9 de novembro de 2009

Onde você guarda o seu recismo?

Pesquisa realizada pela Fundação Perseu Abramo mostrou que grande parte dos brasileiros - 87% - admite que há discriminação racial no país, mas apenas 4% da população se considera racista.

Há racismo sem racistas?

A campanha Onde você guarda o seu racismo? tem o objetivo de provocar uma reflexão individual e, principalmente, conscientizar a população de que a luta contra o preconceito racial é responsabilidade de todos.

Onde você guarda o seu racismo?
Não guarde, jogue fora!

NOTA DO BLOG: Se você já sofreu algum tipo de discriminação em Tangará da Serra pelo fato de ser negro ou negra, encaminhe um relato para o email jornaldaculturatga@gmail.com . O mesmo será divulgado na próxima edição do JORNAL DA CULTURA.

Corrupção para sempre


A revista IstoÉ da semana passada trouxe uma matéria desalentadora sobre a corrupção no Brasil. Os dados e as informações trazidas pelos repórteres mostram que o desvio de dinheiro público neste Florão da América está longe de acabar.

Os órgãos de fiscalização, como os tribunais de contas, não possuem estrutura para impedir o mau uso das receitas públicas. Outro ponto a favor dos corruptos é a certeza da impunidade, vez que as ações que apuram crimes contra a administração pública costumam durar anos e anos.

Uma informação interessante trazida pela revista, após consulta à Controladoria-Geral da União, é que o grosso da corrupção está nos pequenos desvios, e não nos grandes escândalos. A soma de todos os desvios existentes nos pequenos municípios representa uma dinheirama incalculável. São licitações fraudadas, notas fiscais falsas, recibos forjados, ou, a apropriação pura e simples.

Não raro, o governo federal libera recursos para a construção de uma obra e os administradores municipais simplesmente embolsam o dinheiro, pois sabem que a fiscalização é falha e até mesmo inexistente.

Como os órgãos competentes não conseguem impedir o mau uso do dinheiro público, cabe ao cidadão se organizar em grupo e fiscalizar pari passu a aplicação das receitas públicas. Muitas ONGs já foram criadas com este propósito, merecendo destaque a Amarribo, que já conseguiu grandes feitos contra prefeitos corruptos.

Se ficarmos apenas sentados jamais conseguiremos diminuir a roubalheira que toma conta do país, pois os órgãos existentes para este fim são ineficientes. O fim da corrupção começa por cada cidadão consciente.

ACORDA CIDADÃO!

Assim penso...

"Nenhum homem recebeu da natureza o direito de mandar nos outros."

Denis Diderot

Você já sofreu discriminação por ser negro (a) em Tangará da Serra?


Caro (a) webleitor (a) o Jornal da Cultura quer saber até quinta-feira (12), se você que reside em Tangará da Serra, já sofreu algum tipo de discriminação por ser negro (a).

Caso tenha passado por algum tipo de constrangimento por causa de sua cor, favor encaminhar seu depoimento para o e-mail do JORNAL DA CULTURA - jornaldaculturatga@gmail.com

É necessária a sua identificação, pelo menos para a EDITORIA.

Assim, com seu depoimento, além do endereço eletrônico, precisamos também de seu endereço residencial e fone para possível contato.

Acreditamos que sua colaboração contribuirá significantemente para que os preconceitos raciais dimunuam ainda mais.

JORNAL DA CULTURA E DIÁRIO DE TANGARÁ - dizem não ao racismo. E a qualquer forma de discriminação.

E você?

No aguardo de seu texto.

A EDITORIA

Para refletir

"Se os grandes homens nunca tivessem cometido erros, não sabíamos que eles haviam existido", já dizia Louis Scutenaire.

Índios serão capacitados para atuar como agentes de saúde nas aldeias

A vida de 5 mil índios de Mato Grosso será acrescida de mais saúde a partir desta segunda-feira, 09. Isto se deve ao início do curso de ‘Agente Indígena de Saúde (AIS)’, que capacitará 28 índios, de nove etnias, no intuito de promover ações de educação, vigilância, prevenção e controle das doenças e agravos nas aldeias.

O curso é promovido pelo Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) Cuiabá, da Coordenação Regional da Funasa em Mato Grosso (Core/MT).

Até o próximo dia 27, os índios participarão do módulo introdutório realizado em Chapada dos Guimarães (60 km Cuiabá). Nesta primeira etapa, serão abordados os maiores problemas enfrentados no exercício da função; diarréias e doenças respiratórias

Palavra de Pedagogo

No meu humilde entendimento, embasado na opinião de renomados juristas especializados em leis do trânsito, a questão central mesmo não é punir, mas educar o guiador, o pedestre, o ciclista, etc.

Lementavelmente, isso não vem sendo feito adequadamente em Tangará da Serra.

Não bastam placas, faixas, panfletos. A questão envolve cultura e educação.

Se querem saber como melhorar definitivamente o trânsito tangaraense, este humilde escriba de província conhece os procedimentos corretos.

Todavia, se querem permanecer nessa "enrolação", "faz-de-conta", "paliativos", o problema é de vocês que não querem ouvir os profissionais que se especializaram para educar, inclusive o trânsito.