12 de fevereiro de 2010

Defesa civil realiza buscas de desabrigados no Rio Sepotuba

O prefeito em exercício de Tangará da Serra, Jóse Jaconias da Silva, passou quase toda esta sexta-feira no Assentamento Antonio Conselheiro, distante 60 km da cidade, acompanhando o trabalho que a defesa civil está realizando ao longo do Rio Sepotuba.

A intensão da defesa civil, segundo o prefeito, é verificar se há alguma família ribeirinha em situação de risco.

O trabalho é motivado por causa das grandes chuvas que caíram nas últimas horas em Tangará da Serra, vindo a fazer transbordar como nunca as águas do Rio.

Um barco está descendo o rio para saber saber se há alguem isolado carente de ajuda. Boa atitude.

Imprensa tangaraense cria bloco para brincar carnaval

Começa daqui a pouco neste município o carnaval "folia e paz na terra dos tangarás". O evento acontecerá na avenida Tancredo Neves, nas imediações do "Cristo", saída para a Unemat.

Hás esforços concentrados para que a festa alcance grande sucesso como nas versões de outros anos.

Vários blocos se apresentarão no decorrer dos quatro dias de carnaval. Entre eles está o Bloco da Imprensa.

Vice-governador não poderá mais enviar cartas à população

O juiz eleitoral Samir Hammoud determinou ao vice-governador Silval Barbosa (PMDB) a suspensão imediata do envio de cartas a população por, supostamente, ser considerado propaganda extemporânea.

O juiz ainda determinou a proibição de qualquer outro tipo de material que contenha o nome, a assinatura, referência à eleição vindoura, o nome do seu partido político, a pretensa condição de pré-candidato ao governo do Estado, exaltação das suas qualidades e o pedido de apoio ao representado Silval Barbosa.

A suspensão atende a um pedido da Procuradoria Eleitoral, já que Silval vem se colocando como um dos pré-candidatos ao Governo do Estado nas eleições de 2010. A multa pelo descumprimento da decisão será de R$ 5 mil.

As denúncias de propaganda extemporânea realizada por Silval surgiu na reabertura dos trabalhos da Câmara de Cuiabá. O vereador Antônio Fernandes (PSDB) ilustrou uma carta recebida por sua filha, onde um dos trechos dizia: "Fale para a mamãe e pro papai que o Silval é um cara legal".

AMBEV abrirá distribuidora em Tangará da Serra

A AMBEV abrirá uma distribuidora em Tangará da Serra e seu representante esteve no Campus da Unemat para fazer a divulgação das vagas de emprego.

Segue as informações para os interessados: vagas para vendedores com moto, supervisores de vendas, analista financeiro, analista de RH e analista de logística.

Encaminhar curriculum com foto para o e-mail xbregm@gmail.com ou xbregm@ambev.com.br
ou entrar em contato com Robes Mataroli, telefone 061-8173-7994

Charge do Dia

Charge de Amarildo

A prisão de Arruda é emblemática

Mesmo que passe apenas algumas horas no xilindró, ela representa uma vingança da sociedade, desdenhada pela postura autosuficiente do governador, mesmo diante de provas desmedidas quanto à sua conduta. Mas o comportamento de Arruda não é um caso isolado. Faz parte da cultura política nacional, onde é sinal de esperteza e força, se manter no poder mesmo quando tudo depõe contra.

A quem interessar possa

"A primeira e pior de todas as fraudes é enganar-se a si mesmo.

Marco na política brasileira

O presidente Lula está certo quando diz que “não é bom para a consciência política do país a prisão de um governador”. Realmente, não é. Agora, a prisão do governador José Roberto Arruda é um marco na política brasileira.

Nesse caso, a Justiça agiu antes que o mundo, quase sempre sujo, da política tome suas decisões. Alguém duvida que Arruda caminharia para a impunidade se o seu destino ficasse nas mãos do Legislativo? Pouco provável.

Casos e mais casos que se acumulam no universo da impunidade são provas irrefutáveis de que nada acontece com a porção corrupta do país. Normalmente, os casos estão aí para confirmar. O Legislativo costuma se antecipar para poupar o político corrupto. O Judiciário, quase sempre lento, age depois.

No caso de Arruda, a Justiça correu a passos largos e surpreendeu até os mais otimistas. A decisão dos ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de mandar para a cadeia o governador corrupto contraria a ideia de que a impunidade tão alimentada pela Justiça motiva a sucessão de crimes que castigam o país.

Talvez, e provavelmente, Arruda tenha confiado na impunidade, baseado em episódios passados, para acreditar que era possível sair ileso do escândalo do panetone, mesmo diante das chocantes imagens de dinheiro nas meias e cuecas.

Daí, entender o seu desabafo na carta aberta aos correligionários e amigos, na qual lembra que nos “momentos mais graves” da política, como o “mensalão do PT” ou o impeachment do ex-presidente Fernando Collor de Mello, “não se viram medidas judiciais coercitivas dessa gravidade”.

É verdade. Porém, não se deve pautar a vida em exemplos negativos. Os erros do passado não justificam a corrupção do momento. Então, é possível acreditar que a prisão do governador do Distrito Federal, determinada pelo STJ, seja o início de uma longa fila de futuros presos.

A partir daí, quem sabe, presidente, governadores, prefeitos, deputados e vereadores entendam que a política é coisa séria.

Operação carnaval

A Operação Carnaval da Polícia Rodoviária Federal começa hoje nas rodovias federais de todo o país. Serão mais de nove mil policiais atuando até meia-noite de quarta-feira de Cinzas (17). No ano passado, morreram 127 pessoas em igual período nas rodovias federais em 2.865 acidente.

DE NOVO

Os partidos DEM, PPS e PSDB entraram com mais uma representação no TSE contra suposta campanha antecipada de Lula e da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff. Na ação, ambos são acusados de campanha irregular em Minas Gerais.

ANVISA recebe ordens para realizar concurso

O Ministério do Planejamento (MP) deu autorização para que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) realize concurso público para contratação de servidores. A medida foi publicada no Diário Oficial da União da quarta-feira (9).

Poderão ser contratados 92 servidores para integrar a carreira de Técnico Administrativo do quadro de pessoal da agência.

O provimento desses cargos poderá ocorrer a partir de julho e terá como contrapartida a extinção de 92 postos de trabalho terceirizados que estão em desacordo com a legislação vigente, obedecendo ao disposto no Termo de Acordo e Conduta firmado entre a agência e o Ministério Público do Trabalho.