6 de outubro de 2009

Posse dos novos conselheiros da Saúde de Tangará da Serra

Posse aconteceu na manhã desta terça-feira na Câmara de Vereadores de Tangará da Serra e contou com presença de várias autoridades, entre elas, o promotor de Justiça da comarca, Dr. Antônio Moreira.

Charge do Dia


Assim penso

Não adianta paliativo em se tratando de segurança pública. É preciso investir nas pessoas. O que falta é humanidade.

Dia do Prefeito

Morador de rua

Um morador de rua teria adentrado ao plenário da Câmara de Vereadores de Tangará da Serra, durante uma sessão ordinária.

Com sua simplicidade e não vestido adequadamente, nem precisou proferir uma só palavra para externar sua situação social.

O presidente José Pereira Filho comentou o assunto em seu discurso. E apertou o nó.

Mas, de fato, por que essas pessoas simples continuam "morando" nas ruas desda urbe amada por todos nós?

Não há recursos suficientes para darmos um jeito neste problema que teima em saltar aos nossos olhos?

Conselho Municipal de Saúde

Este blogueiro foi uma das 20 pessoas empossadas como titulares do Conselho Municipal de Saúde Tangará da Serra, na manhã desta terça-feira 06. A solenidade de posse ocorreu no plenário Daniel Lopes da Silva da Câmara de Vereadores. O promotor de Justiça Dr. Antonio Moreira, o presidente da Câmara José Pereira Filho e outros vereadores, o secretário municipal de Saúde e outras autoridades municipais comparecem ao evento.

PT do B em Tangará da Serra

Ex-presidente do Partido Republicano Progressista (PRP/44) de Tangará da Serra, o líder comunitário Sebastião de Oliveira Pinto (Tatão), passou desde a semana passada a presidir neste município o Partido Trabalhista do Brasil (PT do B). Boa sorte Tatão!

Presidente da Câmara insatisfeito com...

Encontro o presidente da Câmara de Vereadores de Tangará da Serra, petista José Pereira Filho, e ele me pareceu um tanto quanto insatisfeito com a condução de alguns pontos da Administração do prefeito Júlio César Ladeia (PR). Êita!

Dante Gatto publica artigo no JORNAL DA CULTURA

O prorfessor-doutor Dante Gatto (UNEMAT) publicou grandioso artigo na última edição do JORNAL DA CULTURA. Deve ser lido, especialmente, pelos educadores de todo Brasil. O doutor enfocar a questão "professor-pesquisador-educador". Show de conhecimento no tema.

PARA REFLETIR: Tudo se completa, como vida e morte

Giordano Bruno é quem está certo. Filósofo dos idos de 1600. O homem vem da natureza e para ela retorna. Segue a máxima heracliteana de que tudo muda.

O homem nasce, cresce e morre. Do óvulo, transforma-se em feto, criança, adolescente e adulto. Morre. Do corpo sem vida outras vidas surgem. A alma segue. É eterna. O preâmbulo é para afirmar que é preciso ter fé para se ter a certeza da vida eterna.

Você pode estar se perguntando o motivo dessas palavras e a resposta é simples: não há como explicar o fenômeno da morte. Nem como escapar dela. Todos nós, um dia, teremos de enfrentá-la. Ou melhor, seguir com ela. É estranho esse ciclo: nascer, viver e morrer.

Uns partem cedo, mas deixam marcas que não se apagam com o tempo; outros, tarde; e não há registro de suas passagens. Dizem que todos nós colhemos o que plantamos e, seguindo a filosofia de Giordano Bruno, não há como escapar da natureza.

Olhe a flor, por exemplo. Surge do nada, em meio ao mato, e enfeita um cenário, alimenta pequenos animais, que servem de alimento para outros maiores e estes acabam saciando a fome do homem.

A essência de tudo é que tudo está alinhado cosmologicamente e em perfeita harmonia. Nesse sentido, morte e vida se completam, assim como dia e noite, ida e vinda, começo e fim.

Heráclito de Éfeso, pré-socrático da antiga Grécia, direciona esse existir como uma ordem no caos. Por mais que tudo apareça em desordem, existe uma certa coerência nas coisas. É aí que entra o conforto do homem diante da morte.

É como se essa harmonia explicasse a dor que se sente quando alguém morre. A lacuna é preenchida pela certeza de que se tem, nos céus, de que há salvação para a alma, e que um dia todos que se foram, e os que ainda se vão, se encontrarão no chamado Dia do Juízo Final.

Não somos nada diante de tudo e o que pensamos que somos, na verdade, não somos. Tudo ainda está em construção, inclusive a vida. Tudo sofre mudanças, transformações. Igual à velha citação de Heráclito: “Não entramos nas águas de um mesmo rio duas vezes.” Êis o que tem andado pensando este professor, humilde escrevinhador de província...

A quem interessar possa

"Ao ver uma luz no fim do túnel certifique-se de que não é o trem".