28 de agosto de 2009

Política é um negócio como outro qualquer

De Paixão Barbosa no blog do jornal A TARDE, da Bahia:

Depois da definição do PTB em favor da candidatura do ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, [ao governo do Estado], resta saber qual será a posição adotada pelo PSC, legenda que tem sido assediada fortemente pelo governo estadual, mas que ocupa cargos na Prefeitura de Salvador, que é do PMDB [de Gedel].

A cúpula estadual do PSC reuniu-se, na semana passada, com a direção nacional, mas nada anunciou até agora.

Partido dirigido no Estado pelo ex-deputado Eliel Santana, o PSC tem uma exigência para aderir: que o filho do presidente estadual, Heber Santana, que é suplente de vereador na Câmara Municipal de Salvador, assuma a cadeira do titular Erivelton Santana.

Este pode abrir a vaga, desde que seja com a sua assunção à Câmara Federal, uma vez que é o primeiro suplente de deputado federal da coligação PDT-PSC, feita em 2006.

E é justamente isto que está pegando para esta nova troca de posições, uma vez que não está muito fácil conseguir a cadeira para Erivelton.

A saída seria tirar um deputado federal do PDT, mas isto revelou-se desastroso, uma vez que Severiano Alves recusou-se a assumir a Secretaria de Ciência e Tecnologia e o governo achou um pouco demais colocar no cargo um dos dois outros pedetistas, Marcos Medrado ou Sérgio Brito.

O PDT aderiu, mas seus deputados não. Sem a moeda de troca, o PSC ainda está indefinido.
Vocês notaram que, em nenhum momento das linhas acima há alguma referência a compatibilidade política ou ideológica, ou a compromissos sociais ou princípios? É porque nada disto entra neste jogo.

A regra é, pura e simplesmente, aderir a quem dá mais, em cargos administrativos ou políticos. E por aqui ficamos.

Comissão aprova Pec dos Vereadores; falta só o plenário

A proposta que reduz os gastos com os legislativos municipais foi aprovada na comissão especial que analisava o assunto.

O texto também inclui o aumento do número de vereadores, que fazia parte da PEC 333/04.As mudanças faziam parte das propostas de emenda à Constituição 336/09 e 379/09.

Elas foram aprovadas na forma do substitutivo do relator, deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP).Ele recomendou a aprovação dos textos sem alterações.

A PEC ainda precisa ser votada pelo plenário em dois turnos.Saiba todos os detalhes AQUI.

A bandidagem está vencendo a guerra

Vamos recorrer aos noticiários que envolvem a temática policial e nós iremos observar que, a cada dia que passa, os bandidos estão se mostrando cada vez mais ousados. Por exemplo, já não perpetram seus crimes nas caladas da noite ou nas madrugadas.

Estão fazendo isso em plena luz do dia e de cara limpa, sem arrodeios, não escondem mais sequer as suas identidades. Para o cidadão comum, vai ficando também cada vez mais difícil conviver com esse clima de insegurança.

Nós estamos colocando isso assim, pois está em andamento, no Congresso Nacional, de Segurança Pública, e daqui nós fazemos votos que ali sejam encontradas as reais e mais urgentes soluções para conter o avanço da criminalidade no meio da sociedade brasileira.

Por mais criativas que sejam as nossas autoridades, por melhores que sejam as suas intenções e por mais boa vontade que tenham no andamento de suas providências, mesmo assim todos temos de reconhecer que estamos presentemente perdendo essa guerra contra os bandidos.

Professores do Brasil

Nesta segunda-feira, 31, encerram-se as inscrições para o Prêmio Professores do Brasil. A ficha de inscrição e regulamento, assim como as demais informações sobre a premiação estão disponíveis no site http://portal.mec.gov.br/premioprofessoresdobrasil/.

Serão premiados 40 professores de todas as etapas da educação básica: educação infantil, ensino fundamental 1 - do 1º ao 5º ano - e ensino fundamental 2 - do 6º ao 9º, e ensino médio. Os vencedores receberão prêmio de R$ 5 mil, diploma e troféu.

Palocci é absolvido

O Supremo Tribunal Federal (STF) absolveu ontem o ex-ministro da Fazenda e atual deputado federal Antonio Palocci (PT-SP) da acusação de participar da quebra de sigilo e divulgação de dados de uma conta pertencente ao caseiro Francenildo Costa, em 2006.

Senadores recorrem ao STF contra decisão do Conselho de Ética

O Supremo Tribunal Federal (STF) recebeu ontem Mandado de Segurança impetrado por sete senadores contra a decisão da mesa diretora da Casa de arquivar o pedido da oposição para que as denúncias contra o presidente José Sarney, por quebra de decoro parlamentar, sejam apreciadas pelo plenário.

Essas denúncias já haviam sido rejeitadas pelo Conselho de Ética.

Segundo os senadores, o arquivamento do pedido veda a manifestação soberana do plenário do Senado. Os impetrantes são José Nery Azevedo (PSOL), Jarbas Vasconcelos (PMDB), Renato Casagrande (PSB), Jefferson Praia Bezerra (PDT), Demóstenes Torres (DEM), Pedro Simon (PMDB) e Kátia Abreu (DEM).

De acordo com eles, a decisão pelo arquivamento do recurso que levaria as denúncias contra Sarney ao plenário foi "unilateral e antirregimental".