8 de maio de 2009

Tangará ganha Gabinete de Gestão Integrada

A cidade de Tangará da Serra que completa 33 anos, no próximo dia 13, será contemplada com a instalação do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) municipal. O decreto que a autoriza a instalação do GGI no município foi assassinado hoje pelo secretário estadual de segurança pública Diógenes Curado e o prefeito em exercício, José Pereira Filho (PT).

Tangará da Serra sedia etapa da 1ª Conferência Estadual de Segurança Pública

Mais uma etapa preparatória para a 1ª Conferência Estadual de Segurança Pública (Conseg) iniciou na manhã desta sexta-feira (08), em Tangará da Serra. O evento reúne, no Centro de Formação Profissional e Tecnológica (Ceprotec) da cidade, entre outros, representantes da sociedade civil, do Executivo, de Sindicatos, associações, clubes de serviços e dos órgãos de segurança pública.

Médico e enfermeiro do Exército estão "impondo" ritmo de trabalho na UMS

Fiquei sabendo agora a pouco que um médico e um enfermeiro do Exército, que estão trabalhando no combate à dengue em Tangará da Serra, estão causando o maior frisson nos profissionais de saúde da cidade.

O detalhe é que eles trabalham com a disciplina de militares. Atendem muitos pacientes em pouco tempo, não brincam em serviço, são simpáticos e, por esses e outros motivos caíram na graça da população tangaraense.

Muitos pacientes estão dando preferência ao atendimento do médico do Exército Brasileiro.

Essa situação vem gerando enorme ciumeira na Unidade Mista de Saúde. É ti ti ti por todos os lados.

O lado excelente dessa situação é que, para não ficarem preteridos pelo povão, os profissionais que atuam naquela UMS estão também dando um duro danado para acompanhar o ritmo de trabalho naturalmente imposto pelos militares.

Já há quem esteja comentando que se esses profissionais tivessem chegado mais cedo em Tangará da Serra a situação poderia estar bem diferente da atual, onde mais de 1100 casos de dengue, por exemplo, foram registrados.

Publicidade da prefeitura não é veiculada em todas as empresas de comunicação da cidade

Lamento muito que o amigo prefeito José Pereira Filho (PT) esteja autorizando tamanha desigualdade e discriminação contra empresas de comunicação de Tangará da Serra. Veículos que dão emprego, renda e pagam considerável volume de impostos mensalmente para a municipalidade.

Se os recursos do Município são nossos, não haveria porque a prefeitura privilegiar alguns em detrimento de outros.

Que estímulo a essas empresas de comunicação que dão emprego e sustento para dezenas de famílias, está dando a prefeitura de Tangará da Serra, quando não sei por quais motivos, corta abruptamente investimentos de publicidade nelas?

Estou vendo esse comportamento do prefeito como um gesto antidemocrático e desatualizado em face dos novos tempos.

Se a verba aprovada para investimentos em campanhas de conscientização não contempla todos os veículos, que cada um por seu turno, tem seu público fiel, é porque tem algo errado.

Neste sentido quero apresentar na próxima semana para a Câmara de Vereadores uma proposta que futuramente possa se transformar em Lei. Onde todos os veículos de comunicação, mesmo aqueles de entidades e de bairros periféricos recebam incentivos para publicar informes oficiais.

Do jeito que está não dá. Pelo menos é isso que penso.

Assim penso...

"Que a inspiração chegue não depende de mim. A única coisa que posso fazer é garantir que ela me encontre trabalhando".

Pablo Neruda

Novo endereço: www.diariodetangara.com

Alô amigo (a) o endereço eletrônico desta página mudou para http://www.diariodetangara.com/

Mais fácil para você e seus amigos acessarem.

O editor

Vice-prefeito cassado participando de atos oficiais do Município

O vice-prefeito cassado de Tangará da Serra, José Jaconias da Silva (PT), aparece hoje, na capa de um jornal da cidade, na companhia do prefeito em exercício José Pereira Filho. A imagem é de um ato oficial realizado pela Prefeitura e Unemat – campus universitário local. Jaconias aparece na hora do corte da faixa que oficializaria a inauguração de novas melhorias implementadas na biblioteca da Universidade.

Silval admite abrir diálogo com PSDB

Pré-candidato ao PMDB ao governo do Estado, o vice-governador Silval Barbosa disse ontem que a inclusão do PSDB no mesmo palanque de partidos da base do governo “é uma possibilidade que deve ser avaliada”. Astuto nas considerações, Silval diz que todos os partidos devem conversar para buscar um entendimento e só, num segundo momento, definirem quem de fato será o líder da chapa majoritária nas eleições de 2010. O Diário

Ex-prefeito de Sorriso está inelegível por 3 anos

O ex-prefeito de Sorriso, Dilceu Rossato (PR), está inelegível por três anos a partir da eleição de 2008 e ainda terá que pagar multa de R$ 10 mil por compra de voto.

A condenação ainda é de primeira instância, por isso ele pode recorrer.

Além de Rossato, seu candidato a vice, Ederson Dalmolin, também sofreu condenação igual. A decisão é do juiz eleitoral da 43ª zona, Wanderlei José dos Reis.

Ele julgou parcialmente procedente uma ação de investigação judicial interposta pelo prefeito eleito do município, Clomir Bedin (PMDB), onde Dilceu Rossato e seu candidato a vice foram acusados de distribuir gratuitamente bonés, camisetas e coletes a eleitores, o que é proibido pela atual legislação eleitoral.

Rossato concorria à reeleição.

Isso é Brasil

Marcos Valério, Delúbio Soares e José Genoíno (o trio do mensalão), foram absolvidos pelo STF da acusação do crime de gestão fraudulenta. Mas eles continuarão respondendo por crime de falsidade ideológica. Enquanto isso, Delúbio tenta voltar ao PT para ser candidato a deputado federal em 2010; Genoíno já é deputado; e Valério, o elo podre, é o único que está preso.

A pressão das grandes câmaras de vereadores

As chamadas grandes Câmaras Municipais – São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Porto Alegre (RS) e Belo Horizonte (MG) – iniciaram mobilização para impedir que o Congresso aprove a PEC que aumenta o número de vereadores e reduz as despesas com os legislativos. A proposta, que passou pela CCJ do Senado e vai para o Plenário, caso aprovada, atinge principalmente os gigantes. Por isso, a incerteza de que passará pelo crivo dos senadores, antes de chegar à Câmara dos Deputados.

357 cassados por compra de votos

Pelo menos num aspecto não se pode dizer que a Justiça Eleitoral é omissa. Após as eleições municipais de outubro do ano passado, essa mesma Justiça Eleitoral já cassou 357 políticos que estavam no exercício de mandatos, pois todos eles, comprovadamente, compraram votos para se eleger. Deste total, 233 deles foram prefeitos e vice-prefeitos.

O restante (119) são vereadores que perderam o mandato por decisão judicial. O quantitativo de cassações no ano passado é 14 por cento maior do que a soma de cargos perdidos depois das eleições de 2004 a 2008. Verifica-se, então, que há um progresso evidente.

Imaginemos que no ano de 2008 foram cassados 95 prefeitos, vices e vereadores. Na eleição seguinte esse número aumentou para 215. Fazendo-se um somatório dos três últimos pleitos realizados, nada menos do que 667 políticos com atuação municipal foram cassados por decisão judicial.

Esses números conhecidos ontem foram divulgados pelo Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, uma iniciativa encabeçada por 40 entidades de classe, tais como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Essa pesquisa foi realizada em março passado e abrangeu 2.503 Zonas Eleitorais, o que corresponde a quase 84 por cento do total de votantes do País. Mas, a própria Justiça Eleitoral adverte: o número de cassados pode aumentar, pois existem cerca de 4 mil casos pendentes de julgamento no Brasil.