10 de março de 2010

Chegando convite

A dúvida

A reportagem sobre o escândalo do Bancoop, que ocupou nove páginas da edição da semana da revista Veja, não apenas trouxe o PT de volta ao mundo da corrupção (se é que o partido saiu dele algum dia), mas, principalmente, levantou a dúvida se a disputa presidencial será conduzida de forma limpa e honesta.

Isso porque o “caso Bancoop”, investigado pelo Ministério Público de São Paulo, é protagonizado por figuras de proa do partido do presidente Lula, como João Vaccari, novo tesoureiro do PT e homem escolhido para oxigenar o caixa da candidata Dilma Rousseff.

A desconfiança aumenta consideravelmente com a postura assumida por Lula, que, ao invés de exigir punição dos criminosos, prefere atacar a imprensa, com o malhado discurso de que ainda se sente perseguido pelas elites. Que elite? A única elite que existe é a que governa o País com ele, Lula.

Daí, o blog pede licença aos webleitores e a revista Veja para transcrever trecho da “Carta ao Leitor”, onde a publicação questiona se existe alguma chance de o País ter uma disputa eleitoral de forma decente:

“As vésperas de uma eleição presidencial das mais decisivas para os rumos do País, em relação à qual o Tribunal Superior Eleitoral acaba de dar mais transparência às contribuições financeiras para as campanhas, é espantoso constatar que pessoas apontadas no inquérito como suspeitas do desvio do dinheiro do Bancoop continuem a ocupar lugar de destaque nos escalões do PT.

Entre elas estão Ricardo Berzoini, ex-presidente do partido; e João Vaccari, escolhido pelo presidente Lula para ser tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff.

É de perguntar se, com personagens desse estirpe à solta e em cargos decisivos no campo petista, existe a mínima possibilidade de a campanha presidencial de 2010 ser financiada de maneira limpa”.

ESTRATÉGIA

Os estrategistas do PT e demais mentores da pré-candidatura de Dilma Rousseff à Presidência da República esperam que até primeiro de julho esta tenha ultrapassado a José Serra nas pesquisas.

CHIFRE

O chifre está em todas. Até mesmo nos locais onde menos se esperava. Nós vimos na TV o "espetáculo" condenável de um vereador que chamou o presidente da casa em Águas de Lindóia, de chifrudo. Criou-se o maior rebu.

“MADE IN BRAZIL”

Depois de quase três anos de estudos, a Farmanguinhos, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), criou um inseticida biológico capaz de matar as larvas do mosquito da dengue em 24 horas. O comprimido é inofensivo ao meio ambiente e à saúde humana e pode ser dissolvido em até 50 litros de água.

Acessibilidade

O atual presidente do TSE, ministro Carlos Ayres Britto, com muita satisfação anunciou na sessão ordinária de ontem que - finalmente - a tribuna está adaptada para advogados portadores de necessidades especiais.

Código de processo penal

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) vai encaminhar ao Congresso Nacional um pacote de sugestões para alterar o Código de Processo Penal.

Entre elas, o monitoramento eletrônico dos presos do regime semiaberto, a negociação da pena, o pagamento de fiança em todos os crimes e a concessão de incentivo fiscal às empresas que contratarem presos ou ex-detentos.

As mudanças, que dependem da aprovação dos parlamentares para entrar em vigor, fazem parte do Plano de Gestão para Funcionamento de Varas Criminais e de Execução Penal.

O CNJ defende que o preso em regime semiaberto seja transferido para o regime domiciliar desde que concorde com o monitoramento eletrônico.

Já as empresas que contratarem detentos ou egressos do sistema prisional poderão reduzir as contribuições sociais incidentes sobre a folha de pagamento. (Informações da Agência Brasil)