber críticas, e as críticas que os leitores enviam direcionadas a mim, desde que não ofendam a minha honra, são inclusive publicadas no meu blog, mas a questão é que não estou recebendo críticas, mas sim sendo acusado de fazer algo do qual não tenho absolutamente nada a ver, que é a autoria desse blog irresponsável criado para denegrir a imagem dos profissionais de imprensa.

Criticar sem ser visto é a coisa mais fácil que existe. Eu posso sair por aí atacando todo mundo sem me identificar, todos vão se perguntar quem seria o autor dessas peripécias, mas eu me manteria protegido pelo anonimato.

Ao contrário disso as críticas que teço são diretas, e me apresento. Assino todas elas, tanto no meu blog quanto nos jornais em que escrevo e não fico me escondendo, com medo de possíveis represálias que posso sofrer. Estou aqui. Todos me vêem.

Assino o que escrevo. Meu telefone é o mesmo – 9212-9288.

Para concluir, não sou o autor do blog Bastidores da Imprensa. Nunca passou pela minha cabeça escrever algo do tipo e muito menos não assinar o que escrevo.

Volto a frisar, sou responsável por aquilo que faço, mas não me responsabilizo pelo que os outros fazem. As críticas são bem vindas, mas quando eu as provoco, para merece-las!

Diego Soares
Autor sim, do Xeque Mate News.