5 de março de 2010

Dia da Mulher: Homenagem do Jornal da Cultura

Vereador cria dois projetos de Lei a pedido de Dorjival Silva

Imagem: Agência Centro Oeste de Notícias
Dorjival Silva e Roque Fritzen

O vereador tangaraense pedetista Roque Fritzen me recebeu na manhã desta sexta-feira (05), em seu gabinete no parlamento municipal, para passar às minhas mãos, cópias dos dois projetos de lei de sua autoria, ambos aprovados na última sessão ordinária, em atendimento a nossa solicitação enquanto presidente do Conselho Municipal de Cultura, em meados do ano passado.

Pelos dois projetos de Lei ficam criadas a Semana do Meio Ambiente a a Semana da Cultura em Tangará da Serra.

Quero aqui, desta página, agradecer penhoradamente ao nobre parlamentar pelos seus esforços para atender e responder positivamente aos representantes da sociedade civil organizada.

As Semana do Meio Ambiente e Semana da Cultura já instituídas por Lei, agora serão organizadas atendendo as melhores datas para a sequência de comemorações, já apartir deste ano.

EM TEMPO: A lei que proíbe o uso de cigarros em locais fechados em Tangará da Serra, lavra do vereador petista José Pereira Filho, também é resultado de um pedido deste blogueiro.

Tenho feito vários pedidos a outros parlamentares, como por exemplo, a criação do Restaurante Popular na cidade, mas até agora ainda não se concretizou.

Marlene Maria volta à TV na próxima segunda-feira

Imagem: Agência Centro Oeste de Notícias
A jornalista Marlene Maria estreia programa na TV Tangará na próxima segunda-feira, dia 08. Diariamente, no decorrer de 30 minutos ela trará para a sociedade tangaraense fatos e notícias do dia a dia da Mulher.

EM TEMPO: Marlene aceitou convite da direção do Jornal da Cultura para assinar a partir da próxima edição uma coluna também focando a Mulher.

À minha grande amiga, votos de muito sucesso e prosperidade em sua nova empreitada profissional.

Empresário Airto Franchini homenageia à MULHER pelo seu Dia

Imagem: Agência Centro Oeste de Notícias

Mulher
Semente...
SER-mente...
SER que faz gente,
SER que faz a gente.

Mulher

SER guerreiro, guerrilheiro, lutador...
multimidia, multitarefa, multifaceta, multi-acaso...
multi-coração...

Mulher

SER que dá conta,
que vai além da conta,
que multiplica,
divide, soma e subtrai, sem perder a conta,
sem se dar conta,
de que esse século foi seu parto,
na direção de seu espaço,
de seu lugar de direito e de fato,
de seu mundo que lhe foi usurpado e que agora é por ela ocupado.

MULHER...

Esse SER florado,
esse SER adorado,
esse SER adornado,
que nos poem em um tornado,
SER admirado...

MULHER...

Nesse final de milénio, faça a transição.
Tire de seu coração a semente que vai mudar toda a gente
levando o mundo a ser mais gente...
Um mundo mais feminino, mais sensibilizado,
mais equilibrado e perfumado...


PARABÉNS MULHER !!!

Não pelo oito de marco,
nem pelo beijo e pelo abraço,
nem pelo cheiro.
Mas por ser o que és...
Humus da humanidade,
Raiz da sensibilidade,
Tronco da multiplicidade,
Folhas da serenidade,
Flores da fertilidade,
Frutos da eternidade...
Essencia da natureza humana.

Parabéns...

Mensagem do empresário AIRTO FRANCHINI

Homenagem do blog ao Dia Internacional da Mulher

Com um vídeo clip de minha filha Susan Djillas, homenageio a todas as jovens, mulheres e senhoras que passam os olhos diariamente por esta página. FELIZ DIA DA MULHER!



Com pouco mais de 15 anos, minha filha Susan conclue neste ano o ensino médio e se prepara para fazer vestibular, concorrendo a uma vaga no Curso de Direito.

Charge do Dia

Charge de Néo Correia

Assim penso

"A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo."


Nelson Mandela

PRP ainda sem definição

O Partido Republicano Progressista (PRP/44) ainda não se posicionou de que lado ficará nas eleições desde ano. Estamos aguardando que os assuntos sejam melhor definidos.

Posso adiantar apenas que lançaremos quatro nomes para disputar a Câmara Federal e oito à Assembleia legislativa de Mato Grosso.

Nenhum nome deverá ser de Tangará da Serra, apesar de convites feitos a filiados da sigla pela executiva regional.

Tangará Recicla

Para melhor visualização clique no banner
Publicidade (Produção Lamego Propaganda)

A QUEM INTERESSAR POSSA

"Somente quando de tudo desesperamos é que a esperança começa a ser a verdadeira força."

Folha corrida evitará a eleger "caras sujas"

Ainda não foi desta vez que os crimes do colarinho branco receberam a qualificação como hediondos que vez por outra o presidente Lula da Silva diz que pretende apensar-lhes, mas o Brasil experimentou esta semana um avanço no tocante a se prevenir contra a entrega dos poderes a corrutos de carteirinha.

Graças a decisão que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) adotou nesta terça-feira, 2, a partir deste ano os eleitores poderão consultar pela Internet, nas eleições deste ano, a "ficha criminal" dos candidatos. Isto porque o TSE instituiu a obrigação de os políticos apresentarem, no pedido de registro da candidatura, documentos informando detalhadamente o teor e a situação de eventuais processos criminais a que respondam.

O tribunal promete digitalizar a papelada e colocá-la na Internet, no campo em que é feita a divulgação das candidaturas.Quanto a isto, o presidente do TSE, ministro Ayres Britto, informou que a justiça eleitoral já está elaborando formulários que os candidatos terão de preencher para dar ao eleitor a chance de conhecer a sua vida pregressa.

Até então, os candidatos só eram obrigados a provar que não sofreram condenação definitiva, ou seja, não precisavam dar informações sobre processos que respondem, mas em relação aos quais ainda cabe recurso.

Hoje o tribunal pode estender a medida e exigir informações sobre processos também da área cível, como os de improbidade administrativa.Ao registrar a candidatura, o candidato terá de apresentar certidões criminais. "Se o candidato apresentar certidão negativa, não há o que fazer, mas se a certidão não for negativa, nós queremos saber mais alguma coisa", afirmou o ministro.

Lembrando que a expressão certidão criminal já consta do artigo 11 da Lei das Eleições (9.504/97), Ayres Britto observou que os dados devem ser disponibilizados no "site" do TSE.

Os ministros do TSE queriam incluir nas resoluções, que regulamentam as eleições de 2010, a obrigatoriedade dos partidos apresentarem certidões quanto a eventuais ações de improbidade administrativa contra o candidato. "Isso não ficou absolutamente decidido. Nós vamos interpretar o que significa a expressão certidões criminais", explicou o presidente do TSE.

Os ministros do TSE vão analisar se a lei exige o passivo processual do candidato, em termos de ação de improbidade administrativa. Sobre a declaração de bens, os ministros do TSE vão tentar usar um formulário semelhante ao do Imposto de Renda, para que o eleitor possa ter conhecimento.

Quatro rodas

Se tem um setor com motivo para comemorar o bom início de ano é o da indústria automobilística. A venda cresceu nos primeiros 60 dias de 2010, com o melhor fevereiro da história. Foram vendidos 220.998 carros, aumento de 10% em relação ao mesmo período do ano passado. No Rio Grande do Norte, a venda de carros novos cresceu 20,24% no mês passado, em comparação com fevereiro de 2009.

Limpeza com o voto

Em esquina de rua, mesa de bar, reunião de amigos ou em qualquer outra confraria a opinião é quase unânime: a classe política brasileira não presta.

Os sucessivos escândalos, alimentados pela impunidade e pouca disposição de trabalho, principalmente nas casas legislativas, justificam a decepção popular. Ao mesmo tempo, um contraste: o povo que condena o político é o mesmo que o elege.

Estudos científicos apontam várias justificativas. Aceitáveis. No entanto, nenhuma delas é mais forte do que a máxima de que brasileiro gosta de votar. É verdade.

O eleitor vai às urnas não pela obrigação prevista em lei, mas com o sentimento democrático de cumprir o dever de cidadão. Talvez, e provavelmente, quem recebe o voto esteja no degrau de importância bem abaixo do simples exercício da democracia. Daí, a sobrevivência de políticos desqualificados.

E, como promover uma assepsia na área? Só com o tempo. O brasileiro precisa exercitar mais o voto, participar ativamente de todas as disputas eleitorais, pois só assim aprenderá a usar a sua arma democrática. É possível acreditar que estamos no caminho certo em busca da qualidade de nossos representantes legais.

Louve-se, aí, a luta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de impedir que os chamados “fichas sujas” continuem ocupando os espaços que deveriam ser das pessoas honestas. Nas eleições 2010, um alento: o TSE possibilitará que o eleitor conheça a vida pregressa dos candidatos.

Eles, os candidatos, terão que apresentar as certidões criminais e os dados serão disponibilizados no site da Justiça Eleitoral.

A partir daí, o eleitor terá uma espécie de “guia da transparência” e, assim, condições de escolher nomes que possam representá-lo com dignidade. É um começo de uma estrada que tem endereço certo: a reconstrução da política brasileira

O cerco está se fechando

Aqueles que se utilizam da prática política para desvio de finalidade ou fazem dos seus mandatos trampolim para negociatas que visam única e exclusivamente o benefício pessoal ou grupal estão com os dias contados.

Pelo que a gente observa o cerco para estes está verdadeiramente se fechando. E é bastante salutar para a nossa ainda incipiente democracia bem como para ao conjunto da sociedade brasileira que se faça essa faxina geral.

A mais recente das medidas saneadoras nesse sentido acaba de ser adotada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que acaba de mandar confeccionar formulários que terão de ser preenchidos de agora por diante pelos candidatos e de posse desses dados o eleitor vai poder separar o joio do trigo. Ou seja, vai conhecer quem é quem.

Outra: uma exigência que vai vigorar a partir de agora é aquela que manda o candidato, ao se inscrever, apresentar atestado de bons antecedentes ou de antecedentes criminais. Aliás, essa é uma exigência que não é nova.

Ela vem no bojo da chamada Lei das Eleições originária do ano de 1997. E os ministros do TSE ainda acenam com a avaliação se a lei exige o passivo processual, em termos de ação de improbidade administrativa para o pretenso candidato.

Aguardemos, então outras decisões daquela Côrte que serão emanadas nesse sentido. Mas, como está dito: o cerco está se fechando contra os maus políticos. Não é sem tempo.

AL estuda punição para quem estimular preconceitos em jogos eletrônicos

Qualquer tipo de divulgação de preconceito – por meio de jogos eletrônicos – aos costumes, às tradições e aos cultos, credos e símbolos religiosos será punida em Mato Grosso. Essa é a principal medida prevista pelo Projeto de Lei nº 49/10, do deputado Wagner Ramos (PR), que passou a tramitar na Assembleia Legislativa.

O projeto estabelece penalidade para quem fabricar, importar, distribuir, manter em depósito ou comercializar jogos eletrônicos que incitem a violência aos costumes ou às tradições dos povos e a seus cultos, credos, religiões ou símbolos.

Wagner Ramos citou a Constituição para reforçar que é inviolável a liberdade de consciência e de crença, assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias (Art. 5º, VI, CF).

“Mas não é só. O constituinte sinalizou claramente que qualquer discriminação contra direitos e liberdades fundamentais deve ser punida. Nossa preocupação é porque a intolerância religiosa, cultural, racial ou étnica não encontra respaldo na legislação brasileira. Também não se identifica com a personalidade do povo brasileiro, mundialmente conhecido por sua hospitalidade, pacifismo e cordialidade”, salientou o vice-líder republicano na AL.

De acordo com o projeto, são passíveis de punição quaisquer pessoas, inclusive as detentoras de função pública, e toda organização social ou empresa – com ou sem fins lucrativos e de caráter privado ou público.

O parlamentar lembrou que os jogos eletrônicos são muito utilizados por crianças e adolescentes, pessoas em formação de caráter e que devem merecer maior proteção estatal. “Por isso, seus conteúdos não devem disseminar a intolerância aos costumes, às tradições e aos cultos, credos ou símbolos religiosos”, concluiu. Da Assessoria