8 de fevereiro de 2010

Loja "Stúdio B" é puro charme

Professora, poetisa e escritora, Rejane Tach inaugurou recentemente uma belíssima e confortável loja na área central de Tangará da Serra. Em rápida visita que fiz nesta tarde, percebi a beleza associada à qualidade dos produtos que Rejane está pondo à disposição da clientela tangaraense. Nas imagens, pousa ao lado de suas belas filhas Pollyanna e Patrícia. Sucesso Rejane, você merece!





Trânsito tangaraense está melhor

Não obstante a quantidade de carros e motocicletas que circula diariamente pelas ruas de Tangará da Serra, percebe-se uma ligeira melhoria no trânsito, a partir da área central da cidade. Prova disso é a considerável queda nos índices de acidentes. Isso não quer dizer que está tudo bem. Muita coisa ainda precisa avançar. A questão da preferência do pedestre na faixa continua sendo muito desrespeitada. Nada que uma boa campanha educativa a partir das escolas com apoio da mídia não possa resolver. Lembre-se: trânsito é uma questão de educação.

Motos tomam estacionamento público em Tangará da Serra


Tive um susto nesta tarde quando vi em frente a Agência Bradesco, Praça da Bíblia, Tangará da Serra, a quantidade de motos estacionadas em frente ao banco. Definitivamente nossa cidade está tomada por motocicletas. Isso só confirma o que me disse recentemente um gerente comercial da Queiroz Motos: "Nossa loja vende mais de 300 motocicletas mensais". Juntando essa quantidade mais as vendas das outras lojas, é possível que mensalmente mais de 600 motos adentrem ao trânsito tangaraense. Coisa de louco.

A bela Thalita

A bela Thalita agora é secretária de um consultório odontológico localizado no centro de Tangará da Serra. Bom trabalho minha amiga!

Criançada de volta às aulas em Tangará da Serra

Professora Nelci pousa com seus baixinhos em sala de aula da Escola Estadual "Emanoel Pinheiro", centro da cidade. A partir desta terça-feira 9, as aulas da rede municipal de ensino serão regularizadas, disse hoje ao meio dia, o secretário municipal de Educação, Júnior Schleicher.

O falso êxito do PAC (Editorial)

Deu em O Estado de S. Paulo


Por qualquer critério isento que se examinem os números da execução do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) apresentados na quinta-feira pela ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff - sua principal gestora, batizada pelo presidente Lula como "mãe do PAC" -, a conclusão é decepcionante.

CONTINUE LENDO AQUI

Tangará da Serra cresce, apesar de ...

Não para a inauguração de novas lojas em Tangará da Serra. Em quase todos os finais de semana, novas portas comerciais são abertas, no centro e em bairros mais afastados.

O crescimento da cidade é visível, fruto, sobretudo da iniciativa de investidores e empresários arrojados que sabem o dinheiro que circula nas atividades relacionadas ao comércio, a produção de várias frutas, soja, carne bovina, suína e frango.Também ajuda o fato de Tangará da Serra se situar numa região privilegiada.

Por todas estas razões, nosso município recebe muitas pessoas de outras cidades e outros estados. Pessoas estas que ainda sofrem com a pouca ação do poder público.

A sinalização ainda é muito precária. Para chegar a qualquer ponto da cidade, o visitante tem que parar várias vezes e pedir o auxílio dos nossos moradores. Quase não há placas indicando a direção do shopping, das universidades, dos hotéis…

Como somos um pólo educacional, já deveríamos há muito tempo ter um centro de convenções.

Como não temos, palestras são realizadas em auditórios de estabelecimentos educacionais e depois os alunos/participantes têm que sair por ai batendo perna em busca de um lugar para fazer suas refeições.

A cada dia, as empresas exigem profissionais mais qualificados para a área de indústria, comércio educação. Enquanto isso, algumas entidades continuam oferecendo seus cursos de manicura, pedicura, cabeleireira, secretária…

Pode, uma coisa dessas?

Estudante, exemplo de superação, morre de forma banal

O estudante Alcides do Nascimento Lins, de 22 anos, que cursava biomedicina na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), foi morto a tiros na madrugada de sábado em frente à casa onde morava, em Recife.

Aluno de escola pública, filho de uma vendedora ambulante, Alcides foi o primeiro colocado da rede pública no vestibular da Universidade Federal de Pernambuco em 2007.

A história de superação do rapaz foi contada pelo "Fantástico", da TV Globo, numa reportagem que tinha a felicidade como tema.Alcides aparecia ao lado da mãe, Maria Luiza do Nascimento. E, perguntado sobre o assunto, dizia: "A felicidade é o objetivo alcançado a serviço da humanidade, a serviço do bem".

Alcides estava na porta de casa quando, segundo testemunhas, teria sido abordado por dois homens que estariam à procura de outra pessoa. Um dos bandidos teria, então, disparado contra o estudante. Atingido por dois tiros na cabeça, Alcides ainda foi socorrido e levado para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

O corpo do rapaz foi sepultado na manhã de ontem no Cemitério de Santo Amaro. Alcides estudou em escola pública a vida toda e morava numa comunidade carente, mas superou as dificuldades e passou no vestibular de um curso concorrido (biomedicina) da instituição federal. — Eu sempre conversava com ele e pensava: esse vai ser um cara de futuro, vai entrar para a História.

E de repente ele tem a vida interrompida por marginais, por pessoas que nem ao certo sabiam a pessoa grandiosa que ele era — disse a mãe de Alcides, após o crime.

Na época em que o filho foi aprovado no vestibular, Maria Luiza lembrou das dificuldades por que passou para garantir que ele tivesse boa educação. "Ele vai ser médico, quer ser cardiologista", ela disse à reportagem do "Fantástico", em 2007.

"Eu sustentei meus filhos com a carroça, porque não queria que eles ficassem como hoje em dia eu vivo", afirmou Maria Luiza. * Extraído do Blog do Ricardo Noblat

Nota do Blog - Essa não é apenas mais uma história de final infeliz, para quem nasceu nas bordas da sociedade. É o fim de uma biografia fugaz e particularmente especial.

Mas ao mesmo tempo, a imolação desse jovem tem valor simbológico, pela força de uma mãe exemplar, que pobre e em tese ignorante, prova ser possível vencer e superar tudo em contrário, sem cair na tentação do atalho, das facilidades.

Dona Maria Luíza poderia ser mais um "avião" do tráfico, outra prostituta a justificar seu trabalho com a situação famélica dos filhos.

Fez diferente: trabalhou naquilo que podia, com todas as forças.

Alcides parte cedo, entretanto deixa fecundado o bom exemplo. Não por acaso, seu prenome significa "homem forte" em grego. Carlos Santos