22 de março de 2009

"Clube de Autores" facilita lançamento de livros

Olha uma boa notícia para aqueles que sempre sonharam em ter o seu livro publicado, mas só de pensar em apresentar seu projeto para uma editora logo desanima. Anote aí. As empresas A2C e I-Group acabam de lançar um projeto inovador no Brasil.

Chama-se "Clube de Autores". Através dele é possível publicar livros e vender com print on demand, sem qualquer custo para o autor.

Vou explicar melhor Você escreve o seu livro, entra no site, se cadastra, diz quanto deseja ganhar por venda, valida o preço final, e publica na loja on-line. Do outro lado, quem se interessar, pode comprar o seu livro via comércio eletrônico.

Quando o livro é comprado, o pedido vai diretamente para a gráfica, que imprime um a um, dá o acabamento final e despacha para o comprador. O próprio autor escolhe a imagem da capa, tem acesso aos custos totais por unidade impressa, e assim decide a margem que coloca para venda, compondo o preço final.

O livro fica exposto no site do Clube de Autores, à venda via e-commerce, e o autor recebe os direitos autorais conforme estipulou por conta própria no cadastro do site.

Esses valores referentes a direitos autorais ficam no extrato do autor, até acumular R$ 300, que é depositado na conta corrente indicada no momento do cadastro.

Esse é o primeiro modelo de negócios que vai viabilizar o sonho de muitos autores que via editora normal não conseguiriam publicar e vender no mercado.

E o melhor, sem qualquer custo para o autor. Veja AQUI essa e outras novidades da alta tecnologia. CS

Charge do Dia

Autor: Ique (Jornal do Brasil).

PTB quer fim do foro privilegiado

Se tivesse emplacado a interpretação do presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), para a legislação que trata da tramitação de medidas provisórias, estaria livre o caminho para os deputados se debruçarem sobre uma Proposta de Emenda Constitucional que promete polêmica entre parlamentares e tem motivos para atrair o olhar da sociedade: o fim do foro privilegiado. Antiga bandeira da esquerda, até o PTB entrou na discussão e incluiu o tema como prioridade do partido para este ano. Líder na Câmara da legenda que compõe a base de apoio do governo, o deputado Jovair Arantes (GO) dá o tom do debate. – Está na hora de acabar com o foro privilegiado. O deputado é um cidadão como qualquer outro. Ele tem que ter imunidade sobre palavras e opinião enquanto parlamentar, mas não para crimes comuns – defende Arantes.(Com informacoes do JB)

Assim penso...

"Mulheres existem para serem amadas, não para serem entendidas."

Vinícius de Moraes

Demarcação de terra indígena pode agora depender também de decisões políticas

As demarcações de terras indígenas no Brasil ganharam uma nova interpretação com decisão do STF desta quinta-feira (18), que confirmou a demarcação contínua da reserva indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima e colocou uma série de condições para o uso da área.

Mas as disputas podem ganhar um novo personagem: o Congresso Nacional. Tramita na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 4791/09, dos deputados Aldo Rebelo (PCdoB-SP) e Ibsen Pinheiro (PMDB-RS), que submete as demarcações de terras indígenas à aprovação do Congresso Nacional. Leia mais no Tangará Repórter

PP não quer discutir nomes neste momento

Presidente do diretório regional do PP, Chico Daltro afirmou que o partido não irá, nesse momento, discutir nomes para o governo do Estado e nem mesmo definir alianças para 2010.

A posição soa como alerta para legendas como o DEM e o PMDB que, inclusive, tinham na agenda desta segunda-feira reuniões com os progressistas.

Os encontros foram adiados. Segundo Daltro, o único projeto coeso na legenda até agora se refere ao possível lançamento do deputado José Riva (PP) ao Senado.

PMDB e DEM assinalam discutir a sucessão de 2010

Dois dos principais partidos que estão no arco de alianças, mas mantêm conversações com o PSDB do prefeito Wilson Santos para 2010, o PMDB e o Democratas realizam encontros partidários nesta semana para colocar na mesa o andamento das conversações visando a sucessão do governador Blairo Maggi, no próximo ano, quando estarão em jogo os cargos de governador, duas vagas de Senador, oito vagas de deputados federais e 24 vagas de deputados estaduais, além é claro do cargo de presidente da República.

Ambos participam seus principais filiados (prefeitos, vereadores e deputados) que têm candidato, mas que precisam se coligar sob pena de não obterem o resultado esperado das urnas eleitorais.

O PMDB aposta em Silval Barbosa, vice-governador que se torna candidato natural principalmente se Blairo Maggi se desincompatibilizar.

Já o DEM, aposta suas fichas no senador Jaime Campos que foi governador no quadriênio 1991 a 1995 e que hoje reúne condições de conversação com os demais partidos, sejam eles do arco de alianças ou não. A Gazeta