2 de setembro de 2009

Mato Grosso já registra mais de 36 mil casos de dengue em 2009

A Secretaria de Estado de Saúde tem até a presente data (02.09), notificação de 36.339 casos de dengue. Desse total 1.095 casos foram notificados como casos graves da doença.

Os óbitos registrados até o momento são 34, sendo que desse total, 28 casos foram confirmados e 06 casos estão sob investigação.

Os números são da Coordenadoria de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Mais de 1500 só em Tangará da Serra.

Reforma não agrada senadores de MT

Os dois senadores de Mato Grosso que estão hoje em Brasília, Serys Marly (PT) e Gilberto Goellner (DEM), concordam que o projeto de reforma eleitoral que será votado nesta quarta-feira na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, não é exatamente o que se esperava. Goellner a considera superficial e Serys destaca não ser a reforma dos sonhos, apesar de ter alguns pontos positivos. A intenção é que ela esteja aprovada até o dia 3 de outubro, para que possa ser aplicada nas eleições gerais 2010. A Gazeta

JORNAL DA CULTURA em circulação desde ontem

Em circulação deste ontem, em Tangará da Serra, a terceira edição do JORNAL DA CULTURA. Neste número, uma excelente entrevista com o conferencista internacional Doutor Celso Vasconcelos.

PEC dos Vereadores de rosca

Não será hoje que a Câmara dos Deputados coloca em votação a chamada “PEC dos vereadores”, que cria mais de oito mil vagas nas Câmaras Municipais de todo o país. O acordo para levar a plenário, com a certeza de aprovação, “furou” com a formação de um bloco de deputados que são contra a aplicação imediata da mudança. Ou seja, o grupo aceita criar novas vagas, mas com validade a partir de 2012.

A quem interessar possa

"A vergonha de reconhecer o primeiro erro leva a cometer muitos outros."

Pré-sal

Tirando a brincadeira de lado, de certo modo o pré-sal, com todo esse alarde, tem sido um dos maiores receios da oposição, e será exatamente por conta disso que os opositores vão empombar até apreciar e votar a matéria. Em matéria de política, Lula é mesmo um mala sem alça.

Remendo eleitoral apreciado hoje

Ainda falando a respeito do Senado da República, deverá entrar na pauta de votações a reforma eleitoral que na verdade nada mais é do que um simples remendo.

O ponto visto como mais interessante é aquele que libera as campanhas eleitorais para a rede mundial de computadores.

Existem outras questões até interessantes na proposta que será apreciada pelos senadores brasileiros e diz respeito ao financiamento das campanhas eleitorais.

Mesmo assim, não chegam nem perto de uma reforma eleitoral como espera a sociedade brasileira.

Governo construirá submarinos

Enquanto os municípios brasileiros estão prestes a decretar falência, o Senado da República aprovou créditos ao Governo Federal para que o Brasil construa submarinos e equipe as Forças Armadas brasileiras. Parece até piada, mas infelizmente essa é a mais pura realidade.

Assim penso...

"O ser humano não pode deixar de cometer erros; é com os erros, que os homens de bom senso aprendem a sabedoria para o futuro."

Plutarco

I Festival Gastronômico

Quando é mesmo que nós teremos o I Festival Gastronômico de Tangará da Serra?

Reforma que não reforma nada

Presentemente nós estamos assistindo o que parece ser nos seus últimos estertores, aqueles que podem ser os debates finais no parlamento antes da aprovação da tão propalada e tão sonhada Reforma Política.

Espera-se que ela entre em vigor efetivamente nas eleições do ano que vem. Mas, o desanimador de tudo isso é que, mais uma vez, os indícios mais evidentes apontam para um fato concreto: essa reforma não vai reformar nada.

Ou, não vai reformar muita coisa. Uma constatação a que nós, cidadãos, chegamos é a de que nós todos temos a necessidade urgente até de atualizar o sistema eleitoral vigente e a organização dos partidos políticos.

Mas, isso tudo esbarra num só empecilho: os próprios políticos que estão lá no Congresso Nacional ou fora dele. As questões menores estão se sobrepondo àquelas de maior relevância.

Vem sendo assim ao longo dos anos e custa crer que algo nesse sentido vá se modificar agora. Aguardemos.

CNJ e CNJ no You Tube

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o Supremo Tribunal Federal (CNJ) estão desde ontem com um canal direto no You Tube, o famoso site de vídeos do grupo Google.

Serão disponibilizados no portal mais de 400 vídeos, editados em aproximadamente 2.500 minutos.

Assim, os internautas podem ter acesso a programas diversos do CNJ, como o de Boas Práticas do Judiciário e o Nossas Crianças.

Lei antifumo

Em vários municípios brasileiros vem sendo sancionada a lei antifumo. Alguém por acaso tem alguma informação precisa sobre este assunto em Tangará da Serra?

Preciso deixar claro meu posicionamento: gostaria que se tornasse proibido o uso de cigarro ou similares em locais públicos e privados, como bares e restaurantes de Tangará da Serra.

E mais: que os estabelecimentos privados tenham que colocar placas determinando espaço para fumantes e não fumantes.

Queda da exigência do diploma extingue curso de Jornalismo da Facamp

A Facamp (Faculdades de Campinas), do interior de São Paulo, acabou com o curso de Jornalismo oferecido desde 2002 pela instituição.

De acordo com a direção da faculdade, a decisão foi motivada pelo fim da exigência de diploma de jornalismo para o exercício da profissão, medida aprovada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no mês de junho.

“A recente abolição da obrigatoriedade do diploma de jornalista para o exercício dessa profissão impôs a reorientação dos cursos de jornalismo do Brasil”, afirma a nota distribuída aos alunos.

NOTA DO BLOG: Isso é consequência da desvalorização do jornalismo promovido pela Fenaj. Fizeram o Brasil acreditar que diploma era tudo. Um verdadeiro tiro no próprio pé da entidade. Espalharam cartazes com coisas absurdas do tipo "não terás mais profissão alguma". Foi muita picaretagem para mobilizar pobres estudantes sem informação sobre a profissão. Muitas profissões no Brasil não são regulamentadas, mesmo assim as faculdades privadas ou públicas não fecham cursos. Para a Fenaj e seus sindicatos vai um recadinho: "não terão mais sindicalizado algum". Hahahaha...