22 de janeiro de 2010

Comentário Político do Dia

Pré candidatos a governador de Mato Grosso

Silval Barbosa (PMDB)- Tem o apoio do PT e do PR

Wilson Santos (PSDB) - Firmou aliança com o DEM e PTB. Pode apoiar a candidatura de Jaime Campos.

Mauro Mendes (PSB) - Foi lançado pela "frentinha" formada pelo PDT, PPS, PV, PPS, PCdoB, PMN, PRTB E PSC.

Jaime Campos (DEM) - Tem o apoio do PSDB e do PTB. Pode apoiar Wilson Santos.
Prováveis mudanças

1- PPS abandona "frentinha" e declara apoio à candidatura de Wilson.

2 - Com a saída do PPS, a tendência é que o PDT também deixe "frentinha" e busque novas alianças.

3- PSB prioriza reeleição do deputado federal Valtenir Pereira e candidatura de Mauro Mendes naufraga.

4- Mato Grosso fica com apenas dois candidatos: um da situação (Sival Barbosa) e outro da oposição (Wilson Santos ou Jaime Campos), que vão disputar o apoio de José Riva (PP).

E o nosso carnaval?

Ouvi comentário, ontem, que a maioria dos blocos carnavalescos de Tangará da Serra brincará os dias de folia no Tangará Tênis Club (TTC).

Para o nosso carnaval público que será bancado pela prefeitura, isso não será nada bom.

O detalhe é que os grupos não ficaram nada satisfeitos com o fim das festas na Praça dos Pioneiros, imposição da Justiça que atendeu solicitação de parte da comunidade.

Jaconias: 'nenhum secretário será substituído por enquanto'

O prefeito José Jaconias da Silva (PT) me disse que, por enquanto, não trocará nenhum dos seus atuais secretários. Mas, não estaria descartada a possibilidade de substituições até mesmo no segund0 escalão. O prefeito está de "olho" no comportamento e atitudes de muita gente. Com isso, é bom que os cotados para a dança fiquem com as barbas de molho.

Custo da propaganda política

A propaganda política e eleitoral na televisão e no rádio durante este ano vai custar R$ 851 milhões, segundo a Secretaria da Receita Federal. Esse é o valor que o Governo Federal estima deixar de arrecadar com Imposto de Renda para compensar as emissoras de rádio e TV pela veiculação da propaganda obrigatória. O cálculo inclui o horário eleitoral e programas dos partidos e as inserções avulsas. Esse montante equivale a mais do que fatura durante todo o ano o SBT de São Paulo.

A quem interessar possa

"Não se pode planejar o futuro pelo passado".